Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Não pare no tempo: evolua com a tecnologia!

Não pare no tempo: evolua com a tecnologia!

Categoria: Outros
Visitas: 8
Não pare no tempo: evolua com a tecnologia!

«Modernices!», é a expressão que mais se ouve da boca de pessoas com idade avançada, em teoria com maiores dificuldades de adaptação às inovações tecnológicas. Efectivamente, no “tempo delas” era tudo muito mais simples… e escasso. Ainda hoje se fala bastante do aparecimento da rádio, essas magníficas ondas que veiculavam informação e entretenimento, e da televisão, uma “caixinha” verdadeiramente cativante e “mágica”, o que significa que tudo aconteceu num passado relativamente recente. A questão é que a tendência é para acelerar o processo tecnológico, alargando as áreas de intervenção (comunicação, trabalho, lazer, …) e disponibilizando cada vez mais alternativas, com custos progressivamente inferiores.

Em boa medida à conta da tecnologia, a evolução humana nos últimos milhares de anos está a ocorrer ao ritmo mais célere de sempre, segundo estudos científicos. Inclusivamente no mercado financeiro, já se oferecem produtos e serviços on line aos potenciais clientes. A fibra óptica, a mais recente tecnologia de transmissão de dados, que transporta a Internet em alta definição, faculta velocidades inimagináveis. Estão já “na forja” a TV e a rádio digitais, bem como outras “excentricidades”.

O rádio digital, que continuará a integrar o contexto do áudio, poderá, eventualmente, passar a ser dotado de um pequeno display, onde será possível ver o nome da música e do intérprete em antena, o que lega um inegável contributo para o enriquecimento da cultura musical dos ouvintes. Sendo um pouco mais sofisticado, o tal display permitirá ainda a visualização da capa do CD (sim, já não é disco!) e, quiçá, da cara do artista, bem como de fotografias esclarecedoras dos conteúdos de espaços noticiosos, numa espécie de “radiojornal ilustrado”.

A televisão digital também não vai deixar de ser televisão, com som e imagem. Acrescentará, possivelmente, funções interactivas (talvez como na Internet, ou outras eventuais), imagem de alta definição e som surround. Paralelamente, é possível manter uma imagem normal “compactada” num aparelho quase de bolso, qual livrinho que se abre e fecha em qualquer lado, nas mais diversas circunstâncias.

Os conceitos de outrora estão em franca mudança, é o que é. Ou substituição, numa acepção mais exacta. Hoje em dia, a objectividade estanque das coisas está a dar lugar a uma difusão estonteante, tantas vezes fomentadora de confusão e mesmo de uma certa hibridação. Por exemplo, a proposta do DAB (Digital Audio Broadcasting) alemã, que era originalmente concebido para ser um rádio digital, começou, entretanto, a radioemitir blocos de notícias para serem lidos no receptor. Na Coreia, uma proposta semelhante oferece programas multimédia (videoclips, jogos electrónicos, …).

No ramo automóvel, nomeadamente no que respeita ao segmento diesel, as oficinas dispõem já de ferramentas de diagnóstico que permitem reduzir despesas, quer se trate de reparações complexas ou de revisões básicas.

Por esta amostra, dá para perceber que ninguém pode escapar ao progresso tecnológico. O melhor é mesmo ir tomando assento…!


Maria Bijóias

Título: Não pare no tempo: evolua com a tecnologia!

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 8

623 

Comentários - Não pare no tempo: evolua com a tecnologia!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios