Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Beleza > Emagreça com alegria

Emagreça com alegria

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Beleza
Comentários: 1
Emagreça com alegria

Porque o sol e o calor estão a chegar, é importante cuidar da sua silhueta, para estar em boa forma, saudável e atraente.

É muito difícil resistir aos apelos que as esplanadas e as praias nos fazem quando começam a surgir os primeiros dias de calor por isso é tão importante cuidar do corpo para que fique em harmonia com a estação tão propícia a tomar banhos de piscina, de mar ou de simplesmente ficar a ler e conversar numa esplanada. Mas, para isso é importante usar roupas leves e soltas para o calor não atrapalhar.

Aposte então numa forma de emagrecer saudável, alegre e tão natural possível.
Contráriamente aos tempos anteriores, hoje já não há necessidade de fazer uma cura de emagrecimento, com recurso a medicamentos fortes, perdendo o apetite com eles ou até deixar de comer como muita gente faz.

Opte de preferência por fazer um programa alimentar, com poucas calorias, vitaminas e sais minerais. E, associar a uma longa caminhada ou exercícios físicos, pelo menos três vezes por semana.

Pode ainda tomar alguns suplementos vitamínicos e cortar em alimentos gordurosos, fast-food, fritos, doces e sal. Prefira beber líquidos de qualidade,como beber água ao longo do dia(não ás refeições), sumos de frutas naturais e especialmente chás verde ou vermelho biológico, próprios para emagrecer.

Para usufruir em pleno dos benefícios das férias e vestir roupas com alças ou calções, começe a tomar chás e suplementos vitamínicos um mês antes de se expor ao sol ou praia.
Tome ainda plantas depurativas, para eliminar as toxinas que se formam constantemente no organismo e fazem desaparecer os inchaços do ventre e purificam todo o organismo. Por outro lado facilitam a transpiração digestão e flatulências.

Para ter menos fome deve comer-se mais vezes durante o dia e pouco. Esta é uma das regras a seguir para não adquirir gorduras localizadas na barriga ou coxas, bem como celulite. É de limitar ainda os hidratos de carbono, presentes na (massa, pão e arroz)e dar mais importancia a alimentos cozidos, grelhados ou estufados em pouca gordura(um fio de azeite e nada de manteigas ou óleo. Os alimentos biológicos são preferíveis, bem como sumos de frutos silvestres.

Com efeito, se escolher os alimentos ideais, bem como bebidas e exercícios adequados, pode desfrutar de uma excelente dieta e plano alimentar, sem grandes gastos, natural e com vitaminas.

Sorria de vez porque deste modo vai emagrecer de certeza, sem muito esforço.

E, não se esqueça do chá verde ou vermelho e de beber oito copos de água distribuídos ao longo do dia.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Emagreça com alegria

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 0

607 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Rafaela CoronelRafaela

    10-09-2014 às 17:08:47

    Quando tentamos emagrecer com alegria, tudo flui melhor e de forma maia eficaz! Temos que levar o bom humor sempre em nossas atividades. Pode ter certeza que os resultados serão bem maiores.

    ¬ Responder

Comentários - Emagreça com alegria

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios