Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Desporto > Street Surfing

Street Surfing

Categoria: Desporto
Visitas: 2
Comentários: 10
Street Surfing

Numa tradução literal, este desporto consta de “surfar nas ruas”. Surgido na Califórnia (Estados Unidos) em 2005, é já praticado um pouco por todo o mundo, havendo milhares de jovens adeptos desta modalidade. É uma mistura do melhor que há no skate, no surf e no snowboard e permite manobras radicais, uma vez que a plataforma utilizada, a wave, semelhante a um skate, tem apenas duas rodas que giram 360 graus e um eixo em aço inox flexível, com propulsão de movimentos, sem necessidade de pôr os pés no chão. Na verdade, com um peso acercado dos quatro quilos, possibilita atingir grandes velocidades, com manobras fáceis, reeditando os melhores movimentos do surf, num contexto de maior radicalidade do que a proporcionada pelo skate convencional.

O street surfing consiste em fazer manobras em muros, escadarias e marquises, tal como se faz na água. Trata-se de surfar a seco, voando, em muitos casos, como um pássaro ou conseguindo proezas como o Super-Homem. Ao que parece, e segundo os que já experimentaram, dá a sensação de se estar mesmo em cima da onda… Não obstante, é melhor não se abstrair demasiado, não vá acontecer ser-se forçado(a) a aterrar, de repente, com os pés (e sabe-se lá mais o quê) em terra (demasiado) firme! A wave (onda, em inglês) é real, mas urbana; nada tem de soft e a possibilidade de quedas não está fora de cogitação. Contudo, os eventuais tombos terão lugar num corpinho em super forma, já que o street surfing trabalha várias famílias de músculos.

Embora dê para fazer uma infinidade de manobras, como no skate, no surf ou no snowboard, o street surfing ambiciona uma faceta de lazer, facultando a prática de toda a família. Naturalmente que será aconselhável fixar dentes postiços, cabeleiras e outros “acessórios”, e assegurar-se da firmeza de próteses ortopédicas e outras vicissitudes que a idade e as circunstâncias da vida foram aportando, just in case…

O street surfing é bem mais simples de aprender e de executar do que o surf. Ao cabo de meia hora, uma pessoa com uma aselhice dentro da média já é capaz de andar sózinha, coisa que na água as verdadeiras ondas dificultam e adiam, por vezes ad eternum. Alcançar o domínio, objectivo tão perseguido em diversas áreas da vida, é o segredo do sucesso no contexto do street surfing, apesar de se andar aos “ésses”. Mas, atenção! Recomenda-se vivamente o uso de capacetes e outros adornos de protecção sempre que se pular para cima de uma wave, não vá o diabo tecê-las…!

Maria Bijóias

Título: Street Surfing

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 2

792 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 10 )    recentes

  • Yuri SilvaYuri

    05-10-2014 às 21:58:52

    Muito louco esse street surfing! Para quem ama aventurar é bem prazeroso e legal! O que mais gosto de ver são essas manobras radicais. Muito showww!

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    26-04-2014 às 22:20:13

    Admiro quem pratica, mas eu mesma não sei se conseguiria...heheh..Adorei conhecer mais de Street Surfing, muito obrigada!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãooi? xou eu!

    28-03-2011 às 23:17:12

    esta maix aux menox exta cena! curtix á brava xD

    ¬ Responder
  • Tom DantasTom Dantas

    25-01-2011 às 22:27:02

    Infelizmente, ainda é difícil achar venda de acessórios no Brasil.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãoadepta do street surfing forever- marta santos

    09-01-2011 às 11:50:40

    adorei ler sobre street surfing pois é um desporto que adoro e que quero começar a dominar... para isso acho que primeiro devemos saber um pouco sobre a sua historia e sobre que desportos é que abrange e como/em que circunstancias abrange!!!

    ¬ Responder
  • marianamariana

    17-07-2010 às 18:40:14

    e curtido street surfing

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãojony

    03-07-2010 às 20:32:40

    vou tentar fazer uma street surfing de pois eu digo se consegui

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoJorge

    11-03-2010 às 15:07:00

    @ines
    olá!voce faz street surfing?

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãopeter

    05-05-2014 às 23:27:45

    jonas claro que sim a 3 anos...e o maximo

    ¬ Responder
  • inesines

    11-03-2010 às 14:26:42

    ola

    ¬ Responder

Comentários - Street Surfing

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um caminho para curar o transtorno alimentar

Ler próximo texto...

Tema: Saúde
Um caminho para curar o transtorno alimentar\"Rua
De acordo com um relatório divulgado em novembro de 2014 pelo Comitê Permanente sobre o Status da Mulher, entre 600 mil a um milhão de canadenses cumprem os critérios diagnósticos para um transtorno alimentar em um dado momento. Problemas de saúde mental com ramificações físicas graves, anorexia e bulimia são difíceis de tratar.

Os programas públicos de internação frequentemente não admitem pacientes até que estejam em condição de risco de vida, e muitos respondem mal à abordagem em grupo. As clínicas privadas costumam ter listas de espera épicas e custos altos: um quarto custa de US$ 305 a US$ 360 por dia.


Corinne lutou juntamente com seus pais contra a bulimia e anorexia por mais de cinco anos. Duffy e Terry, pais de Corinne, encontraram uma clínica na Virgínia. Hoje, aos 24 anos, ela é saudável e está cursando mestrado em Colorado. Ela e seus pais acreditam que a abordagem holística, o foco individualizado e a estrutura imersiva de seu tratamento foram fundamentais para sua recuperação.

Eles sabem que tinham acesso a recursos exclusivos. "Tivemos sorte", diz Duffy. "Podíamos pagar por tudo." Mas muitos não podem.
A luta desta família levou-os a refletir sobre o problema nos Estados Unidos. Em 2013, eles fundaram a Water Stone Clinic, um centro privado de transtornos alimentares em Toronto. Eles fazem yoga, terapia de arte e participam na preparação de refeições, construindo habilidades na vida real com uma equipe de apoio empática. Os programas funcionam nos dias da semana das 8h às 14h, e até agora, não tem lista de espera. Porém essa abordagem é onerosa: aproximadamente US$ 650 por dia.

A família criou a Fundação Water Stone - uma instituição de caridade que fornece ajuda a pacientes que não podem pagar o tratamento. Os candidatos são avaliados por dois comitês que tomam uma decisão baseada na necessidade clínica e financeira. David Choo Chong foi o primeiro a se beneficiar da fundação. Ele havia tentado muitos programas, mas nenhum foi bem sucedido. A fundação pagou metade do tratamento. Dois anos depois, Choo Chong, feliz e estável diz "Water Stone me ajudou a encontrar quem eu sou".

Pesquisar mais textos:

Roberta Darc

Título:Um caminho para curar o transtorno alimentar

Autor:Roberta Darc(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios