Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Desporto > Bicicletas versus carros

Bicicletas versus carros

Categoria: Desporto
Visitas: 2
Comentários: 2
Bicicletas versus carros

Bicicletas? Vanguarda???

Aquelas coisas de duas rodas em que se sua a dar ao pedal? Em que se está sujeito ao vento e ao frio? Acho que então prefiro ser retrógrado.
Diga lá, confesse, não foi isso o que pensou?

Afinal até tem sentido. Batalhou e esforçou-se tanto para ter o conforto de andar de carro. Ou ainda não o tem mas é uma meta a atingir.
Mas, vejamos, porque é que há-de ser automóvel versus bicicleta?
Vamos lá pôr de lado por um momento o automóvel (que é muito útil, sim senhor) e concen-trarmo-nos na bicicleta.

Comecemos pelas questões ecológicas. Até pode haver quem diga que hoje em dia está na moda falar das questões ambientais mas o problema é que para a grande maioria das pes-soas o que tem estado na moda é falar e não praticar os cuidados com o ambiente.

A bicicleta é um meio de transporte não poluente, económico e saudável. E isto por vários motivos.

O mais óbvio será o de que não emite gases altamente nocivos e prejudiciais para a saúde da natureza e de todos nós. Ao ser utilizada não consome energia (para além de quem a maneja mas isso resolve-se com uns bons goles de água ou uma apetitosa sandocha que até se desfruta enquanto se pedala). Não consome tantos materiais e energia no seu fabrico como é o caso de outros meios de transporte. Tem uma maior durabilidade. A verdade é que não existe a tendência de a estar sempre a trocar pelo modelo mais recente como é habitual com o automóvel e por outro lado também existe o hábito de a mesma bicicleta ir sendo usada sucessivamente pelos vários membros mais novos da família. A bicicleta é normalmente um bem que é utilizado até ao fim da sua vida útil. Também ocupa menos lugar, em casa, na garagem, nas ruas, nos estacionamentos e desgasta menos o pavimento das ruas. Por outro lado o ciclismo é um desporto que para além de poder ser praticado em família, em passeio, descontraidamente, é uma forma divertida de se manter em forma e de perder o excesso de calorias que muitas vezes a nossa “gulodice” nos faz ingerir mais do que deveríamos para bem da nossa saúde e consequentemente da nossa qualidade de vida.

Compreende-se assim porque é que em sociedades dominadas pelo automóvel se encon-tram cada vez mais pessoas a utilizarem as bicicletas nos seus vários fins bem como as enti-dades oficiais e instituições a incentivarem e facilitarem a sua utilização. Por exemplo o município de Paris criou em 2007 um sistema de transporte por bicicleta começando por disponibilizar 14000 bicicletas em mil pontos de estacionamento.
Também cada vez mais se encontram percursos de ciclo turismo não só em ambiente urbano como rural e/ou na natu-reza.

Vá lá, desencante a sua velha bicicleta ou vá à procura de uma.
Encontra-as de todas as for-mas, feitios e preços. Como em grande parte das coisas não é preciso termos o melhor modelo, o mais caro, o mais vistoso, para podermos desfrutar do prazer de a utilizar.

Sim, porque é um prazer andar de bicicleta. Experimente.



Isabel Rebelo

Título: Bicicletas versus carros

Autor: Isabel Rebelo (todos os textos)

Visitas: 2

636 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Kizua UriasKizua

    30-06-2014 às 20:54:44

    As ciclovias iriam ajudar muito se fossem colocadas em primeiro plano de qualquer cidade. Os riscos de acidentes, poluição, congestionamento iriam diminuir significamente, além de melhorar a saúde do povo! Adoro bicicletas...

    ¬ Responder
  • IgorIgor

    15-07-2009 às 01:06:47

    Pai nosso que estás na Holanda,
    Bicicletário seja o teu nome.
    Venha a nós as tuas ciclofaixas,
    seja feita a tua rota segura
    assim na pista como na calçada.
    O pedal nosso de cada dia nos dá hoje.
    Perdoa-nos nossas contramãos,
    assim como nós perdoamos os motoristas que nos tem massacrado.
    E não nos deixeis cair nos bueiros,
    mas livra-nos das vans e dos ônibus,
    pois teu é o paralama, o bagageiro e a campainha
    para sempre.
    Amém.

    ¬ Responder

Comentários - Bicicletas versus carros

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como cuidar de Plantas de interior

Ler próximo texto...

Tema: Bricolage Jardim
Como cuidar de Plantas de interior\"Rua
Cada planta tem um comportamento diferente, vou colocar aqui alguns cuidados que servem para a maioria delas.

LUZ:

Os principais erros no cultivo de plantas de interior é a falta de luz.
Se elas estiverem em locais onde não há luz suficiente, isso pode ser corrigido com a instalação de luz artificial, existe no mercado lâmpada que imitam a luz natural.


TEMPERATURA:

Mudanças bruscas de temperatura retardam e até paralisa o crescimento da planta, bem como causa a queda de folhas.


UMIDADE:

A maioria das plantas necessita de uma umidade atmosférica adequada.
Normalmente notamos que a planta não está com a umidade correta quando acontece ficarem amarelas e a queda de folhas.


IRRIGAÇÃO:

Conselhos básicos:
Uma planta em fase de crescimento vai precisar de mais água que uma que está em fase de dormência, ou já atingiu o seu tamanho adulto.
Durante a floração a planta precisa de mais água que em sua fase de crescimento
Em ambientes internos mais quentes é evidente que a planta vai precisar de mais águas que em ambientes mais frios.
Para saber qual é o momento exato de molhar, enfie o dedo no substrato, se sentir ele seco, chegou a hora

FERTILIZANTE:

Para que a planta tenha um desenvolvimento harmonioso convém usar periodicamente de fertilizantes que podem ser líquido ou sólidos.
No mercado existe a venda fertilizante com fórmulas específicas para cada planta.
Após a utilização do fertilizante regue a planta.

LIMPEZA:

Faça regularmente a limpeza de folhas secas e caule, pois elas são bastante positivas não só esteticamente como para a saúde das plantas.
Se estiver acumulada muita poeira sobre as folhas, espane, e depois passe um pano húmido
Atenção: Existe algumas espécies, que tem as folhas aveludadas, tipo a Violeta Africana, Begônia Rex, etc. que não deve ser colocada água é só usar uma escovinha bem macia.

TROCA DE VASO:

De uma maneira geral após 1 ou 2 anos as plantas de interior devem ser colocadas em vasos de tamanho maior.
Isso deve ser feito porque as raízes passam a ocupar um grande espaço e também porque o substrato vai perdendo sua composição inicial.
A época mais adequada varia de planta para planta, algumas devem ser feitas na primavera e outras quando estão na fase de repouso.
Aproveite para obterem mudas, separando brotos e dividindo touceiras.

Pesquisar mais textos:

Miguel Pereira

Título:Como cuidar de Plantas de interior

Autor:Miguel Pereira(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Briana AlvesBriana

    13-10-2014 às 04:09:31

    Muito bom! É tão gratificante cuidar de plantas. A gente vê o quanto elas florescem quando são bem-cuidadas. Amei as dicas!

    ¬ Responder
  • Rua DireitaRua Direita

    18-04-2014 às 22:36:55

    Fantástico seu texto, a Rua Direita agradece!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios