Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > As reformas religiosas

As reformas religiosas

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
As reformas religiosas

Martinho Lutero foi excluído da igreja Católica, tendo-se dedicado a desenvolver a sua nova doutrina.

A fim de divulgar as suas ideias religiosas fez uma reunião de teólogos, onde definiu os princípios do luteranismo.

Segundo ele, só a deus se devia prestar culto, a sua celebração devia resumir-se á leitura da bíblia e aos cânticos e devia ser feita nas línguas nacionais.

Além disso devia haver só dois sacramentos, como o batismo e a comunhão.

Uma das inovações é que se devia negar a autoridade do papa e o celibato dos sacerdotes.
Ele achava que a igreja tem um caráter nacional, sendo o monarca de cada país o seu chefe religioso.

A imprensa teve um papel importante na divulgação das ideias doutrinárias de Lutero,que depois se estenderam aos outros países do norte da Europa, dando origem a várias doutrinas religiosas que se designam, genéricamente, por Protestantismo.

Calvino é outro nome ligado a estas reformas e, segundo ele o destino de cada pessoa estava predestinado por DEus e nada se podia fazer para o alterar.

O calvinismo deu assim, origem à reforma presbiteriana e estendeu-se rápidanmente pela França, Alemanha, Holanda, Polónia e Hungria.

A Inglaterra também quis desligar-se da Santa sé, tendo sido esta iniciativa movida pelo rei Henrique VIII, em virtude das suas ideias religiosas e pessoais.

Deste modo, a doutrina anglicana, constituíu assim, um compromisso entre o catolicismo e o calvinismo, ou seja era uma mistura das duas.

Estas modificações deram origem a uma divisão entre dois blocos treligiosos, diferentes.
O norte da Europa ficava católico e o sul, protestante.

Estas diferenças e divisões religiosas ainda hoje se mantêm, e são motivo de muitas discórdias e guerras entre os países.

A Europa ficou dividida, logo após o século XVI e, até aos nossos dias.
Na verdade a religião foi sempre alvo de desentendimentos entre todos. O motivo é que uns achavam que se deviam salvar pela fé, outros pelas obras.

Os católicos entendem que a Bíblia e a tradição são fontes de fé, enquanto que os protestantes, dizem que a bíblia é a única fonte de fé.

Por outro lado os católicos preservavam sete sacramentos, enquanto os protestantes só dois.
Os católicos veneram a Virgem Maria e os santos e os outros recusam a sua veneração, os católicos devem obediência ao Papa, ao passo que os protestantes não.

O culto dos católicos éorientado pelos sacerdotes e os protestantes, apenas fazem a leitura da Bíblia e cãnticos.

Estas diferenças deram origem, sempre a grandes guerrilhas e diferenças de mentalidade, política e sociedade diferente.


Teresa Maria Batista Gil

Título: As reformas religiosas

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 0

641 

Comentários - As reformas religiosas

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Boyhood um filme que você não espera muito, mas encontra bastante.

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: DVD Filmes
Boyhood um filme que você não espera muito, mas encontra bastante.\"Rua
Finalmente assisti Boyhood. O filme sugerido por um amigo há alguns dias atrás que, tirando o fato de ser sido feito em 12 anos, nunca tinha me chamado a atenção. Lembro de visto os comentários na época do Oscar, mas mesmo assim não estava empenhado em vê-lo.

Quando me falaram que era estilo real life, torci mais ainda o nariz, achando que veria algo no esquema, “Atividade Paranormal”, que para mim usa a desculpa de “semidocumental” para justificar péssimas atuações.
No entanto, mesmo com a expectativa baixa, nas primeiras cenas do filme já comecei a mudar de ideia e conforme o mesmo avançava iam surgindo frases do tipo: “Opa, talvez só pela trilha sonora já valha a pena! ”, ou “Caraca, essas crianças estão ótimas nesses papéis! ”, ou ainda “Até o Ethan Hawke, está legal nesse filme! ”. Até passar da metade e começarem os comentários tipo: “Ah meu Deus, não quero plot twist, quero que tudo acabe bem com o Mason e sua família”, ou “Por favor sem surpresas no final, eu quero apenas um final feliz! ”.

Eu realmente fiquei muito surpreso com o filme. (SPOILLERS daqui pra frente). Não com o roteiro e como eu disse acima: ainda bem. A história e super comum. O final é comum como o esperado, com exceção da Mãe de Mason, Olivia Ewans. Esta só teve o seu digno final na cerimônia do Oscar quando a atriz Patrícia Arquete, que interpretou a mãe, venceu como atriz coadjuvante, e fez um discurso muito bom sobre a igualdade de direitos entre homens e mulheres.

No filme as situações lembram bastante a realidade, destaco uma cena em que o Ethan Hawke, está conversando com sua nova esposa em uma festa para comemorar a formatura de Mason no colegial e sua ex-sogra, fica interrogando-os com algum assunto qualquer, depois que ela saiu de perto deles eles ficam rindo e fazendo umas caretas comentando tipo: “que conversa estranha! ”, ou algo assim, coisas que todos fazemos, mas muitas vezes nem reparamos. Esses tipos de detalhes do cotidiano foram muito bem captados, pelo diretor e exposto de forma muito natural.

Fica essa dica de um filme muito interessante, que vale a pena ser visto por toda a família, inclusive para quem tem olhos mais clínicos, pois poderá perceber sutilezas nos cenários e nos diálogos que foram muito bem construídos.

Pesquisar mais textos:

Jhon Erik Voese

Título:Boyhood um filme que você não espera muito, mas encontra bastante.

Autor:Jhon Erik Voese(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Leputs 20-08-2015 às 22:32:59

    Boa critica, vim por recomendação de um user de um fórum e acabei lendo suas outras resenhas, na minha opinião as primeiras resenhas que você fez eram mais profissionais, agora elas estão pendendo mais para um lado "não crítico". Recomendo você dar uma relida nas antigas que da para aproveitar muita coisa.
    No mais curti muito sua forma de interpretação e relato. Parabéns.

    ¬ Responder
  • Jhon Erik VoeseJhon Erik Voese

    21-08-2015 às 23:42:37

    Opa obrigado pelo seu tempo e pelo conselho.
    Sem querer me justificar, mas já o fazendo ainda estou trabalhando nesse meu estilo de escrita e por isso tenho experimentado um pouco. Meu intuito na verdade era buscar um diferencial nas críticas e resenhas sem ficar muito preso a somente descrição da obra, mas realmente ser parcial, ou até passional, como você pode ler nessa última, até pra gerar debates e expor um pouco do que eu "senti" logo que terminei de ver os filme, ou de ler os livros. Mas seu conselho está anotado, pois entendo que tenho que encontrar um equilíbrio entre a paixão e o profissional, para que não vire um relato de diário. Mais uma vez agradeço pelo feedback e espero que continue acompanhando, pois muito virá depois destes!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios