Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Relacionamentos > Não Cultive Ilusões

Não Cultive Ilusões

Categoria: Relacionamentos
Não Cultive Ilusões

Em certos momentos, costumamos olhar para trás e acreditar que os melhores momentos de nossa vida ficaram lá, que jamais iremos viver algo parecido. Por mais que façamos planos, realmente não temos certeza sobre o que o futuro nos reserva.

Na verdade, tudo o que temos é o momento presente e, nem sempre, o consideramos o melhor. Ao contrário, muitas vezes, ele parece ser o pior de nossa vida, aquele em que os problemas pesam mais, nos dando a impressão de que nunca vamos conseguir sair deles.

Não podemos esperar que a vida seja uma experiência pacífica, porque ela não é assim. Ao longo de nossa jornada existencial, enfrentamos sucessivas turbulências, por isso quando avaliamos o passado, tendemos a nos ater mais aos momentos positivos que vivenciamos e a enfatizar menos os negativos que, embora tenham acontecido, de uma forma ou de outra, já foram resolvidos.

É isso que nos prende ao que se foi, como se fosse o nosso melhor, até encararmos que o passado é uma ilusão porque não volta mais, tendo sido bom ou ruim, não pode ser modificado.

Não podemos reviver os bons momentos nem anular o que não foi satisfatório. A importância do passado está apenas no fato de ter nos trazido até onde estamos e de ter nos tornado o que somos até agora.

O futuro também é uma ilusão por ser incerto, por não sabermos se vamos alcançá-lo do jeito que sonhamos. Tantas situações podem interferir fazendo com que mudemos nossos planos e, tantas outras podem interrompê-los definitivamente.

Não temos o poder de prever se, de fato, realizaremos nossos sonhos mais belos e se tudo correrá bem, se tudo acontecerá da forma que queremos e que projetamos. A vida sempre nos surpreenderá de forma agradável ou não.

O que temos de mais concreto é o momento presente. É nele que estamos vivendo agora para poder realizar nossos desejos. Não podemos reeditar nossa vida, a não ser construindo coisas novas no presente.

As dificuldades sempre se apresentam e muitas vezes nos fazem acreditar que não conseguiremos transpô-las. E se isto for verdade, então é um indicativo do destino para que mudemos nossa direção construindo novos objetivos.

Há momentos também, em que não há sonhos para acalentar a nossa alma, mas um pesar paralisante, destruidor, é quando tudo parece perdido. E nem sempre a luz no fim do túnel aparece para nos guiar, para nos mostrar um novo caminho a seguir para mudar o rumo das coisas, e a escuridão persiste.

E se nada há na nossa frente, então temos que reencontrar nossa força interior para desbravarmos um caminho diferente e fazê-lo brilhar.

Então, o que nos cabe é aceitar o passado e o futuro como uma ilusão e nos determos ao presente, modificando e melhorando o que for possível, nos reconstruindo ou nos remendando a cada dia. E ainda que tudo pareça sem saída, temos que cultivar a esperança, pois só ela é capaz de nos mover nos momentos difíceis até uma solução.

Ainda assim, se uma situação se mostra imutável, temos que acender a nossa luz interior para podermos criar um novo caminho e trilhá-lo, construindo novos momentos positivos para enriquecer nossa existência e dar-lhe sentido.


Rosana Ganem Montini

Título: Não Cultive Ilusões

Autor: Rosana Ganem Montini (todos os textos)

Visitas: 0

356 

Comentários - Não Cultive Ilusões

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um caminho para curar o transtorno alimentar

Ler próximo texto...

Tema: Saúde
Um caminho para curar o transtorno alimentar\"Rua
De acordo com um relatório divulgado em novembro de 2014 pelo Comitê Permanente sobre o Status da Mulher, entre 600 mil a um milhão de canadenses cumprem os critérios diagnósticos para um transtorno alimentar em um dado momento. Problemas de saúde mental com ramificações físicas graves, anorexia e bulimia são difíceis de tratar.

Os programas públicos de internação frequentemente não admitem pacientes até que estejam em condição de risco de vida, e muitos respondem mal à abordagem em grupo. As clínicas privadas costumam ter listas de espera épicas e custos altos: um quarto custa de US$ 305 a US$ 360 por dia.


Corinne lutou juntamente com seus pais contra a bulimia e anorexia por mais de cinco anos. Duffy e Terry, pais de Corinne, encontraram uma clínica na Virgínia. Hoje, aos 24 anos, ela é saudável e está cursando mestrado em Colorado. Ela e seus pais acreditam que a abordagem holística, o foco individualizado e a estrutura imersiva de seu tratamento foram fundamentais para sua recuperação.

Eles sabem que tinham acesso a recursos exclusivos. "Tivemos sorte", diz Duffy. "Podíamos pagar por tudo." Mas muitos não podem.
A luta desta família levou-os a refletir sobre o problema nos Estados Unidos. Em 2013, eles fundaram a Water Stone Clinic, um centro privado de transtornos alimentares em Toronto. Eles fazem yoga, terapia de arte e participam na preparação de refeições, construindo habilidades na vida real com uma equipe de apoio empática. Os programas funcionam nos dias da semana das 8h às 14h, e até agora, não tem lista de espera. Porém essa abordagem é onerosa: aproximadamente US$ 650 por dia.

A família criou a Fundação Water Stone - uma instituição de caridade que fornece ajuda a pacientes que não podem pagar o tratamento. Os candidatos são avaliados por dois comitês que tomam uma decisão baseada na necessidade clínica e financeira. David Choo Chong foi o primeiro a se beneficiar da fundação. Ele havia tentado muitos programas, mas nenhum foi bem sucedido. A fundação pagou metade do tratamento. Dois anos depois, Choo Chong, feliz e estável diz "Water Stone me ajudou a encontrar quem eu sou".

Pesquisar mais textos:

Roberta Darc

Título:Um caminho para curar o transtorno alimentar

Autor:Roberta Darc(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios