Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Processo de transformações revolucionárias em França entre 1789 e 1791

Processo de transformações revolucionárias em França entre 1789 e 1791

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 2
Processo de transformações revolucionárias em França entre 1789 e 1791

A nível económico os agricultores estavam preocupados com a baixa dos preços e dos lucros do trigo e do vinho. Houve uma quebra do comércio colonial, havia poucas possessões coloniais, a taxa de livre-câmbio levou ao desemprego na França devido ao Tratado de Eden, apoderando-se neste país uma grave crise financeira e uma bancarrota estatal, a somar à crise económica veio o défice crónico das finanças. Estes problemas levaram a outros, como o aumento do défice do orçamento de estado e aumento da dívida pública.

A nível político, Luís XVI, sucessor de seu pai, Luís XV e de Luís XIV, o rei sol, sobe ao trono em 1774, tentando, por várias vezes, resolver a crise económica. Turgot liberalizou o comércio de cereais e propôs substituir a corveia real pela subvenção territorial, Nocker, Colanne e Brienne aboliram os privilégios tributários e a Assembleia dos Notáveis opunha-se às reformas políticas. Incapaz de acabar com a agitação social, Luís XVI convoca os Estados Gerais, em 1789.

Nesta altura, a mentalidade era de crítica racional ao Mundo. Os meios de difusão eram: livros, folhas avulsas, jornais, panfletos, entre outros. Entretanto, novos meios de sociabilidade surgiram, como cafés e clubes. A defesa dos direitos civis fica em voga: igualdade, fraternidade, tolerância, patriotismo e liberdade.

Em 1789, houve a abertura dos Estados Gerais, em Versalhes. Isto deveu-se ao Terceiro Estado pedir o voto por cabeça e não por ordem. A primeira coisa a fazer foi o «Caderno de Queixas». No entanto, as expetativas do Terceiro Estado foram em vão, pois o Clero e a Nobreza querem preservar os seus privilégios. O rei não reage. Então o Terceiro Estado jura redigir uma nova constituição.

A 14 de Julho de 1789 ocorreu a Tomada da Bastilha, uma revolta do povo, indignado com a situação do país. A Tomada da Bastilha consistiu na tomada da fortaleza-prisão do absolutismo à procura de armas.

Na última quinzena de Julho, a França foi varrida por uma revolução camponesa, a Grande Medo. Esta revolução levaria os nobres a consentirem a supressão dos direitos e privilégios feudais. A Assembleia determinou um decreto onde acabou com o regime feudal e instituiu a igualdade das ordens face aos impostos.


Daniela Vicente

Título: Processo de transformações revolucionárias em França entre 1789 e 1791

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 2

625 

Comentários - Processo de transformações revolucionárias em França entre 1789 e 1791

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios