Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alimentação > Açorda à Alentejana

Açorda à Alentejana

Categoria: Alimentação
Comentários: 1
Açorda à Alentejana

O Alentejo é muito rico tanto a nível paisagístico como de gastronomia. As suas ementas são apreciadas por muita gente que se desloca de propósito para as conhecer. De entre as inúmeras variedades é muito típica a açorda alentejana que se destaca pela sua qualidade e modo de confeccionar diferente.

Ingredientes:
- um bom molho de coentros ou uma mistura de duas ervas;
- 2 a 4 dentes de alho;
- 1 colher de sopa bem cheia de sal grosso;
- 4 colheres de sopa de azeite;
- 1.5 litro de água a ferver;
- 400 g de pão caseiro (duro); 4 ovos.

Confecção:
Depois de reunir todos os ingredientes pisam-se os coentros num almofariz reduzindo-os a papas com os dentes de alho, a que se retiram o grelo, e o sal grosso. Deita-se esta papa na terrina ou numa tigela, rega-se com o azeite, e escalda-se com água a ferver, onde previamente se escalfaram os ovos (de onde se retiraram). Mexe-se a açorda com uma fatia de pão grande, com que se prova a sopa, sendo esta designada de sopa de azeiteira ou sopa mestra.

Introduz-se então no caldo o pão, que foi ou não cortado em fatias ou em cubos com uma faca, ou partido à mão, conforme o gosto. Depois tapa-se a açorda, pois uns gostam dela mole e outros apreciam as suas sopas duras. Os ovos são colocados no prato ou sobre as sopas na terrina, também conforme o gosto.

Esta açorda é muito conhecida no Alentejo, o prato mais conhecido da culinária alentejana. Vai á mesa do pobre e do rico e raro é o dia em que não constitui o almoço do trabalhador rural. Tem muitas variantes e é influenciada pelas mudanças de estação como é regra em cozinhas tradicionais, de terra para terra. Há ementas que são mais apropriadas para o verão, por serem mais frescas e outras para o inverno, mais quentes. No entanto esta pode ser confeccionada durante todo o ano. As variações de ementas têm também a ver com os ingredientes que às vezes rareiam durante o ano. Mesmo que se façam reservas não estão tão frescos e não são tão saborosos. Por exemplo as verduras e vegetais são muito mais apetitosas e com mais vitaminas do que fora da época, tal como as frutas. Como os cereais são importantes na alimentação, contendo fibras e vitaminas esta ementa é recomendada para uma refeição substancial, apetitosa e boa em hidratos de carbono e vitaminas.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Açorda à Alentejana

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 0

646 

Imagem por: ginnerobot

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • André BelacorçaAndré Belacorça

    20-09-2012 às 20:11:20

    Bem, falando da açorda, é falar de uma relíquia alentejana, falo por ser alentejano, aquele sabor único, é para mim a melhor sopa, com aquele ovo escalfado, e melhor ainda acompanhado com umas sardinhas assadas com pão, que riqueza. É sem dúvida recomendado a toda agente, é um fenómeno.

    ¬ Responder

Comentários - Açorda à Alentejana

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um sinal de compromisso

Ler próximo texto...

Tema: Jóias Relógios
Um sinal de compromisso\"Rua
Exibir uma aliança de compromisso é, frequentemente, motivo de orgulho e, quando se olha para ela, vai-se rodando-a no dedo e fica-se com aquela expressão ridícula na cara.

Uma questão se coloca: qual a razão de estas alianças de compromisso serem tão fininhas: será porque os seus principais clientes, os jovens, são sujeitos de poucas posses (tendendo as mesadas a emagrecer ainda mais com a crise generalizada) ou porque esse compromisso, não obstante a paixão arrebatadora, é frágil e inseguro?

Sim, porque aqui há que fazer cálculos matemáticos: x compromissos vezes y alianças…com um orçamento limitado sobre um fundo sentimental infinito…

Depois, importa perpassar os tipos destas alianças. Há as provisórias, que duram em média quinze dias; há as voadoras, que atravessam os ares à velocidade da luz quando a coisa dá para o torto; há as que insistem em cair do dedo, sobretudo em momentos em que ter um compromisso se revela extremamente inoportuno; e depois há as residentes, que uma vez entradas não tornam a sair.

Os pombos-correios usam anilhas onde figuram códigos que os identificam. Talvez não fosse completamente descabido fazer umas inscrições deste género em algumas alianças de compromisso por aí…

Só para ajudar os mais esquecidos a recordarem a que “pombal” pertencem.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Um sinal de compromisso

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: ginnerobot

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    22-09-2014 às 05:46:10

    Um sinal de amor e lealdade perpétua! Adoro ver os vários modelos de aliança! Vale a pena escolher uma bem bonita!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios