Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Viagens > Vai de viagem

Vai de viagem

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Viagens
Comentários: 1
Vai de viagem

Viajar faz o encanto de muita gente. Para longe ou para perto, com mais ou menos dinheiro, o que importa é sair, passear, conhecer, ver mundo, experimentar coisas novas. Há quem passe o ano inteiro a economizar para se proporcionar umas férias longe dos ritmos habituais, distante dos problemas do dia a dia, apartado de uma rotina que, tantas vezes, segrega e sufoca.

Quando se pergunta às pessoas quais os seus principais sonhos, fazer uma viagem encontra-se, normalmente, nos lugares cimeiros do pódio, e tal desejo costuma ser verbalizado com um suspiro profundo, vindo das entranhas. De facto, viajar constitui um excelente meio de descontração, de angariação de cultura, de mudança de ambiente e de relegação dos problemas para um plano secundário e posterior.

Não é preciso ir, como o Willy Fogg, dar a volta à Terra em 80 dias (até porque nenhuma entidade patronal permite pausas superiores àquelas a que a Lei obriga!), nem ceder à tentação de arrendar alguns hectares na Lua para uma estadia tranquila. Se é certo que ver a Terra, em vez de no horizonte se vislumbrar a Lua e contar as estrelas, integra uma mudança radical de perspetiva, destinos para espairecer cá em baixo é o que não falta, dentro e fora do próprio país. As agências de viagens possuem habitualmente sugestões de itinerários bastante atrativas, que, regra geral, vêm acompanhadas de propostas de alojamento em regime variável. Além disso, há alturas do ano em que o valor das ofertas desce e os pacotes promocionais, geralmente anunciados na Internet, na Comunicação Social, em revistas e afins, tornam-se mais convidativos e viáveis para bolsas mais “magras”.

Existem locais de eleição para repousar e desfrutar, mas esses enchem-se, naturalmente, de indivíduos com os mesmos gostos e anseios. Os mais discretos, por seu turno, propiciam maior calma e paz de espírito, embora possam não ser tão badalados ou afamados. Pode optar-se por uma permanência de luxo, em hotéis de grande categoria, com um serviço e uma atenção irrepreensíveis, um cruzeiro que preencha a fantasia de há longo tempo, um safari em África que apele a um espírito aventureiro e destemido, uma investida solitária ou em grupo de bicicleta e mochila às costas, ou inventar, adaptar ou recriar qualquer outra modalidade para viajar e desanuviar.

Independentemente do modo escolhido ou possível para realizar uma viagem, o que realmente interessa é não se ficar imóvel, confinado a um espaço restrito, onde a visão do que nos rodeia é limitada porque, como diz o ditado, «parar é morrer»!


Maria Bijóias

Título: Vai de viagem

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

665 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    15-06-2014 às 01:37:47

    Viajar nos dar uma renovação nas energias! É maravilhoso desfrutar dessa sensação, depois de um ano de trabalho. Vale muito a pena!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Vai de viagem

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios