Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Utilidades Domésticas > As utilidades do álcool no nosso dia-a-dia

As utilidades do álcool no nosso dia-a-dia

Visitas: 475
Comentários: 15
As utilidades do álcool no nosso dia-a-dia

As torneiras da casa de banho e cozinha podem ser limpas com álcool etílico num pano absorvente. Elas ficarão brilhantes e sem bactérias.

O álcool é óptimo para limpar os espelhos de sua casa – além de ficarem bem brilhantes, não embaciam com tanta facilidade.

As persianas adquirem um novo ar quando lavadas com álcool. Utilize uma espátula comprida, enrole um pano, molhe-o no álcool e limpe ripa a ripa.

Álcool num borrifador pode ser uma boa ajuda nas manhãs frias, para eliminar o gelo acumulado no pára-brisas.

Os riscos de caneta podem ser eliminados se embeber a peça de roupa em álcool. Deixe repousar de um dia para o outro e lave a roupa como habitualmente.

Se os seus sapatos novos estiverem um pouco apertados, passe um pedaço de algodão embebido em álcool e calce-os, para ver se alargam o suficiente.

O álcool é um excelente desinfectante de telefones e telemóveis e também dos comandos da televisão.

Limpe o monitor do seu computador com um pano macio e embebido em álcool. Passe um pano húmido e seque com outro pano que não solte pelos. O mesmo método pode ser utilizado para limpar o seu televisor ou LCD.

Para perfumar a cozinha depois de ter cozinhado, encha um borrifador com álcool e alguns cravos da índia. Deixe de repouso por dois dias e está pronto a utilizar. Além de perfumar o ambiente, afasta as moscas e os mosquitos da fruta.

Riscos feitos com canetas de feltro ou marcadores de tinta em superfícies lacadas podem ser apagados se os borrifar com álcool. Verá que rapidamente se tornam líquidas, podendo ser removidas logo de seguida.

As manchas de gordura nas carpetes serão facilmente removidas com uma solução feita com uma parte de sal para quatro partes de álcool. Esfregue sobre a mancha firmemente até esta desaparecer.

Lavou os lençóis e não lhe apetece passá-los a ferro? Sabe como tirar marcas do lençol sem passar? Misture uma parte de álcool com três partes iguais de água, e borrife sobre as dobras amassadas. De seguida, passe a mão para alisar. Deixe secar.

Para dar brilho a janelas de alumínio, limpe-as uma vez por mês com uma mistura de óleo de cozinha e álcool, em partes iguais. Em seguida, passe com uma flanela.



Catarina Bandeira

Título: As utilidades do álcool no nosso dia-a-dia

Autor: Catarina Bandeira (todos os textos)

Visitas: 475

804 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 15 )    recentes

  • kesia

    09-02-2015 às 19:53:04

    ameei as dicas vai me ajudar bastante manter minha casinha mais limpa bjoo

    ¬ Responder
  • joao paulo

    20-08-2014 às 15:22:24

    uma bosta...kkk

    ¬ Responder
  • Alzir Gessolo

    07-06-2014 às 23:43:53

    Sabia de certas utilidades do álcool, mas algumas me eram desconhecidas. Valeu a pena consultar, são informações valiosas.

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    04-06-2014 às 07:56:02

    Não conhecia nem a metade do uso de álcool no nosso dia a dia. Muito boa essas informações, com certeza, farão grande diferença.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • robson

    02-01-2013 às 09:49:31

    nossa valeu por essa informação bjs

    ¬ Responder
  • Esperanca

    16-12-2012 às 16:51:31

    Eu nao sabia k o alcool tivesse assim tanta importancia para a spciedade eu agradeco muito por terem me tirado estais duvidas

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãoamanda

    17-09-2012 às 17:55:01

    oi gostei mto mas nao era mto bem issu q eu tava procurando..mas vc eeh mto inteligente taah..bjuuuss

    ¬ Responder
  • amandaamanda

    25-09-2011 às 17:12:17

    adorei sua resposta...bj

    ¬ Responder
  • gabrielgabriel

    17-03-2011 às 20:03:16

    achei boem o que voce disse mas nao era o que eu procorava , eu estava á procura de uma utilizaçao mais coisa

    ¬ Responder
  • Andreia PaivaCleone salviano

    05-08-2010 às 15:34:55

    queria mais que isso... mas valeu assim mesmo !!!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoJeovani

    02-07-2010 às 19:08:42

    Pow,obrigado... me ajudou no meu trabalho ...

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoAna

    11-04-2010 às 02:08:52

    vai ser um bom complemento pro meu trabalho

    ¬ Responder
  • juliennejulienne

    07-04-2010 às 14:47:51

    eu gostei muito desse assunto,porisso vou fazer um trabalho sobre o alcool...

    ¬ Responder
  • MARIA DIVINAMARIA DIVINA

    09-10-2009 às 23:50:14

    Melhor ajuda-la em um trabalho de portugues... Não acha?

    ¬ Responder
  • kelemkelem

    13-09-2009 às 00:44:19

    oiii gostei do seu texto + si vc lesse o meu recado gostaria qui vc mi ajudasse a fazer um trabalho de quimica sobre alcool ,xauzim

    ¬ Responder

Comentários - As utilidades do álcool no nosso dia-a-dia

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios