Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Eventos > A Importância De Um Pai

A Importância De Um Pai

Categoria: Eventos
A Importância De Um Pai

Quando o assunto é paternidade, muitas vezes, negligenciam. E é os pais que devem estar envolvidos ma criação dos filhos. O papel do pai é importante tanto na visa da criança como na vida do filho já adulto, não importa a idade que tenha. Pai é pai eternamente, seja ele como for, é pai. E isso é o que todos nos sentimos. O pai ele é para a criança o super herói, para o adolescente ele é o espelho, e para os adultos ele é o amigo o paizão. Estamos nos aproximando do dias dos pais para o Brasil. já que é comemorado no 2º domingo de agosto.

O meu pai biológico, ele foi o maior exemplo na minha vida, e creio que assim é na vida de muitos. Os filhos têm bom exemplo mo emprego, na vida familiar, com amigos e tudo isso se deve a uma única pessoa, o pai. Sabemos que o pai interfere na vida dos filhos tanto quanto a mãe, e os filhos são o reflexo da criação de seus pais. Creio eu, que o bom pai ama, cuida, e respeita e honra e prove a sustentação da família e cuidam com amor os filhos e a mulher. Para eu falar de meu pai é uma honra, eu sou um exemplo vivo do que ele plantou, minha família era muito grande, nós éramos 13, e todos hoje formado, e com sua vida encaminhada, tocando o barco o qual foi ele que fez o alicerce. Pois se eu sou o que sou, eu agradeço ao único responsável, o que me deu a vida, e me criou. Trabalhou duro para sustentar uma família tão numerosa, nos estudos, não mediu esforços, e cada um com a sua graduação. Ele nos ensinou o respeito e a honestidade, e o estudo estava acima de tudo. Coisas que eu me lembro muito, quando eu era criança e ele me dizia: não é feio ser pobre, mais rico é ser honesto.

Meu pai nunca fez distinção entre os filhos, e isso eu posso dizer muito bem, pois sou a última dos 13 filhos, não eram só comida e roupa lavada, e um teto, mais era algo mais palpável, era o amor, o carinho e o afeto que ele dedicou ao longo de sua jornada aqui na terra. Ele viveu exclusivamente para os filhos e sua mulher. Recordo-me ainda, quando eu comecei a trabalhar, e chegou o primeiro dia dos pais, eu com meu dinheiro, pude ir a uma loja, e escolher o que ele queria, não medi o que ia gastar mais medi o amor, sabia que por mais caro que fosse o presente, ainda não era a altura do amor que eu tinha, e nem chegaria milhões e milhões a pagar tudo o que ele me dedicou, e nem mesmo o meu amor poderia falar com um presente. Saiba, portanto que você tem hoje, o que eu não tinha na época, que era comprar pela internet no conforto de sua casa, compre e presente o seu pai, hoje você o tem, e amanhã? Você não sabe. É só você escolhe o que quer comprar, e der a quem te deu a vida o melhor presente. A Rua direita tem mil opções é só você escolher.

Waldiney Melo

Título: A Importância De Um Pai

Autor: Waldiney (todos os textos)

Visitas: 0

777 

Comentários - A Importância De Um Pai

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Pulp Fiction: 20 anos depois

Ler próximo texto...

Tema: Arte
Pulp Fiction: 20 anos depois\"Rua
Faz hoje 20 anos que estreou um dos mais importantes ícones cinematográficos americanos.

Pulp Fiction é um marco do cinema, que atirou para a ribalta Quentin Tarantino e as suas ideias controversas (ainda poucos tinham visto o brilhante “Cães Danados”).

Repleto de referências ao cinema dos anos 70 e com uma escolha de casting excepcional, Pulp Fiction conquistou o público com um discurso incisivo (os monólogos bíblicos de Samuel L. Jackson são um exemplo disso), uma violência propositadamente mordaz e uma não linearidade na sucessão dos acontecimentos, tudo isto, associado a um ritmo alucinante.

As três narrativas principais entrelaçadas de dois assassinos, um pugilista e um casal, valeram-lhe a nomeação para sete Óscares da Academia, acabando por vencer na categoria de Melhor Argumento Original, ganhando também o Globo de Ouro para Melhor Argumento e a Palma D'Ouro do Festival de Cannes para Melhor Filme.

O elenco era composto por nomes como John Travolta, Samuel L. Jackson, Bruce Willis, Uma Thurman e (porque há um português em cada canto do mundo) Maria de Medeiros.

Para muitos a sua banda sonora continua a constar na lista das melhores de sempre, e na memória cinéfila, ficam eternamente, os passos de dança de Uma Thurman e Travolta.

As personagens pareciam ser feitas à medida de cada actor.
Para John Travolta, até então conhecido pelos musicais “Grease” e “Febre de Sábado à Noite”, dar vida a Vincent Vega foi como um renascer na sua carreira.

Uma Thurman começou por recusar o papel de Mia Wallace, mas Tarantino soube ser persuasivo e leu-lhe o guião ao telefone até ela o aceitar.

Começava ali uma parceria profissional (como é habitual de Tarantino) que voltaria ao topo do sucesso com “Kill Bill”, quase 10 anos depois.

Com um humor negro afiadíssimo, Tarantino provou em 1994 que veio para revolucionar o cinema independente americano e nasceu aí uma inspirada carreira de sucesso, que ainda hoje é politicamente incorrecta, contradizendo-se da restante indústria.

Pulp Fiction é uma obra genial. Uma obra crua e simultaneamente refrescante, que sobreviveu ao tempo e se tornou um clássico.
Pulp Fiction foi uma lição de cinema!

Curiosidade Cinéfila:
pulp fiction ou revista pulp são nomes dados a revistas feitas com papel de baixa qualidade a partir do início de 1900. Essas revistas geralmente eram dedicadas às histórias de fantasia e ficção científica e o termo “pulp fiction” foi usado para descrever histórias de qualidade menor ou absurdas.

Pesquisar mais textos:

Carla Correia

Título:Pulp Fiction: 20 anos depois

Autor:Carla Correia(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios