Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alimentação > Desperdicio Alimentar: Reciclar comida

Desperdicio Alimentar: Reciclar comida

Categoria: Alimentação
Visitas: 4
Desperdicio Alimentar: Reciclar comida

Usar as sobras de carne num empadão ou transformar pão duro em torradas são formas simples de evitar o desperdício.

A Europa desperdiça todos os anos milhões de toneladas de alimentos. Só Portugal manda para o lixo cerca de 1 milhão de toneladas, 324 mil das quais em casa dos consumidores.

Além das implicações económicas que o desperdício alimentar acarreta, colocam-se também questões ambientais e sociais. O desaproveitamento de comida nos países industrializados (222 milhões de toneladas) é quase tão elevado como a produção total líquida de alimentos na África Subsariana (230 milhões de toneladas), segundo um estudo da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO).

Nos países menos desenvolvidos, a perda e o desperdício deve-se sobretudo às condições financeiras, limitações técnicas de colheita, armazenamento, infraestruturas, embalagem e sistemas de comercialização. Já nos países mais industrializados, a responsabilidade passa pela descoordenação entre produtores e distribuidores e pelo comportamento dos consumidores.

Se há bens desperdiçados devido a normas de qualidade que rejeitam alimentos quando a forma e a aparência são imperfeitas, há também falhas no planeamento das compras das famílias.
Em Portugal, a maior fatia de alimentos que vai para o lixo é desperdiçada em casa. Sobretudo frutas, produtos hortícolas e pão, mas também de carne e peixe. Numa altura em que, se estima ser necessário aumentar a produção alimentar em 70%, para dar de comer aos 9 mil milhões de habitantes que se estima existirem em 2050, como pode existir ainda tanto desperdício?

O frigorífico também contribui para evitar desperdício, promovendo a segurança dos alimentos, desde que siga algumas destas regas como por exemplo:
Use os alimentos sãos e manipule-os de forma higiénica.
Se comprar produtos congelados, leve-os para casa em sacos isotérmicos.
Não deve voltar a congelar, um alimento descongelado.
Não encha demasiado o frigorífico, para permitir a circulação do ar em redor dos alimentos, bem como uma temperatura uniforme em todas as zonas do aparelho.
Retire os produtos frescos pouco tempo tempos antes de serem consumidos.
Consuma preferencialmente os alimentos que se encontrem há mais tempo no frigorífico.

Reaproveitar toda a comida é uma prioridade. Compre apenas o necessário.


Miguel Pereira

Título: Desperdicio Alimentar: Reciclar comida

Autor: Miguel Pereira (todos os textos)

Visitas: 4

608 

Comentários - Desperdicio Alimentar: Reciclar comida

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios