Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Electrodomésticos > Fogões a lenha

Fogões a lenha

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Electrodomésticos
Visitas: 2
Comentários: 1
Fogões a lenha

Você sabia que existem fogões a lenha produzidos para uso doméstico e com sofisticação? Pois bem, eles existem e podem ser mixtos, que quer dizer, tanto podem ser usados com lenha como com gás, projetados de acordo com o ambiente onde será instalado. Os modelos atuais, são fabricados visando evitar fumaça e fuligem durante o cozimento.

Quando falamos em fogão a lenha, é fácil nos reportarmos a uma vida no campo, na roça ou pensar em um tempo muito antigo mas não é bem assim. Se falarmos em pizza crocante e empadadinhas feitas no forno a lenha, diremos:fica tudo uma delícia. E que tal aquele churrasco de fim de semana? Nada mal, hein? Sei que aqui estou me referindo a churrasquieras e fornos, é verdade mas, parece que dá um outro sabor quando preparados assim, ou talvez seja mesmo saudosismo. Nada disso! Até peixe assado em forno a lenha é maravilhoso. É evidente que o forno elétrio, o convencional e o micro-ondas, estão inseridos em nossas cozinhas mas, que tal(se for possível), abrir espaço para mais um?

Tem um assunto que não quer calar, vamos lá: numa época em que discutimos preocupação com o meio ambiente, falar em fogão a lenha pode parecer voltar no tempo. Não é bem assim, ao adquirir lenha, deve-se comprar só lenha legalizada, isso mesmo, tenha esse compromisso.

Alguns fabricantes de fogões a lenha, buscam produzir linhas de fabricação com menor emissão de partículas de monóxido de carbono.

Em determidas regiões, o método de cozimento mais indicado é o fogão a lenha mas nas grandes cidades também é possivel como dissemos antes, levando em conta todos os fatores como: tamanho,se é para uso diário, espaço no local onde será instalado, tipo, se prefere rústico ou moderno, com ou sem forno. Tudo deve ser levado em conta e avaliado, melhor ainda se for com ajuda profissonal, ele poderá auxiliar e tirar dúvidas. As empresas que fabricam e comercializam essse tipo de fogão, costumam disponibilizar funcionários para avaliação a fim de que haja satisfação por parte daqueles que estão adquirindo. Falando assim em projetos, pode parecer que o custo fica muito alto e que poucos pode desfrutar. Nem tanto, faça uma cotação de mercado, prazo de entrega, manutenção, que tudo fique dentro das suas condições. No mais, convide a família,os amigos, vizinhos, invente receitas, prepare deliciosos quitutes e saboreie tudo que preparar com muito gosto no seu o fogão a lenha.


Sílvia Baptista

Título: Fogões a lenha

Autor: Sílvia Baptista (todos os textos)

Visitas: 2

791 

Imagem por: mahalie

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    28-04-2014 às 05:49:38

    É bem verdade que os fogões a lenha são muito mais que o pensamento de campo, roça. Eles são muito utilizados em estabelecimentos até bem famosos, e nos lares de muitas pessoas. Obrigada por seu texto ser bem interessante.

    ¬ Responder

Comentários - Fogões a lenha

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Imagem por: mahalie

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios