Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Meu primeiro amor

Meu primeiro amor

Categoria: Outros
Visitas: 2
Comentários: 8
Meu primeiro amor

Passeava eu pela praça quando vi aquela menina, tão bela e meiga, ela me olhava com aquele seu olhar encantador que logo me apaixonei, não tive coragem de ir até ela porque eu era muito jovem e como a maioria dos adolescentes muito envergonhados, mas fiquei com aquele olhar gravado em mim.

Os dias passaram e eu procurei saber onde ela morava e estudava, descobri seu endereço e logo comecei a passar em sua rua para vê-la, e ela sempre sorria para mim da janela de sua casa, o que me deixava muito feliz, estava vivendo meu primeiro amor e o primeiro amor é inesquecível.

Uma noite saí com minha família para o parque da cidade, foi quando a vi próximo á igreja da praça, tomei coragem e decidi ir até ela, falar o quanto a amava, ela me esperou e quando cheguei bem perto dela nós ficamos parados, eu um pouco trêmulo e nervoso peguei em sua mão e dei um beijo suave em seus lindos lábios, aquele beijo durou poucos segundos, mas para mim foi uma eternidade, um momento que jamais esquecerei.

Começamos a namorar nós nos amávamos e fomos muito felizes, mas não demorou muito nossa felicidade, pois ela sumiu da minha vida sem explicação, partiu meu coração, procurei por todos os lugares pelo meu grande amor, mas não a encontrei em lugar algum, chorei vários dias por ela tentando achar uma explicação para o que ela tinha feito, mas não consegui encontrar nenhuma.

Por essa decepção jurei nunca mais amar ninguém, pois a dor de perdê-la me deixou com medo de passar por tudo aquilo novamente. Mais tarde depois de já ter superado tudo isso, perguntei ao meu amigo se ele não tinha notícias dela, pois ele a conhecia bem, ele me falou que ela tinha ido embora porque sua mãe a obrigou voltar para sua casa, pois ela morava na casa de uma amiga de sua mãe.

Descobri então que ela não havia me abandonado, mas sim tinha sido forçada a obedecer sua mãe, fiquei ainda mais inconformado ao saber disso, mas eu tinha 12 anos esse tempo e nada podia fazer. O tempo passou e, nunca consegui esquecer esse grande e primeiro amor de minha vida.

Outro dia, não faz muito tempo, conversei com ela através do facebook, e contei tudo que havia passado por ela, nós rimos muito ao lembrar do passado, ela hoje tem dois filhos e eu estou casado.

Nada como o tempo para nos ensinar que na vida tudo passa e o importante é viver a vida intensamente aproveitando cada segundo como se fosse o último, valorizando as pessoas que sempre nos ajudam.

Essa é a história real do meu primeiro amor.


Wanderson Tiago

Título: Meu primeiro amor

Autor: Wanderson Tiago (todos os textos)

Visitas: 2

611 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 8 )    recentes

  • SophiaSophia

    26-05-2014 às 04:04:31

    Lembro-me com nostalgia meu primeiro amor na adolescência ainda, muito novinha, mas com fortes emoções. Que legal seu texto, fez-me recordar aqueles bons momentos!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • Marcelo

    11-05-2014 às 17:42:02

    Nosso primeiro amor é inesquecível!!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoGervasio

    25-04-2014 às 11:20:36

    É verdade que nunca se esquece o 1 amor, mas passado um tempo apercebemos-nos que nem sempre vale a pena lutar por coisas que não vão dar resultado

    ¬ Responder
  • Wanderson TiagoWanderson Tiago

    28-04-2014 às 16:34:39

    É verdade!!!

    ¬ Responder
  • Ana Creide

    22-04-2014 às 21:34:21

    Muito lindo,encantador és um poeta amigo.

    ¬ Responder
  • Wanderson TiagoWanderson Tiago

    25-04-2014 às 04:02:15

    Obrigado Ana!!!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoAnónimo

    22-04-2014 às 11:14:07

    O primeiro amor nunca se esquece.

    Não acham?

    ¬ Responder
  • Wanderson TiagoWanderson Tiago

    22-04-2014 às 17:07:04

    verdade, ´fica guardado na memória para sempre!!!

    ¬ Responder

Comentários - Meu primeiro amor

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios