Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Automóveis > O Museu dos Coches - o automóvel de outros tempos

O Museu dos Coches - o automóvel de outros tempos

Categoria: Automóveis
Visitas: 6
Comentários: 38
O Museu dos Coches - o automóvel de outros tempos

A criação do Museu dos Coches deve-se à Rainha D. Amélia Luísa Helena de Orléans, após uma Exposição no Museu das Janelas Verdes suscitar a atenção do público. Após assistir à Grande Exposição Internacional, em Londres, em 1855, e à Exposição de Arte Ornamental Luso-Espanhola, em South Kensington Museum, também em Londres, em 1881, D. Luís I decidiu trazer esta última a território nacional e juntar a alguns objectos nacionais. Em 1882, um ano depois da exposição em South Kensington Museum, a exposição já estava patente no antigo Palácio dos Condes de Alvor. esta esteve exposta durante seis meses e recebeu 100 000 pessoas. Nesta exposição, estavam inseridos três coches magníficos levados na Embaixada ao Papa Clemente XI e outros objectos ligados ao mundo da cavalaria. estes voltaram para as Reais Cocheiras de Belém até D. Amélia conseguir reunir mais coches (cerca de vinte anos) para inaugurar um Museu, depois denominado Museu dos Coches Reais. Escolheu o Antigo Picadeiro Real, ao lado do Palácio de Belém, que tinha caído no desuso. Segundo Luciano Freire, «Não foi fácil obter o régio consentimento para o edifício apropriado a Museu. Esse picadeiro sendo, sem dúvida, um dos mais notáveis da Europa, justificava de alguma forma a relutância de D. Carlos em autorizar a transformação, solicitada insistentemente quer por por sua esposa, a Senhora D. Amélia, quer pelo seu Estribeiro-Menor, o Sr. Alfredo de Albuquerque.» Foi conseguida a autorização régia e adequou-se o Museu. O seu espólio é composto pelos Bens da Coroa, Repartição das Reais Cavalariças, Reais Cavalariças de Belém e da Casa Real Portuguesa. A cerimónia de inauguração aconteceu no dia 23 de Maio de 1905, onde esteve presente a Rainha D. Amélia e o Tenente-Coronel Alfredo de Albuquerque, Estribeiro-Menor da Casa Real, que assumiu a direcção do Museu. Ao longo do tempo, o espólio foi aumentando com peças vindas da Casa das Armas e da Repartição das Reais Equipagens. Com o 5 de Outubro de 1910, o Museu sofreu algumas alterações e confirmou-se a sua existência, pois se por um lado se acentua o nacionalismo, por outro lado os republicanos poderiam ter eliminado um símbolo da monarquia.

Daniela Vicente

Título: O Museu dos Coches - o automóvel de outros tempos

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 6

647 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 38 )    recentes

  • SophiaSophia

    22-04-2014 às 16:16:21

    Parece ser um museu belíssimo, adoraria conhecê-lo. Obrigada pelo texto, a Rua Direita agradece!

    ¬ Responder
  • Vitor SantosVitor Santos

    14-11-2012 às 21:28:14

    um texto realmente emocionante... Excelente!

    ¬ Responder
  • Nélio OliveiraNélio Oliveira

    14-11-2012 às 21:08:07

    adorei

    ¬ Responder
  • António FerrazAntónio Ferraz

    14-11-2012 às 21:07:17

    já votei Daniela BOA SORTE

    ¬ Responder
  • Rodrigo TeixeiraRodrigo Teixeira

    10-11-2012 às 21:27:01

    boa sorte para o concurso

    ¬ Responder
  • Rodrigo CostaRodrigo Costa

    10-11-2012 às 19:05:25

    o conjunto texto-imagem está fantástico!

    ¬ Responder
  • Horácio CruzHorácio Cruz

    10-11-2012 às 19:02:02

    Adorei o seu texto. Está muito interessante e vou recomendar a todos os meus conhecidos.

    ¬ Responder
  • Manuel PastimManuel Pastim

    10-11-2012 às 19:00:58

    Parabéns

    ¬ Responder
  • Cristina AraújoCristina Araújo

    10-11-2012 às 18:57:35

    o seu texto está muito bem escrito e apelativo aos conhecimentos de todos... Parabéns! Já votei

    ¬ Responder
  • Maria GuerraMaria Guerra

    10-11-2012 às 18:55:21

    que grande texto Daniela

    ¬ Responder
  • Rui FonsecaRui Fonseca

    10-11-2012 às 18:54:29

    já votei em si e vou continuar a votar

    ¬ Responder
  • Matilde CruzMatilde Cruz

    08-11-2012 às 21:13:55

    excelente

    ¬ Responder
  • Fernando CorreiaFernando Correia

    08-11-2012 às 20:53:10

    parabéns pelo texto, está muito original.

    ¬ Responder
  • Nélio OliveiraNélio Oliveira

    08-11-2012 às 20:51:24

    o texto na integral está muito bom e acho que a imagem é linda

    ¬ Responder
  • Nuno MousinhoNuno Mousinho

    07-11-2012 às 23:38:00

    gostei muito do seu texto, mesmooo! Parabéns! Já votei!

    ¬ Responder
  • António JesusAntónio Jesus

    07-11-2012 às 22:06:25

    é uma autora muito interessante. Parabéns pelos seus textos!

    ¬ Responder
  • Cristina AraújoCristina Araújo

    07-11-2012 às 22:04:19

    Parabéns

    ¬ Responder
  • Belmiro SantosBelmiro Santos

    07-11-2012 às 22:03:19

    Adoro a sua maneira de escrever e gostei muito do tema. parabéns

    ¬ Responder
  • Paulo ChapimPaulo Chapim

    07-11-2012 às 22:02:11

    já votei em si Daniela

    ¬ Responder
  • Maria GuerraMaria Guerra

    07-11-2012 às 22:01:11

    gostei muito do seu artigo expositivo. realmente interessante e apelativo para a nossa cultura.

    ¬ Responder
  • Rui FonsecaRui Fonseca

    07-11-2012 às 21:59:46

    Aplaudo o seu texto, adorei!

    ¬ Responder
  • Rui Jorge AmorimRui Jorge Amorim

    07-11-2012 às 21:58:15

    O museu dos coches merece que lhe dêem destaque pelo seu protagonismo no património português.

    ¬ Responder
  • Jerónimo AdeusJerónimo Adeus

    07-11-2012 às 21:56:48

    Um texto realmente impecável!

    ¬ Responder
  • Fernando CorreiaFernando Correia

    07-11-2012 às 21:55:27

    Parabéns Daniela. Excelente artigo sobre os museus. Temos que louvar o que é nosso.

    ¬ Responder
  • Nélio OliveiraNélio Oliveira

    07-11-2012 às 21:53:55

    parabéns pelo seu texto Daniela

    ¬ Responder
  • António FerrazAntónio Ferraz

    07-11-2012 às 21:52:58

    gostei muito do seu texto sobre o museu dos coches. muito interessante.

    ¬ Responder
  • Daniela VicenteDaniela Vicente

    07-11-2012 às 00:19:34

    CONTINUEM A VOTAR

    ¬ Responder
  • Joana MateusJoana Mateus

    06-11-2012 às 23:50:30

    Lindo...Fantástico...Excelente escrita

    ¬ Responder
  • Fernando AugustoFernando Augusto

    06-11-2012 às 23:49:07

    Está impecável o seu texto

    ¬ Responder
  • Pedro CardosoPedro Cardoso

    06-11-2012 às 23:47:07

    Parabéns pelo seu texto...adorei

    ¬ Responder
  • Joana SantosJoana Santos

    06-11-2012 às 23:45:45

    Está fantástico o seu texto e estava nada à espera de ler um texto deste tipo neste tema.

    ¬ Responder
  • Ruben MatiasRuben Matias

    06-11-2012 às 23:43:43

    Gostei muito do seu texto

    ¬ Responder
  • Daniela BaptistaDaniela Baptista

    03-11-2012 às 23:14:21

    Adorei o seu texto Daniela.

    ¬ Responder
  • Daniela VicenteDaniela Vicente

    07-11-2012 às 00:19:17

    obrigada

    ¬ Responder
  • Carlos BaptistaCarlos Baptista

    03-11-2012 às 23:13:19

    Lindooo

    ¬ Responder
  • Daniela VicenteDaniela Vicente

    07-11-2012 às 00:18:54

    obrigada pelo seu comentário, simples e directo

    ¬ Responder
  • Filipa BaptistaFilipa Baptista

    03-11-2012 às 23:07:47

    o seu texto é lindo... estou maravilhada

    ¬ Responder
  • Daniela VicenteDaniela Vicente

    07-11-2012 às 00:18:19

    obrigada pelo comentário Adorei!

    ¬ Responder

Comentários - O Museu dos Coches - o automóvel de outros tempos

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como Proteger a Madeira

Ler próximo texto...

Tema: Bricolage Jardim
Como Proteger a Madeira\"Rua
A madeira é um elemento muito utilizado para a construção de casas, cercas, mobiliário, pérgolas, decks, etc.
Para garantir a sua longevidade, reforçando a beleza e resistência, deve-se executar algumas tarefas para proteger a madeira. Para isso, deve-se conhecer as suas necessidades e limitações, de modo a proceder-se ao tratamento mais adequado.

Os inimigos da madeira são:

Sol - juntamente com o vento, as altas temperaturas secam a madeira e os raios ultracioletas (UV) modificam a sua cor, degradando a estrutura das fibras. Por vezes, o aquecimento da madeira acaba até por provocar fissuras na estrutura.

Humidade - a madeira que não é protegida absorve mais humidade, correndo o risco de desenvolver bolor e fungos, e consequentemente apodrecer. Aconselha-se a aplicação de um produto apropriado, como por exemplo, um imunizante ou uma velatura, e de seguida um verniz ou esmalte.

Insetos - não é nas madeiras utilizadas no exterior que se deve recear, pois a temperatura e o grau de humidade não proporcionam as condições favoráveis ao seu desenvolvimento. Mas na madeira utilizada no interior, as larvas dos insetos que se alimentam da madeira encontram as condições ótimas para a sua reprodução, pelo que deve levar a cabo um tratamento preventivo ou curativo com os produtos apropriados.

Bolores e fungos - na madeira que durante muito tempo vai acumulando humidade, pode aparecer bolores e fungos, e posteriormente apodrecimento da estrutura.

Renovar a madeira:

Antes de começar o tratamento deve-se executar algumas tarefas de preparação. No caso de conter musgo ou algas, retira-se as manchas com uma solução de lixívia. De seguida, tapam-se todas as fissuras e buracos com pasta de madeira ou betume para madeira. Lixa-se a superfície de modo a eliminar saliências e passa-se de seguida a primeira demão de tratamento para madeiras. Deve-se escolher uma cor próxima à da madeira que será envernizada ou pintada.

Podridão da madeira:

Deve-se localizar a causa da humidade e eliminá-las. Para isso, retira-se as partes da madeira podre, bem como todo o pó, aparas, serradura, ou outro material que possa estar infetado, e repara-se com madeira nova. Aplica-se um imunizador anti-caruncho e acaba-se com uma tinta de esmalte ou um verniz para madeiras.

Decapar a pintura:

Em algumas situações, a madeira tem verniz ou tinta que será necessário primeiro retirar, de modo a poder-se aplicar uma nova camada. As situações em que se deve aplicar um decapante são:

- quando a superfície pintada apresentar fissuras ou estalar;
- quando a tinta estiver mole ou apresentar bolhas;
- quando a tinta esfarelar;
- quando as camadas de tinta acumuladas tornarem díficil a maleabilidade das estruturas;
- quando se pretende recuperar o aspeto original da madeira.

Deve-se utilizar um decapante químico ou térmico, dependendo da natureza da superfície e do tipo de tinta ou verniz existente na mesma.

Cuidar da madeira:

Para que a madeira mantenha um aspeto bonito a longo prazo, aconselha-se a aplicação de um tratamento que evitará a degradação. Tratar a madeira dá-nos a garantia de que a sua durabilidade aumentará, promovendo assim a solidez e estabilidade das suas estruturas.

No caso da superfície a tratar ser nova, deve-se seguir os seguintes passos:

1) eliminar toda a sujidade;
2) proceder a uma ligeira lixagem;
3) aplicar o produto de tratamento da madeira, respeitando sempre os intervalos de secagem.

Caso a superfície a tratar se encontre ainda em bom estado, deve-se seguir os seguintes passos:

1) lavar a superfície com água e detergente em pó e deixar secar completamente;
2) lixar suavemente;
3) aplicar duas ou três demãos de verniz ou velatura, sempre respeitando os intervalos de secagem.

Caso a superfície a tratar se encontre em mau estado, aconselha-se o seguinte:

1)eliminar qualquer tipo de velatura ou verniz com produto decapante,
2) limpar e lixar a superfície;
3) eliminar a poeira;
4) tratar a madeira com um produto próprio para uma maior duração do verniz ou da velatura;
5) aplicar duas ou quatro demãos de verniz ou velatura, respeitando sempre os intervalos de secagem.

Pesquisar mais textos:

Cristina Sousa

Título:Como Proteger a Madeira

Autor:Cristina Sousa(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Briana AlvesBriana

    13-10-2014 às 04:53:55

    Ajudou-me bastante ao que buscava! A proteção da madeira torna-se bem importante para que dure por longos anos.

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios