Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Previna-se contra o cancro

Previna-se contra o cancro

Categoria: Saúde
Previna-se contra o cancro

O cancro está a aumentar cada vez mais e há quem fale já de uma epidemia. Não são só os factores genéticos que contam mas também aquilo que comemos, os químicos e o estilo de vida.

As mortes provocadas pelo cancro são cada vez mais prematuras e comuns. Segundo a organização Mundial de saúde as doenças oncológicas triplicaram e é considerada a principal causa de morte em todo o mundo. Como demora muitos anos a desenvolver-se já está incluído no aumento da esperança de vida, sobretudo o que tem mais incidência na velhice como o cancro da próstata. Como o cancro afecta as camadas mais jovens, o rastreio do cancro da mama passou dos quarenta e cinco para os quarenta. Os factores genéticos são apenas responsáveis por 10% dos cancros. Os factores mais culpados são os ambientais, pelo que devemos ter cuidado com aquilo que fazemos e comemos.

O cancro é já considerado a doença dos tempos modernos e todos nós temos um cancro adormecido em nós. Há quem aponte a razão para ele se desenvolver nos factores ambientais, toxinas e factores psicológicos.

Os oncologistas referem os estilos de vida e a alimentação como principal causa do cancro, no entanto deve evitar-se o excesso de álcool, fazer exercício físico regular, e fazer uma alimentação mediterrânica.

Os doentes que já têm a doença instalada, devem fazer uma dieta nutricional ante cancro. Também devem evitar as toxinas ambientais devidas á industrialização e escolher um ambiente mais puro para viver.

A epidemia do cancro começou após a Segunda Guerra Mundial, devido ás alterações no processo agrícola, em especial com a exposição de químicos. O açúcar refinado alterou os hábitos alimentares, favorecendo o aparecimento do cancro. Deste modo há já quem atribua ao açúcar responsabilidades nesta doença. Aconselha-se assim, a reduzir o consumo de açúcar refinado.

A palavra - chave para esta doença é prevenir, evitando alimentos perigosos e outros agentes.

Os mais maléficos e a evitar são essencialmente, para além do açúcar, a farinha refinada, os lacticínios, a carne de animais alimentados a ração e as gorduras.

Convêm ainda combater a poluição e evitar herbicidas, pesticidas, plásticos e produtos domésticos.

Ao invés, deve reforçar-se o consumo de chá verde que facilita a morte das células cancerosas, o tomilho, o alecrim, o manjericão, e a hortelã. Em vez de carne aumentar a ingestão de soja, peixes gordos (salmão, sardinhas, anchovas, abacate e nozes. Não se deve esquecer ainda de comer leguminosas acompanhadas de azeite, alho, ervas e especiarias. A par disto é importante fortalecer bem o sistema imunológico, para evitar esta e outras doenças.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Previna-se contra o cancro

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 0

605 

Imagem por: ~Katiya~

Comentários - Previna-se contra o cancro

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Superstições Náuticas

Ler próximo texto...

Tema: Barcos
Superstições Náuticas\"Rua
Todos temos as nossas manias e superstições. Não que se trate de comportamentos compulsivos, mas a realidade é que mesmo para quem diz que não liga nenhuma a estas coisas, as superstições acompanham-nos.

Passar por baixo de uma escada, deixar a tesoura, uma porta de um armário ou uma gaveta aberta ou até deixar os sapatos em posição oposta ao correcto, são das superstições mais comuns. As Sextas-feiras 13 também criam alguma confusão a muita gente, mas muitos são os que já festejam e brincam com a data.

Somos assim mesmo, supersticiosos, uns mais do que outros, mas é uma essência que carregamos, mesmo que de forma inconsciente.

Existem no entanto profissões que carregam mitos mais assustadores do que outros, e por exemplos muitos actores não entram em palco sem mandar um “miminho” uns aos outros.

Caso de superstição de marinheiro é dos mais sérios e se julga que se trata só de casos vistos em filmes de piratas, desengane-se. Os marinheiros dos dias de hoje carregam superstições tão carregadas de emoção quanto os de outros tempos.

Umas mais caricatas do que outras, as superstições contam histórias e truques. Por exemplo, contra tempestades, muitos marinheiros colam uma moeda no mastro dos navios.

Tal como fazem os actores, desejar boa sorte a um marinheiro antes de embarcar, também não é boa ideia. Os miminhos dados antes de entrar em palco também servem para o efeito.

Dar um novo nome a um barco é uma péssima ideia para um marinheiro. Dizem que muitos há que não navegam em barcos rebaptizados.

Lembra-se que os piratas de outros tempos utilizavam brincos? Pois isto faz parte de uma superstição. Dizem que os brincos evitam que se afoguem.

Entrar com um pé direito na embarcação é sinal de bons ventos. Tal como acontece com muitos de nós, os marinheiros também não gostam de entrar de pé esquerdo.

Já desde remotos tempos se dia que assobiar traz tempestades. Ora aqui está um mote dos marinheiros, pelo que se assobiar numa embarcação, arrisca-se a ter chatices com o marinheiro.

Verdades ou mentiras, as superstições existem e se manter os seus próprios mitos acalma um marinheiro, então que assim seja. Venham as superstições náuticas que cá estamos para as ouvir.

Já agora uma curiosidade ainda maior. Dizem que se tocar a gola de um marinheiro passará a ter sorte. Será verdade ou foi um marinheiro que inventou?

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:Superstições Náuticas

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Imagem por: ~Katiya~

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    17-06-2014 às 06:39:27

    Não acredito em superstições de forma alguma.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios