Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Dicas para ultrapassar a crise

Dicas para ultrapassar a crise

Categoria: Outros
Visitas: 10
Comentários: 9
Dicas para ultrapassar a crise

Em momentos de crise há que prevenir e com um pouco de inteligência e até mesmo com alguma imaginação, pode evitar ser uma das vitimas da situação.
Pequenas medidas ajudam a reduzir despesas e garantem uma maior gestão do dinheiro. Assim, siga algumas das sugestões, vai ver que não custa nada:

- Antes de mais, se tem um crédito à habitação comece por negociá-lo com o seu banco. Pesquise o mercado, faça simulações na concorrência e quem sabe se não encontra uma melhor opção, que poderá ser também uma forma pressionar o seu banco a renegociar as condições do seu crédito;

- Reduza as facturas de electricidade, evitando o desperdício. Adira por exemplo à tarifa bi-horária, que é a mais barata e que lhe pode reduzir os custos para metade;

- Não deixe os aparelhos electrónicos, como a televisão, computador… em modo stand by, porque estão a fazer um gasto de energia desnecessário;

- Não esteja a abrir a porta do frigorífico constantemente e verifique se tem o termóstato regulado para evitar a formação de gelo;

- Aqueça apenas pequenas quantidades de comida no micro ondas;

- Corte nas idas ao restaurante, opte por comer em casa. Além de poder cozinhar o que lhe apetecer, poupa dinheiro e ainda pode fazer comida a mais para levar para o almoço do dia seguinte;

- Antes de ir ao supermercado faça uma lista das compras que realmente necessita e não se deixe tentar pelas promoções;

- Ponha a máquina de lavar roupa e a de loiça a funcionar a baixas temperaturas e com carga máxima;

- Reduza o uso da máquina de secar roupa e aproveite sempre que está bom tempo para usar o estendal;

- Antes de terminar de engomar a roupa, desligue o ferro uns minutos antes e aproveite o calor;

- Precisa de comprar roupa? Aproveite a época de saldos e aposte em peças intemporais, práticas e versáteis;

- Tudo o que é acessório (malas, calçado, bijutarias, jóias…) compre apenas alguns modelos que dê para ir trocando;

- É daqueles que paga o ginásio, mas raramente vai? Corte nesta despesa e aproveite os dias de bom tempo e invista em actividades ao ar livre;

- Garanta que as janelas e portas estão bem isoladas;

- Utilize lâmpadas economizadoras e tente aproveitar ao máximo a luz natural;

- Feche bem as torneiras e troque os banhos de imersão pelos duches;

- Reduza a quantidade de água que o seu autoclismo descarga, colocando no depósito uma garrafa de água;

- Adira aos transportes públicos e sempre que possa ande a pé;

- Se não puder prescindir do automóvel, conduza de forma segura, para minimizar o desgaste e o gasto de gasolina;

- Abasteça o depósito do carro nas bombas de gasolina que oferecem preços mais competitivos;

- Veja se tem o seguro automóvel mais em conta no mercado;

- Controle bem a conta do telemóvel e escolha o tarifário que seja mais adequado às suas necessidades;

Se mesmo com estas dicas, ainda estiver com problemas financeiros, poderá ter que procurar um segundo emprego.

Sente-se preparado para por mãos ao trabalho?



Catarina Guedes Duarte

Título: Dicas para ultrapassar a crise

Autor: Catarina Guedes Duarte (todos os textos)

Visitas: 10

772 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 9 )    recentes

  • SophiaSophia

    26-05-2014 às 04:01:26

    Uma boa dica é viver apenas do necessário que precisa para viver. O pouco, na verdade, é muito!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • luisa

    03-01-2013 às 17:18:58

    que belas dicas que vi aqui você deve ser da familia do sr paços,
    Ponto 1 errado as pessoas devem deixar de ir a restaurantes como vão sobreviver os restaurantes com a subida do iva
    Ponto 2 evitar gastos nos supermercados ,como vai o país evoluir se as pessoas não compram,
    Ponto 3 arranjar um segundo trabalho por favor isto é gozar ou falar para ignorantes milhares de pessoas desempregadas incluindo casais da mesma casa.
    Por favor não dêm opiniões idiotas isto é ofender quem quer fazer o pais crescer,não atrapalhem os portugueses com estas parvoíses de que quem sabe algo mas no fundo não percebe nada de nada ou então tem um bom emprego e nunca passou necessidades
    obrigado

    ¬ Responder
  • Ewerton BaptistaSamuel

    17-12-2012 às 09:51:56

    Será que mesmo adotando estas medidas iremos ultrapassar a crise?
    É essa a questão que eu coloco.

    ¬ Responder
  • Jovita CapitãoJovita Capitão

    17-09-2012 às 18:20:18

    Realmente com tantas medidas de austeridade e a dita crise a persegui-nos a carteira temos mesmo de tomar medidas. No entanto,com crise ou sem crise acho que devíamos poupar sempre. De modo geral, a maioria das pessoas só se lembra de poupar quando isso se torna uma medida urgente para sobreviver.

    ¬ Responder
  • Carla HortaCarla Horta

    16-09-2012 às 19:55:38

    Numa situação económica como aquela em que vivemos nos dias de hoje é fundamental estarmos atentos a todas as dicas para poupar. Parabéns pelas ideias, são sempre úteis e devem ser utilizadas todos os dias.

    ¬ Responder
  • Wallace RandalWallace Randal

    14-09-2012 às 14:22:53

    Gostei muito das suas dicas! Aqui em casa nós tivemos que tomar medidas drásticas, inclusive fazer uma mudança. Mas, estamos estabilizados, e sempre adotando medidas econômicas como esta. Até por que dinheiro não é um elemento abundante, seja em situações de aperto ou não é sempre bom ter um controle nos gastos. E, como de praxe, é sempre importante falar: as coisas estão ficando cada vez mais caras. Muito bom seu, texto, obrigado!

    ¬ Responder
  • Jorge Gourgel, Técnicas de ConfortoJorge Gourgel

    13-03-2012 às 06:14:29

    Concordo com muitas das medidas, mas
    concordo ainda mais com o primeiro comentário, não podemos deixar o pequeno comércio ou ter uma vida sem pequenos luxos ou prazeres, com crise ou sem crise o nosso conforto em primeiro lugar.

    Ja imaginou tomar um duche com água fria?... para poupar na conta do gás ou na reparação do aparelho
    Nem pensar, se tiver o aparelho(esquentador, caldeira) avariado ou a precisar de revisão ligue 914568291

    A água quente é uma necessidade comum

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãoclara

    13-07-2011 às 13:09:57

    Concordo com o comentário anterior.

    Se as pessoas deixarem de ir aos Restaurantes, Comprarem roupa nos Saldos, Usarem apenas 1 ou 2 malas, então Portugal entra na banca rota.... Todo o comércio terá de fechar!!!

    ¬ Responder
  • AnonimoAnonimo

    09-03-2009 às 19:27:00

    Queria só dizer-lhe que concordo com muitas dicas que escreveu para combater a famosa crise...Mas deixe-me que lhe diga algo, sou gerente dum restaurante e se dentro da crise eu não tivesse o cuidado de apresentar a qualidade e o bom preço não teria clientes. Agora dizer ás pessoa para deixar de ir aos restaurantes e não comerem fora, bem então começamos a entrar na crise mais gravemente, porque quem tem pequeno comercio se as pessoas deixarem de o procurarem seja cafés, restaurantes, cabeleireiros, e afins então isto vira uma bola de neve...se me permite podem é procurar restaurantes que tenham a qualidade e bom preço como eu por ex, apresento menu de almoço a 4,95€ com tudo incluído menos sobremesa, e desde daí que tenho tido mais clientes.
    Devemos é ter todos cuidado, e não fazermos excessos, assim sim é recomendável porque todos dependemos de trabalho e de uns dos outros. Um bem-haja para si.
    E obrigada.

    ¬ Responder

Comentários - Dicas para ultrapassar a crise

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Habitação – Evolução qualidade/Preço

Ler próximo texto...

Tema: Alojamento
Habitação – Evolução qualidade/Preço\"Rua
Hoje vivemos dias muito complicados do ponto de vista económico, uma vez que a nossa sociedade moderna consumista tem acarretado para as famílias a triste ideia de que temos que possuir tudo o que existe para ser possuído.

Relativamente ao assunto especifico da habitação, com o passar dos tempos, as pessoas têm adquirido as suas casas em função do que há no mercado, e este mercado tem evoluído de uma forma perigosa em termos de custos; o que quero dizer com isto, é que há vinte anos atrás, encontrávamos apartamentos no mercado, e tenho por base um apartamento T3 que tinha 3 quartos conforme a tipologia descrita, naquele tempo uma cada de banho, uma sala de estar/jantar conjunta e talvez uma varanda, hoje o mesmo apartamento terá os três quartos, a sala, duas casas de banho das quais uma poderá estar num dos quartos a que passou a chamar-se suite, este apartamento hoje, tem forçosamente que ter pré instalação para aquecimento central, lareira com recuperador de calor, e muito provavelmente aspiração central, ou pelo menos a pré instalação… Assim, quem compra um apartamento hoje, apesar das dimensões de cada divisão estarem diminuídas, o preço foi muito incrementado pelos extras, e depois há ainda que adquirir uma caldeira para fazer funcionar a tal pré-instalação de aquecimento central, os radiadores porque sem eles o dito não funciona, naturalmente o trabalho do técnico… há ainda que adquirir em muitos casos o aspirador propriamente dito para fazer funcionar a aspiração central, e algumas coisas mais, acessórios dos quais, antes não tínhamos necessidade.

Não quero dizer com isto, que estes equipamentos não são úteis, são, mas e aquelas pessoas que compraram os seus apartamentos há uns tempos, cujos espaços não dispunham destas “modernices” como viveram? Como vivem hoje? Provavelmente aqueles que tiveram disponibilidade económica para isso, colocaram nas suas habitações, aquilo que julgaram necessário, não colocaram aquilo que não lhes é útil de todo, por outro lado aqueles que não tiveram disponibilidade económica vivem sem os equipamentos em questão, ou colocam um equipamento à dimensão das suas possibilidades. O real problema é que os referidos equipamentos valorizaram muito mais as habitações em termos de preço de compra do que o valor real dos mesmos, e as pessoas, estão apagar vinte ou trinta anos, para não dizer mais, um bom valor acima do que pagariam sem estas coisas, além disso comprariam aquilo que quisessem e pudessem.

Para além do exposto, a qualidade de construção e acabamentos não melhorou, antes pelo contrário. Hoje o valor das casas está a decair rapidamente, e as pessoas em geral vivem em casas cujos valores atuais de mercado são muito inferiores ao que estarão a pagar durante muito tempo…

Naturalmente o mercado poderá mudar, mas não é esse o caminho que parece seguir.

Pesquisar mais textos:

Ana Sebastião

Título:Habitação – Evolução qualidade/Preço

Autor:Ana Sebastião(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    21-04-2014 às 17:09:01

    A compra seja de apartamento ou casa estão mais caras e nem sempre oferecem serviços como mostram na divulgação. Não é bom financiar, pois custará o dobro. Realmente, o melhor a fazer é buscar preços que têm condições de pagar ou aderir a um consórcio.

    ¬ Responder
  • Sofia Nunes 13-09-2012 às 17:07:44

    Na minha opinião e de acordo com o que tenho observado, a relação qualidade/preço das habitações está a melhorar. E isso não é necessariamente bom, uma vez que é resultado da crise económica. Como refere, o valor das casas está a descer, pelo que se pode comprar uma vivenda pelo preço que há uns anos era de um apartamento. O problema é que, apesar de as casas estarem mais baratas, os compradores não têm dinheiro.

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios