Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > Museu Nacional dos Coches

Museu Nacional dos Coches

Categoria: Arte
Museu Nacional dos Coches

O museu Nacional dos coches é um monumento muito belo, que retrata os passeios do século VXII a XIX.

Este museu foi criado por iniciativa da rainha D. Amélia Orléans e Bragança. filha dos condes de Paris e mulher de D. Carlos I, rei de Portugal.

O local escolhido para o museu foi sem dúvida muito bonito, em Lisboa, no edifício do Pecadeiro Real do Palácio de Belèm, que deixou de ser utilizado para atividades equestres, e começou a servir apenas como um depósito de viaturas da Casa Real.

O projeto deste belo empreendimento, foi entregue a um arquiteto de nome Rosendo Carvalheira e as respetivas obras de pintura , aos pintores José Malhoa e Conceição e Silva.
Foi inaugurado pela própria rainha D. Amélia, como Museu dos Coches Reais.

A primeira coleção incluía vinte e nove viaturas, fardas da Casa Real, arreios de tiro e acessórios de cavalaria que pertenciam à família real.

Anos mais tarde, com a implantação da República, em 1910, a coleção foi aumentada com outras viaturas, que provinham de depósitos da coroa, nomeadamente do Patriarcado de Lisboa e de algumas casas nobres, obrigando o museu a obras de ampliação.O seu crescimento foi tão grande que em 1984, foi criado um anexo na cocheira e cavalariças do Paço Ducal de Vila Viçosa, onde se apresentam viaturas de coleção do Museu, que estava de reserva e que tinha ocarros do século XiX e XX, que eram pertença do visconfde da Corte e de S. Martinho.
A coleção é sem dúvida única no mundo, só de viaturas de gala, provenientes dos bens da coroa e da propriedade real portuguesa.

O museu Nacional dos Coches, inclui no seu espólio, coches, carruagens, berlindas, liteiras ecarrinhos para criança.

É de uma excelente qualidade e permite aos seus visitantes a compreensão técnica e artística da tração animal da época.

Dela, se destaca o coche de Filipe II, construído em Espanha, no século XVI, um dos modelos de coche mais antigo.

São ainda de particular relevo, os do paoa Clemente Xi, construído em Roma,exemplare perfeito de aparato, e alusivos aos Descobrimentos.

O museu fica situado próximo do Tejo, na Zona ocidental de Lisboa.

Não admira que seja visitado por milhares de turistas todos os anos,e por esta zona de Bel~em ser tão bonita.


Pedro gil Ferreira

Título: Museu Nacional dos Coches

Autor: Pedro gil Ferreira (todos os textos)

Visitas: 0

623 

Comentários - Museu Nacional dos Coches

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

A arte de trabalhar a madeira

Ler próximo texto...

Tema: Serviços Construção
A arte de trabalhar a madeira\"Rua
A carpintaria constitui, digamos assim, a arte de trabalhar a madeira. É claro que, de acordo com o produto final, se percebe bem que uns carpinteiros são mais artistas do que outros…

Às vezes nem se trata tanto dos pormenores, mas mesmo de desvirtuar o que era a ideia inicial e constava da encomenda. Mal comparado, quase se assemelha à situação daquela aspirante a costureira que pretendia fazer uma camisola para o marido e, no fim, saíram umas calças!

Na construção civil, a madeira é utilizada para diversos fins, temporários ou definitivos. Na forma vitalícia (esperam os clientes!) incluem-se estruturas de cobertura, esquadrias (portas e janelas), forros, pisos e edifícios pré-fabricados.

Quase todos os tipos de madeira podem ser empregues na fabricação de móveis, mas alguns são preferidos pela sua beleza, durabilidade e utilidade. É conveniente conhecer as características básicas de todas as madeiras, como a solidez, a textura e a côr.

Ser capaz de identificar o género de madeira usado na mobília lá de casa pode ajudar a determinar o seu real valor. Imagine-se a possibilidade de uma cómoda velha, que estava prestes a engrossar o entulho para a recolha de lixo, ter sido feita com o que hoje se considera uma madeira rara.

É praticamente equivalente a um bilhete premiado do Euromilhões, dado que se possui uma autêntica relíquia! Nestes casos, a carpintaria entra na área do restauro e da recuperação. Afinal, nem tudo o que é velho se deita fora…

Por outro lado, as madeiras com textura mais fraca são frequentemente manchadas para ganhar personalidade. Aqui há que remover completamente o acabamento para se confirmar a verdadeira natureza da madeira.

É assim também com muita gente: tirando a capa, mostram-se autenticamente. Mas destes, nem um artificie com “bicho-carpinteiro” consegue fazer nada…!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:A arte de trabalhar a madeira

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    23-09-2014 às 13:23:35

    Uma excelente técnica que penso ser muito bonito e sofisticado. A arte de trabalhar madeira está sempre em desenvolvimento e crescimento.

    ¬ Responder
  • Rua DireitaRua Direita

    01-06-2014 às 05:18:46

    É ótimo o trabalho com a madeira. Pode-se perceber grandes obras que se faz com ela. Realmente, é uma verdadeira arte!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios