Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Viagens > Leiria – a cidade do pitoresco e da modernidade

Leiria – a cidade do pitoresco e da modernidade

Categoria: Viagens
Comentários: 1
Leiria – a cidade do pitoresco e da modernidade

Leiria é desde logo, pela sua localização geográfica privilegiada, uma cidade por onde passa uma diversa panóplia de visitantes. De facto, a sua proximidade das praias da Nazaré, do Santuário de Fátima e dos mosteiros da Batalha e de Alcobaça trazem a Leiria diferentes tipos de excursionistas: veraneantes, peregrinos, amantes da História, da cultura e da arte… Não obstante, a cidade do Lis, cujas calmas águas convidam a relaxar, bastar-se-ia no que toca a pontos de interesse, sem necessidade da coadjuvação dos vizinhos.

Aliando traços de uma inadiável modernidade a um carácter pitoresco que os seus monumentos exalam, Leiria é dotada de uma personalidade e de uma ambiência únicas. Paralelamente, são desenvolvidas com regularidade iniciativas pela e para a cidade, dotadas de cariz pedagógico, lúdico e social, onde reinam a imaginação, a alegria, o convívio, a amizade, a transmissão de valores, a criatividade, a interacção familiar e toda uma série de aprendizagens úteis.

O castelo de Leiria é talvez a edificação mais conhecida desta metrópole, sendo a sua magnificência incontornável. Na verdade, serviu de cenário a vários acontecimentos de relevo, tendo sido conquistado aos mouros por D. Afonso Henriques, em 1135. Depois de algumas lutas e da perda de posse, em 1190 D. Sancho I reedificou este castelo.

Em 1325, D. Dinis mandou construir a torre de menagem, que se conservou e que presentemente alberga um núcleo museológico, onde é possível contemplar objectos arqueológicos procedentes da escavação no recinto da torre e réplicas de armamento medieval.
Entre 1898 e 1944, o castelo foi restaurado por Ernesto Korrodi. A entrada na fortificação conduz o visitante a um pátio amplo e florido. À esquerda, há uma escada que leva ao centro do castelo. Para lá da torre de menagem, encontram-se os restos da igreja de Santa Maria da Pena, que preserva ainda uma capela-mor digna de apreciação. No espaço outrora destinado ao Paço Real está agora uma galeria de arcadas ogivais e pode ter-se uma esplêndida perspectiva sobre Leiria.

Descendo pelas ruas, a Praça Rodrigues Lobo, que acolhe a estátua do poeta leiriense com o mesmo nome, é emblemática. Outro poeta da terra, Afonso Lopes Vieira, detém, de igual modo, uma estátua no sítio onde nasceu e viveu. No espaço do antigo Rossio de D. Luís, a imponente Fonte Luminosa exibe uma escultura de Lagoa Henriques. Do património religioso destacam-se a igreja românica de S. Pedro (classificada como monumento nacional desde 1911) e a Sé (erigida entre 1559 e 1574, que ostenta três naves com influências do gótico e um altar-mor exibindo um retábulo do século xvi).

Ainda no Largo da Sé, é de admirar a bela fachada de azulejos da antiga farmácia Paiva. O eixo vital da zona antiga de Leiria vai da Sé ao Terreiro, caminhando pela Rua Direita. Para terminar, nada melhor do que gozar do merecido descanso no Marachão, às margens do rio Lis, de onde se pode apreciar uma bonita vista para o castelo.


Maria Bijóias

Título: Leiria – a cidade do pitoresco e da modernidade

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

633 

Imagem por: amaianos

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    14-06-2014 às 06:16:07

    Já gostei de Leiria por conta de seu castelo, que genial! Mas, seus atrativos devem ser maravilhosos mesmo.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Leiria – a cidade do pitoresco e da modernidade

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como cuidar de Plantas de interior

Ler próximo texto...

Tema: Bricolage Jardim
Como cuidar de Plantas de interior\"Rua
Cada planta tem um comportamento diferente, vou colocar aqui alguns cuidados que servem para a maioria delas.

LUZ:

Os principais erros no cultivo de plantas de interior é a falta de luz.
Se elas estiverem em locais onde não há luz suficiente, isso pode ser corrigido com a instalação de luz artificial, existe no mercado lâmpada que imitam a luz natural.


TEMPERATURA:

Mudanças bruscas de temperatura retardam e até paralisa o crescimento da planta, bem como causa a queda de folhas.


UMIDADE:

A maioria das plantas necessita de uma umidade atmosférica adequada.
Normalmente notamos que a planta não está com a umidade correta quando acontece ficarem amarelas e a queda de folhas.


IRRIGAÇÃO:

Conselhos básicos:
Uma planta em fase de crescimento vai precisar de mais água que uma que está em fase de dormência, ou já atingiu o seu tamanho adulto.
Durante a floração a planta precisa de mais água que em sua fase de crescimento
Em ambientes internos mais quentes é evidente que a planta vai precisar de mais águas que em ambientes mais frios.
Para saber qual é o momento exato de molhar, enfie o dedo no substrato, se sentir ele seco, chegou a hora

FERTILIZANTE:

Para que a planta tenha um desenvolvimento harmonioso convém usar periodicamente de fertilizantes que podem ser líquido ou sólidos.
No mercado existe a venda fertilizante com fórmulas específicas para cada planta.
Após a utilização do fertilizante regue a planta.

LIMPEZA:

Faça regularmente a limpeza de folhas secas e caule, pois elas são bastante positivas não só esteticamente como para a saúde das plantas.
Se estiver acumulada muita poeira sobre as folhas, espane, e depois passe um pano húmido
Atenção: Existe algumas espécies, que tem as folhas aveludadas, tipo a Violeta Africana, Begônia Rex, etc. que não deve ser colocada água é só usar uma escovinha bem macia.

TROCA DE VASO:

De uma maneira geral após 1 ou 2 anos as plantas de interior devem ser colocadas em vasos de tamanho maior.
Isso deve ser feito porque as raízes passam a ocupar um grande espaço e também porque o substrato vai perdendo sua composição inicial.
A época mais adequada varia de planta para planta, algumas devem ser feitas na primavera e outras quando estão na fase de repouso.
Aproveite para obterem mudas, separando brotos e dividindo touceiras.

Pesquisar mais textos:

Miguel Pereira

Título:Como cuidar de Plantas de interior

Autor:Miguel Pereira(todos os textos)

Imagem por: amaianos

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Briana AlvesBriana

    13-10-2014 às 04:09:31

    Muito bom! É tão gratificante cuidar de plantas. A gente vê o quanto elas florescem quando são bem-cuidadas. Amei as dicas!

    ¬ Responder
  • Rua DireitaRua Direita

    18-04-2014 às 22:36:55

    Fantástico seu texto, a Rua Direita agradece!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios