Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Telemóveis > Um bom celular

Um bom celular

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Telemóveis
Comentários: 2
Um bom celular

Primeiro temos que definir o que é bom para cada pessoa.

Tem gente que gosta de celular que tem tudo: mp3, mp4, toques personalizados, acesso a internet, espaço para dois chips, máquina fotográfica, filmadora, enfim, um verdadeiro combo (do inglês combination).

Tem gente que acha que celular bom é aquele resistente a tombos e quedas, algo inevitável porque sempre o deixamos próximo de nossa mão, na bolsa ou junto ao corpo.

Também há pessoas que confundem o aparelho com sua bateria. Se não bem utilizada, a bateria vicia e torna a utilização plena do aparelho impossível. Para maior durabilidade da bateria o importante é ter uma coisa em mente: para carregá-la deve deixá-la totalmente descarregada. O processo de recarga não deve ser interrompido pois sua interrupção também vicia a bateria. Caso isso ocorra por acidente, após uma interrupção acidental (por manuseio ou oscilação de energia elétrica), não continue o processo, a deixe descarregar novamente, até carga zero. Interessante é ter sempre uma bateria sobressalente, devidamente carregada, principalmente se pretende viajar para local que não sabe se vai ter energia elétrica adequada para carregar a sua bateria (praia, camping, em prática de montanhismo...), pois em certas ocasiões, um celular pode salvar sua vida, caso precise de socorro.

Já que a tecnologia existe para melhorar o nosso dia a dia, um celular também tem que ser pequeno, bonito e por que não barato?

A concorrência das marcas e algumas fábricas instaladas em países com mão de obra barata, deixaram os aparelhos mais acessíveis. Até crianças a partir dos sete anos já tem o seu.

Existem pessoas que confundem também o aparelho com sua operadora. Muitas vezes se está em um local cuja antena ou repetidora não tem cobertura, fica-se sem sinal e culpa-se o celular (o aparelho).

O que ainda incomoda é o preço da tarifa, que até já foi mais cara, mas ainda continua num patamar considerado caro. Com a concorrência também entre as operadoras, é possível fazer pacotes e planos de acordo com o seu perfil de uso. No Brasil existem dois tipos de contas: pós-paga e pré-paga.

Mas o bom é que tem sempre um aparelho de telefonia móvel celular que cabe em seu bolso e uma operadora que ofereça um pacote dentro do seu perfil. O importante é não ficar incomunicável.


Rosana Pegoraro

Título: Um bom celular

Autor: Rosana Pegoraro (todos os textos)

Visitas: 0

637 

Imagem por: samantha celera

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Briana AlvesBriana

    09-11-2014 às 03:11:09

    É verdade. O celular é algo bem particular. Cada pessoa tem uma preferencia. Gostei do seu texto.

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    03-06-2014 às 23:17:54

    Isso é bem particular, pois cada pessoa tem uma necessidade, um gosto, e diante disso é que se deve procurar um bom celular. Tem gente que só quer falar e mandar sms, outros querem com uma câmera boa, e ainda outros querem internet funcionamento bem rápido. Enfim, as opções são diversas, basta escolher!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Um bom celular

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: samantha celera

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios