Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Serei viciado em S...?

Serei viciado em S...?

Categoria: Outros
Serei viciado em S...?

Para os que pensam que não é preocupante, para outros é viver numa luta constante. Qualquer vício é transtornante e pode ganhar proporções de tal forma descontroladas que danifica o bem-estar de qualquer um de nós.

Muitos homens se deparam com uma questão que pode muitas vezes causar mal-estar. Serei ou não viciado no s...?

Bem, antes de mais é importante saber se o que terá não é um apetite voraz na prática de s..., apesar de este facto não estar muito longe do vício.

Detectar um viciado em s... pode ser complicado e a linha entre um homem com uma enorme actividade sexual e um viciado em s... pode ser muito ténue.

Ora vejamos algumas diferenças. Um homem que se encontra bem com a sua sexualidade e com satisfação na sua pratica sexual, tem uma sensação de conforto e alivio quando termina a pratica. A sensação de desespero, depressão e vergonha, acompanham um viciado em s.... A culpabilidade é bastante comum nestes casos e a insatisfação acompanha-o permanentemente.

A determinada altura, a situação fica fora de controlo e acontece em muitas situações em casos de vício em s..., o casamento ou trabalho ficarem em risco. Muito pouco lhes interessa o modo como têm relações, desde que o objectivo seja cumprido, colocando muitas vezes em causa a sua própria liberdade e bem-estar físico.

Vários sexólogos defendem ainda que um viciado em s... pode ser oriundo de famílias com graves problemas de alcoolismo, maus tratos ou ainda o facto do viciado ter sido abusado fisicamente, emocionalmente ou até mesmo sexualmente quando criança. Esta última situação, mesmo que tenha acontecido de forma muito ténue, pode causar irregularidades na forma como encara o s....

Problemas de auto-estima, frustrações ou temores, podem também ser uma causa para este vício tão difícil de detectar. A única forma de se sentir satisfeito contra todas as frustrações, é fazendo s..., mesmo que depois se sinta ainda pior. A concentração na sua vida sexual alivia-os da negação e depressão.

Viciados em s... têm uma capacidade extraordinária de viver vidas duplas, tendo eles muitas vezes famílias e bons ambientes familiares, mas mantendo uma vida contrária fora de portas.

Como qualquer viciado, a inibição ou a ideia de que vai ficar impossibilitado de praticar s... causa ansiedade, desespero, suores frios, palpitações e muitas vezes agressividade.

Se o diagnostico é complicado, o tratamento pode não ser também muito simples. O acompanhamento permanente de um sexólogo e de um psicólogo é essencial e indispensável, mas como em qualquer vício, terá você primeiro de assumir que é um viciado e que quer ser tratado.


Carla Horta

Título: Serei viciado em S...?

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 0

639 

Imagem por: Furryscaly

Comentários - Serei viciado em S...?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

A arte de trabalhar a madeira

Ler próximo texto...

Tema: Serviços Construção
A arte de trabalhar a madeira\"Rua
A carpintaria constitui, digamos assim, a arte de trabalhar a madeira. É claro que, de acordo com o produto final, se percebe bem que uns carpinteiros são mais artistas do que outros…

Às vezes nem se trata tanto dos pormenores, mas mesmo de desvirtuar o que era a ideia inicial e constava da encomenda. Mal comparado, quase se assemelha à situação daquela aspirante a costureira que pretendia fazer uma camisola para o marido e, no fim, saíram umas calças!

Na construção civil, a madeira é utilizada para diversos fins, temporários ou definitivos. Na forma vitalícia (esperam os clientes!) incluem-se estruturas de cobertura, esquadrias (portas e janelas), forros, pisos e edifícios pré-fabricados.

Quase todos os tipos de madeira podem ser empregues na fabricação de móveis, mas alguns são preferidos pela sua beleza, durabilidade e utilidade. É conveniente conhecer as características básicas de todas as madeiras, como a solidez, a textura e a côr.

Ser capaz de identificar o género de madeira usado na mobília lá de casa pode ajudar a determinar o seu real valor. Imagine-se a possibilidade de uma cómoda velha, que estava prestes a engrossar o entulho para a recolha de lixo, ter sido feita com o que hoje se considera uma madeira rara.

É praticamente equivalente a um bilhete premiado do Euromilhões, dado que se possui uma autêntica relíquia! Nestes casos, a carpintaria entra na área do restauro e da recuperação. Afinal, nem tudo o que é velho se deita fora…

Por outro lado, as madeiras com textura mais fraca são frequentemente manchadas para ganhar personalidade. Aqui há que remover completamente o acabamento para se confirmar a verdadeira natureza da madeira.

É assim também com muita gente: tirando a capa, mostram-se autenticamente. Mas destes, nem um artificie com “bicho-carpinteiro” consegue fazer nada…!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:A arte de trabalhar a madeira

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: Furryscaly

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    23-09-2014 às 13:23:35

    Uma excelente técnica que penso ser muito bonito e sofisticado. A arte de trabalhar madeira está sempre em desenvolvimento e crescimento.

    ¬ Responder
  • Rua DireitaRua Direita

    01-06-2014 às 05:18:46

    É ótimo o trabalho com a madeira. Pode-se perceber grandes obras que se faz com ela. Realmente, é uma verdadeira arte!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios