Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > A pena de morte: a favor ou contra

A pena de morte: a favor ou contra

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 6
Comentários: 3
A pena de morte: a favor ou contra

A pena de morte consiste na condenação de um indivíduo por parte do poder legislativo de um Estado. O assassinato, espionagem, estupro, adultério e corrupção são alguns crimes que podem levar o indivíduo à pena de morte. Já foi abolida em quase todos os países da Europa e da Oceânia. Contudo, a grande maioria dos países da América, África e Ásia ainda mantêm a pena de morte.

Expomos aqui alguns métodos com que se pode praticar a pena de morte: asfixia, esmagamento, cadeira elétrica, desmembramento, afogamento, câmara de gás, injeção letal, fuzilamento, entre outros.

Podemos considerar como argumentos a favor da pena de morte: a lei como autoridade terrena pode condenar um individuo à morte; a pena de morte esteve sempre presente na história da humanidade e serve de exemplo para a população; eliminação de indivíduos perigosos para a sociedade; há crimes e indivíduos em que a pena de morte é a mais adequada; a sociedade não quer que o seu dinheiro, o dos impostos, seja utilizado para ajudar de qualquer forma os criminosos.

Argumentos contra da pena morte podemos considerar: a possibilidade de matar inocentes; Só Deus tem o direito de decidir quem e quando deve morrer; a pena de morte não resolve o problema; ajudar o criminoso a encontrar o seu caminho na via legal; «a vida humana não tem preço», como vem na Bíblia, no Êxodo; os índices de criminalidade são mais altos nos países que praticam pena de morte; a prisão perpétua pode ser uma solução para o condenado; saber perdoar é um dom; oportunidade de estudar este tipo de criminoso e perceber os motivos que o levam a fazer mal.

Não existe nem nunca vai haver um consenso sobre este assunto. A pena de morte acompanha-nos há vários séculos e parece que em alguns países ela vai continuar a fazer parte da história. No entanto, muitas são as pessoas, os povos e os países a lutar para o fim da pena de morte. Os países ocidentais foram os primeiros a libertarem-se.

Agora compete a cada um formar a sua própria opinião e lutar por ela, nomeadamente, se vive num país com pena de morte.


Daniela Vicente

Título: A pena de morte: a favor ou contra

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 6

802 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Rafaela CoronelRafaela

    18-08-2014 às 05:38:05

    Deveria haver pena de morte para colocar medo, terror na mente desses homens cruéis. Assim, não haveria tanta gente inocente nas mãos desses assassinos, ladrões, e demais pessoas que não tem um pingo de amor pelas pessoas.

    ¬ Responder
  • Magda

    09-04-2013 às 13:38:50

    Pois,na minha opniao a pena de morte deve prevalecer porque muitos criminosos estao soltos e convictos de praticar enumerosos sem nenhum pudor,e muitos inocentes sao vitimas e vivem no maior sofrimento e sem ninguem que os defenda,segundo a biblia "ninguem tem o direito de tirar a vida do outro só deus", só que eu pergunto:somente um criminoso é que tem esse direito e onfendido nao? Que justica é essa que so existe para uns e para outros nao? Eis a questao de se votar a favor da pena de morte.

    ¬ Responder
  • Lane

    13-06-2014 às 11:55:01

    A favor!

    ¬ Responder

Comentários - A pena de morte: a favor ou contra

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios