Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > O papiro

O papiro

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 2
Comentários: 2
O papiro

O papiro é uma das preciosidades do antigo Egito.
Era considerado o suporte por excelência, da escrita.

Deste modo, grande parte dos documentos produzidos por esta civilização chegou até nós, em rolos de papiro, constituindo uma fonte histórica de valor inestimável.
Estes testemunhos são as fontes para se conhecerem os povos e tudo o que nos transmitiram.

O mais antigo papiro foi descoberto na mastaba de um nobre, mas estava em branco.
Por isso, o mais antigo livro de contas de um templo, data do final da mesma dinastia.

Na verdade, existe uma grande diversidade de papiros, desde os administrativos, com registo de impostos, medicina, com receitas médicas e literários.
O interesse do papiro é que foi usado como suporte de escrita pelos grgos , romanos e árabes.

Manteve-se na Idade Mádia, época em que foi substituido pelo pergaminho e depois pelo papel, de origem chinesa e introduzido na Europa, pelos muculmanos.
O papiro era uma planta, cultivada nas margens do rio Nilo, que chegava a atingir 5 metros de altura.

As folhas eram coladas umas às outras formando rolos, de muitos metros de comprimento, cerca de 40.
Eram porém muito resistentes, fáceis de escrever, de transportar e guardar, e, foram largamente utilizados apesar de serem, muito caros.

Os alunos, usavam-nos na escola para fazer os seus exercícios.
Com efeito, o papiro servia para quase tudo, inclusive abrico de barcos, móveis, cordas, velas, sandálias e, para comer e como combustível.

O mais incrível é que também servia de oferendas feitas aos deuses.

A planta era transformada numa espécie de papel e passava por um conjunto de fases, nomeadamente as seguintes: descasca-se o caule da planta, corta-se o miolo em tiras finas, molham-se bem as folhas e colocam-se umas tiras a direito e outras atravessadas, comprimem-se as tiras com a ajuda de um maço e alisam-se as tiras.
Fica assim, o papel, pronto para ser utilizado e transformá-lo em registo de grandes informações.

Estes manuscritos deixaram ao homem das gerações vindoras, importantes registos de datas, frases, desenhos e costumes da época. Retratam muito bem, tudo o que esta civilização viveu, ensinou e nos deixou. Ainda hoje estão presentes a sua mentalidade e costumes, até vestígios da sua cultura e religião. Apesar desta ter evoluido para monoteísta.


Teresa Maria Batista Gil

Título: O papiro

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 2

675 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Rafaela CoronelRafaela

    31-08-2014 às 23:03:34

    Que incrível! Mesmo com todo esse simples papiro feito de planta vemos o quanto seus manuscritos não se perderam e nem se deterioraram comopo exemplo, a bíblia! Que texto maravilhoso!

    ¬ Responder
  • Teresa Maria Batista GilTeresa Maria Batista Gil

    17-09-2012 às 15:57:41

    O papiro era uma planta que crecia nas margens do rio Nilo, no Egito.As margens do rio Nilo eram muito férteis e alimentadas pelo seu caudal.Deste modo esta planta abundava nas suas margens e servia como papel para escrever.

    ¬ Responder

Comentários - O papiro

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Receptores digitais

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: TV HIFI
Receptores digitais\"Rua
Os receptores digitais são instrumentos que têm a função de receber sinal por via de canais digitais.

De acordo com a sua função, estes canais poderão ser satélite ou por cabo. Actualmente, já existem bastantes serviços de televisão por cabo que funcionam apenas com estes receptores, uma vez que é através deles que se consegue ter acesso não só aos canais de serviço, mas também a pacotes codificados.

O serviço de recepção de canais por satélite é um sistema independente para o qual é necessário ter um disco receptor satélite de modo a poder ter canais digitais fora dos serviços prestados pelos operadores de televisão digital.

Este instrumento permite que os próprios ecrãs sem tecnologia digital passem a usufruir desta através destes receptores. No entanto, a melhor qualidade só é garantida com um ecrã já com esta tecnologia.

Os receptores digitais permitem também aceder a uma multiplicidade de serviços, desde que devidamente configurados. Por exemplo, com estes receptores, é possível aceder a menus específicos de pausa de emissão para depois ser continuada, de serviços on-demand ou acesso a portais específicos, entre outros.

Esta pequena caixinha permite ao seu utilizador usufruir da televisão a um novo nível, de modo a que possa ter todas as comodidades no conforto do lar. 

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Receptores digitais

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    04-06-2014 às 06:53:28

    Gostei dos receptores digitais. Bom texto abordando isso.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios