Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Despertar

Despertar

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Literatura
Despertar

Estou sentada, ou melhor, estou deitada
Confortavelmente sobre este divã
Observo cada um dos objetos a minha frente
Transcendo meus dedos sobre as pequenas regiões
Deste tecido levemente aveludado
De forma que não precise mover meu corpo completamente
Confortavelmente sobre este divã...
Lembro-me de meus dias de caçada
Já não durmo mais desde que renasci
As infindáveis dores consumiram meu interior
Vejo que estou só, mas será realmente?
Meu corpo parece despencar num abismo
Mesmo que eu sabia que ainda me encontro deitada
Tudo está sobre uma forte penumbra
Vejo velas, cruzes e armaduras
É estranhamente familiar a construção gótica diante de meus olhos
Sinto cada nova sensação que o ambiente proporciona
Meus pensamentos ainda confusos...
São vozes demais em minha cabeça
São vozes e imagens de pessoas e lugares
Isso me perturba, o que aconteceu?
Quero correr, correr e não parar
Minhas mãos tremem e não consigo movê-las
Tento ver algo que me leve a reconhecer onde estou
Percebo que não me sinto mais tão só
Os caminhos parecem mudar
Ouço o ar ser cortado por alguém que passa
Mas como percebi isso? Não é possível
Quem está ai?
Por favor, não sei o que fazer
Meus olhos ardem como chamas a envolver uma fogueira
Estou sentindo minha pele também arder, mas não é fogo
Ela gela e meu corpo se contrai
Tanto que o divã já parece pequeno para mim
Estou procurando quem está comigo
Ouço passos que são tão leves quanto os meus
Minha cabeça confusa, o meu corpo em chamas
Meus olhos em brasa e minha garganta seca
Tenho sede e quero que ela passe, mas não sei o que faria isso
Sedenta... essa é a palavra que me define
O vento grita quando passa pelas amplas janelas
E as imensas cortinas vermelho-sangue dançam lindamente
Como se estivesses em um baile de gala
Vejo um lustre, belo lustre de diamantes
Pendurado sobre o salão em que me encontro
Percebo uma silhueta, longa e elegante
E ela espera que eu me levante
Tento erguer-me, mas meu corpo não obedece aos comandos
Torno a olhar a imagem obscura a minha frente
Sinto a retribuição de seu olhar
E meu corpo é lançado como sobre efeito de uma força invisível
Levando-me a caminhar como um felino ao encontro da sombra
As luzes não favorecem, pois mal consigo vê-lo
Aproximo lentamente, ainda com receio
Mas sinto que posso confiar em quem quer que seja ele
Percebo que não respiramos
Paramos e nos olhamos
Ainda sem reconhecer as faces que estão sob efeito da fraca iluminação
Vejo os fatos desenrolarem
Analiso a situação e meus pensamentos se perdem
Quando subitamente ele corre em minha direção
Como se dançasse, sem manifestar grandes esforços
Aproxima-se encostando seus frios lábios em meu pescoço
E seu hálito atravessa meus tímpanos suavemente
Quanto profere apenas: “Enfim você acordou!”
E então me recordo de onde e com quem estou.

Anne Teixeira

Título: Despertar

Autor: Anne Teixeira (todos os textos)

Visitas: 0

798 

Comentários - Despertar

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um sinal de compromisso

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Jóias Relógios
Um sinal de compromisso\"Rua
Exibir uma aliança de compromisso é, frequentemente, motivo de orgulho e, quando se olha para ela, vai-se rodando-a no dedo e fica-se com aquela expressão ridícula na cara.

Uma questão se coloca: qual a razão de estas alianças de compromisso serem tão fininhas: será porque os seus principais clientes, os jovens, são sujeitos de poucas posses (tendendo as mesadas a emagrecer ainda mais com a crise generalizada) ou porque esse compromisso, não obstante a paixão arrebatadora, é frágil e inseguro?

Sim, porque aqui há que fazer cálculos matemáticos: x compromissos vezes y alianças…com um orçamento limitado sobre um fundo sentimental infinito…

Depois, importa perpassar os tipos destas alianças. Há as provisórias, que duram em média quinze dias; há as voadoras, que atravessam os ares à velocidade da luz quando a coisa dá para o torto; há as que insistem em cair do dedo, sobretudo em momentos em que ter um compromisso se revela extremamente inoportuno; e depois há as residentes, que uma vez entradas não tornam a sair.

Os pombos-correios usam anilhas onde figuram códigos que os identificam. Talvez não fosse completamente descabido fazer umas inscrições deste género em algumas alianças de compromisso por aí…

Só para ajudar os mais esquecidos a recordarem a que “pombal” pertencem.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Um sinal de compromisso

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    22-09-2014 às 05:46:10

    Um sinal de amor e lealdade perpétua! Adoro ver os vários modelos de aliança! Vale a pena escolher uma bem bonita!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios