Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > O políptico de S. Vicente - métodos laboratoriais

O políptico de S. Vicente - métodos laboratoriais

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Arte
Visitas: 12
O políptico de S. Vicente - métodos laboratoriais

Os painéis de S.Vicente é uma obra constituída por seis painéis, da autoria de Nuno Gonçalves, pintor do rei D. Afonso V, trata-se de um retrato colectivo e um dos mais notáveis da pintura europeia e ao que se julga criada no século XV. É uma obra que tem sido muito estudado por diversos historiadores e que tem suscitado muita polémica quer a nível da sua técnica quer da iconografia representada no painel.

Na obra é possível reconhecer diferentes personagens, nomeadamente, nobres e cavaleiros, frades, clérigos e pescadores, sendo possível a sua distinção através dos seus trajes e acessórios. Estão representadas 60 personagens nos painéis. Esta é uma das obras que tem vindo a suscitar ao longo dos anos mais curiosidade, principalmente no que diz respeito à composição material.

Através do estudo das técnicas laboratoriais aplicadas à pintura de Nuno Gonçalves – Os painéis de S. Vicente é possível conhecer a técnica do autor e obter conhecimentos relativos aos materiais utilizados pelo pintor bem como verificar possíveis alterações na obra. A limpeza e restauro dos painéis subsidiados pelo Conde da Penha Longa, permitiu conhecer libertos de repinturas dos séculos XVII e XVIII a obra.

O políptico de S. Vicente foi restaurado em 1938 e 1955, através deste trabalho realizado foi possível obter hoje uma obra mais rica e completa no que diz respeito à camada cromática. Os métodos laboratoriais utilizados para o estudo da obra complementam a mesma, tentando dar a conhecer algo que se encontra além do visível a olho nu. Com estas técnicas foi possível perceber um pouco mais da técnica do autor e do seu trabalho aquando da feitura da obra. Os estudos feitos sobre a mesma levam a conclusões diferentes por parte dos diferentes autores e historiadores. Contudo o trabalho realizado nos restauros é científico e através dele é possível reconhecer os trabalhos que têm sido desenvolvidos na obra. O trabalho desenvolvido com os métodos laboratoriais permitem criar suportes para o desenvolvimento das várias interpretações da obra.

A par dos problemas iconográficos que se encontram por resolver, a obra contínua a levantar questões relacionadas com o estudo científico dos painéis.


Sónia Henriques

Título: O políptico de S. Vicente - métodos laboratoriais

Autor: Sónia Henriques (todos os textos)

Visitas: 12

643 

Comentários - O políptico de S. Vicente - métodos laboratoriais

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios