Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Assinatura do Tratado de Lisboa

Assinatura do Tratado de Lisboa

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Assinatura do Tratado de Lisboa

No final de 2007, o Mosteiro dos Jerónimos foi o palco escolhido para a assinatura de um acordo entre os diversos países que, à data, integravam a União Europeia. Esse acordo ficou conhecido como o Tratado de Lisboa, tendo os vários signatários chegado a Belém num elétrico da Carris, especialmente decorado para o efeito. Tal como em 1986, quando se ratificou a entrada de Portugal para a CEE, o claustro dos Jerónimos voltou a ser escolhido para um evento desta natureza e dimensão.

Alguns meses depois deste acontecimento solene (ainda se via o elétrico com a decoração alusiva à assinatura do tal tratado em circulação), num dia de forte sol e céu limpo, eu e alguns colegas do Inventário do Museu Nacional de Arqueologia assistimos a uma obra no passeio, diretamente em frente à varanda da nossa sala.

A obra decorreu ao longo de várias horas e nós íamos lançando palpites, tentando adivinhar qual o objetivo daquela intervenção. Uma vez que eram perfeitamente visíveis duas áreas individuais, ainda que contíguas, colocámos a hipótese de se tratar de duas casas de banho públicas, de carácter mais ou menos definitivo. No entanto, aquela não seria a melhor localização para uma estrutura com essas funções, mesmo em frente à entrada para o claustro e um dos acessos à igreja do mosteiro.

Além disso, também não se viam ligações nem canalizações que se conectassem, quer com o abastecimento de água, quer com o escoamento dos eventuais dejetos. Reinava o mistério!

Ainda se conjeturaram outras hipóteses, mas confesso que a que mais me ficou na memória foi mesmo a das casas de banho que, embora o local escolhido não fosse realmente o melhor, acabava por ser a uma infraestrutura com bastante utilidade, naquela zona da cidade.

Creio que foi só um ou dois dias depois do início desses trabalhos que se desvendou o mistério, revelando-se o propósito da obra. Esta destinava-se à colocação de duas lajes quadradas de mármore, as quais evocavam a assinatura desses dois acordos – a entrada de Portugal na CEE e o Tratado de Lisboa, ambos tendo como cenário o claustro do Mosteiro dos Jerónimos. Nestas duas lajes (cada uma consagrada a um dos tratados a que faziam alusão), encontram-se gravadas as assinaturas dos políticos envolvidos.

Várias foram já as ocasiões em que me vieram perguntar onde está o monumento evocativo da assinatura do Tratado de lisboa, pois trata-se de uma obra muito discreta, sem qualquer indicação para a sua presença, ali – uma sinalização vertical, por exemplo. E é, também, necessário ir com muita atenção a onde se passa, pois, sem querer (ou de propósito!) pode-se estar a pisar o nome de alguma individualidade digna de admiração e respeito.


Paulo c. Alves

Título: Assinatura do Tratado de Lisboa

Autor: Paulo c. Alves (todos os textos)

Visitas: 0

602 

Comentários - Assinatura do Tratado de Lisboa

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O que é uma Open House?

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Imóveis Venda
O que é uma Open House?\"Rua
Este é um tema que vem pôr muito a lindo o trabalho de alguns mediadores imobiliários e do seu trabalho.

Quando temos um imóvel para vender, muitos são os métodos a utilizar e os meios que nos levam até eles para termos o nosso objetivo cumprido – A venda da Casa.
Quando entregamos o nosso imóvel para que uma mediadora o comercialize, alguns aspetos têm de ser tidos em conta, como a legalidade da empresa e quem será a pessoa responsável pela divulgação da sua casa, mas a ansia de vermos o negócio concretizado é tanta, que muitas vezes nos escapa a forma como fazem a referida divulgação e publicidade do imóvel.

Entre anúncios na internet e as conhecidas folhas nas montras dos estabelecimentos autorizados, muitas mediadoras optam por fazer uma ação que está agora muito em voga que é uma Open House. Mas afinal, o que é isto de nome estrangeiro que tanto se vê pelas ruas e em folhetos de anúncio?

Ora bem, a designação em Português é muito simples – Casa Aberta. E na realidade, uma Open House é isso mesmo. Abrir uma Casa para que todos a possam ver. NO entanto, requerem-se alguns aspetos que as mediadoras normalmente preveem, mas que é fundamental que o proprietário do imóvel também tenha consciência e conhecimento.

Por norma as imobiliárias só fazem este tipo de intervenção e ação em imóveis que têm como exclusivo, isto é, quando é uma só determinada mediadora, a autorizada a poder comercializar o imóvel.

Em segundo lugar, este tipo de ação de destaque requer à mediadora custos com tempo, recursos humanos e financeiros.
A mediadora começa por marcar um dia próprio que por norma é datado para um feriado ou fim de semana. Faz então publicidade local através de folhetos e flyres anunciando a Open House, o dia e a hora, tal como o local. Muito provavelmente serão tiradas fotografias ao seu imóvel.

Através de redes sociais também poderão ser divulgadas as ações.
No dia da Open House, o local será indicado com publicidade da sua casa e da imobiliária e começarão a aparecer visitas ao imóvel.

Sugiro que não tenha mobiliário e muito menos valores em casa. O ideal será o imóvel estar desocupado de todos e quaisquer bens, por uma questão de segurança, mas também porque as áreas parecerão maiores e isso com toda a certeza ajuda à venda.

A imobiliária será responsável pela limpeza e trato do imóvel, pelo que se ocorrerem danos, serão eles os responsáveis.
Neste tipo de ações, é normal que a concorrência das imobiliárias apareça e faça parcerias que para si só trará vantagens.

Uma Open House pode não ser uma ação de destaque em Portugal, mas por exemplo nos Estados Unidos, é o normal e mais agradável. Os clientes não se sentem pressionados como numa visita normal e os negócios concretizam-se com muito mais rapidez e naturalidade.

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:O que é uma Open House?

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios