Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Eventos > E agora? Que restaurante escolho?

E agora? Que restaurante escolho?

Categoria: Eventos
E agora? Que restaurante escolho?

Todos passamos pelo mesmo. Temos um acontecimento importante que queremos celebrar, como um aniversário de casamento, um nascimento, o dia dos namorados ou simplesmente porque queremos deixar os pratos e os tachos de lado e ir desfrutar de uma boa refeição sem pensar no trabalho que engloba, e não sabemos que local escolher para a ocasião. A menos que saibamos exactamente o que nos apetece ou já tenhamos um restaurante que frequentamos habitualmente, a escolha pode ser demorada e difícil.

Reuni alguns dos passos indispensáveis para a organização de um jantar, quer seja para um casal, quer seja para um grande grupo.

1 - Comece por escolher a cidade ou local onde quer realizar o acontecimento. De nada serve procurar restaurantes longe ou fora dos limites fisicamente acessíveis. Parece uma etapa evidente, mas verá como reduz bastante os itens possíveis. Se se deslocar de carro, trace, antecipadamente, o percurso a seguir e um plano de onde estacionar a(s) viatura(s).

2 – Depois, há que ter em conta o género e número de participantes. Um jantar de turma pode ser combinado para um restaurante completamente diferente do eleito para um jantar de família ou de dia dos namorados. Verifique, no caso de ser para um grupo razoável, se o restaurante tem capacidade para tal e se está disponível para servir grupos.

3 – Nunca esqueça de se informar sobre o horário de funcionamento do restaurante. Há muitos que apenas servem almoços ou jantares, bem como o seu dia de encerramento, caso exista. Na dúvida, faça reserva, principalmente se for para um grupo grande.

4 - Opte pelo tipo de gastronomia que mais lhe agrada. O conceito de globalização é cada vez mais notório no mundo da gastronomia e há várias opções possíveis desde Italiano, Japonês, Russo, Espanhol, ou algo mais simples e tradicional.

5 – O preço! Não se faça passar por aquilo de não é. Se lhe compete a si pagar a conta, não corra riscos e procure informar-se, antecipadamente, do preço médio praticado pelo restaurante. Se por outro lado a conta é para ser paga por todos, procure sempre um local que seja acessível a todos e que não cause constrangimentos financeiros a nenhum dos participantes.

6 – Por último, tenha sempre em atenção ao tipo de atendimento praticado pelo pessoal. Ninguém gosta de ser mal atendido e quando tal sucede, a diversão do grupo pode ficar comprometida.



Cláudia Bandeira

Título: E agora? Que restaurante escolho?

Autor: Cláudia Bandeira (todos os textos)

Visitas: 0

809 

Comentários - E agora? Que restaurante escolho?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios