Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > DVD Filmes > Legendagem vs. Dobragem – A velha questão

Legendagem vs. Dobragem – A velha questão

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: DVD Filmes
Visitas: 4
Legendagem vs. Dobragem – A velha questão

A questão da disputa entre legendagem e dobragem tem sido muito debatida ao longo dos últimos anos. Tenta-se chegar a um consenso sobre qual é o melhor método, mas as opiniões divergem de maneira irreversível, uma vez que as vantagens de cada uma em relação à outra se suplantam.

A legendagem consiste na inserção de texto no ecrã. Este texto representa as falas das personagens e nunca deve ocupar mais do que duas linhas, de forma a não poluir visualmente o decorrer de uma ação. A grande vantagem deste tipo de tradução audiovisual é a dos atores apresentarem as vozes originais, de ser um sistema extremamente barato se comparado com a dobragem e de ser um meio de educar os espectadores. Este último ponto tem sido muito debatido, uma vez que os adeptos da legendagem defendem que este método permite melhorar as capacidades de leitura e de raciocínio do telespectador. As grandes desvantagens deste sistema apresentam-se por não ser uma tradução fiel das falas, na maioria das vezes devido ao número de caracteres restrito numa legenda.
Outra desvantagem é o de muitas pessoas apresentarem dificuldades em ler as legendas e conseguir acompanhar a ação.

A dobragem, por sua vez, tem como grande vantagem o facto de se poder acompanhar a ação sem qualquer tipo de interferência ou de poluição visual no ecrã. O espectador apenas tem de seguir a ação e as personagens. No entanto, há quem defenda uma grande vertente de artificialidade, uma vez que as vozes são cortadas e existe um desfasamento entre as falas e o movimento dos lábios dos atores.
Este é também um método extremamente caro, uma vez que envolve um grande número de recursos humanos, como por exemplo tradutores para o guião, atores para as vozes ou técnicos de som.

Neste início de século XXI, a inserção social passou a ter um papel de destaque nas sociedades ocidentais. A tradução audiovisual não passou ao lado deste mote, pelo que já é possível ver diversos canais de televisão com legendagem em teletexto dirigida principalmente ao público surdo. Estas legendas caracterizam-se por uma linguagem muito mais simples e pelo uso de cores para expressar as emoções dos atores.

Existe também um método que tenta atingir a existência de uma melhor compreensão por parte do público cego e amblíope, que consiste numa voz-off que, no intervalo das falas dos representantes, vai fazendo a descrição oral de um determinado cenário ou dos atores à medida que a ação decorre.

Tanto a legendagem como a dobragem têm as suas vantagens e as suas “estranhezas”, mas o que se pode retirar daqui é que tanto uma como a outra pretendem ser um auxílio não só à inclusão linguística, mas também à inclusão social.


Luís Seco Passadouro

Título: Legendagem vs. Dobragem – A velha questão

Autor: Luís Seco Passadouro (todos os textos)

Visitas: 4

653 

Comentários - Legendagem vs. Dobragem – A velha questão

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios