Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > O ponto de mutação

O ponto de mutação

Categoria: Literatura
Comentários: 1
O ponto de mutação

CAPRA, Fritjof. O Ponto de Mutação: A Ciência, a Sociedade e a Cultura Emergente. 25ª ed.. São Paulo: Cultrix, 1982.

Nesta obra, Fritjof Capra, um físico e cientista de sistemas, dá continuidade as suas pesquisas sobre as interconexões que existem no universo. Segundo ele, os acontecimentos atuais de guerra, desequilíbrio ambiental, problemas sociais e financeiros, são todos componentes de uma mesma crise, pois, tudo está conectado. A física moderna de Einstein, Newton e o modelo de decomposição de pensamentos e problemas proposto por Descartes não retratam a realidade em que vivemos. Esse perfeito equilíbrio proposto pela ciência, em verdade, não pode ser concebido. O Universo é dinâmico, cíclico e não linear, não podendo ser decomposto e estudado em partes, pois, contém seres vivos, corpo e mente individual. Uma crise mundial está se formando devido ao desequilíbrio, a falta de planejamento, as tecnologias que agridem o meio ambiente e ao aumento desgovernado da população mundial, que necessita de alimentos, de energias provindas de fontes não-renovavéis, não-cíclicas.

A obsessão pelo crescimento econômico, o capitalismo, o consumismo, as guerras por poder, são sem dúvida as mais devastadoras atividades humanas para o planeta Terra. O desaparecimento de valores morais e éticos, do respeito ao próximo e ao ambiente em que vivemos, tudo isso foi se perdendo durante a história de humanidade. Hoje, tentamos recuperar isso, mas sem grande sucesso. Capra relata em sua obra, o Universo como sendo a interligação de todas as mentes e não existe, assim, ato ou pensamento isolado. É necessário que a sociedade mude, que ele esteja conscientizada e preparada para a mudança, porque, se ela não for capaz, o ciclo dessa humanidade vai se completar e, se iniciará um novo. Para que isso não ocorra, é necessário que saibamos que somos autônomos, mas interdependentes, que não deve haver hierarquia, mas cooperação e que evoluímos com o todo. É preciso pensar globalmente nas conseqüências de nossas ações locais. O ponto de mutação se encontra na verdade, em nossos pensamentos, onde transcendemos a física e buscamos o místico, aliando esses conhecimento e nos tornando um só e o todo ao mesmo tempo.

PALAVRAS-CHAVE: física, desequilíbrio, interligações, ciclo.

Escritor Sombra

Título: O ponto de mutação

Autor: Escritor Sombra (todos os textos)

Visitas: 0

612 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoJackson

    17-11-2012 às 00:54:19

    Achei muito interessante sua síntese acerca do livro, vou tentar lê-lo.

    ¬ Responder

Comentários - O ponto de mutação

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Fine and Mellow

Ler próximo texto...

Tema: Música
Fine and Mellow\"Rua
"O amor é como uma torneira
Que você abre e fecha
Às vezes quando você pensa que ela está aberta, querido
Ela se fechou e se foi"
(Fine and Melow by Billie Holiday)

Ao assistir a Bio de Billie Holiday, ocorreu-me a questão Bluesingers x feminismo, pois quem ouve Blues, especialmente as mais antigas, as damas dos anos 10, 20, 30, 40, 50, há de pensar que eram mulheres submissas ao machismo e maldade de seus homens. Mas, as cantoras de Blues, eram mulheres extremamente independentes; embora cantassem seus problemas, elas não eram submissas a ponto de serem ultrajadas, espancadas... Eram submissas, sim, ao amor, ao bom trato... Essas mulheres, durante muito tempo, tiveram de se virar sozinhas e sempre que era necessário, ficavam sós ou mudavam de parceiros ou assumiam sua bissexualidade ou homossexualidade efetiva. Estas senhoras, muitas trabalharam como prostitutas, eram viciadas em drogas ou viviam boa parte entregues ao álcool, merecem todo nosso respeito. Além de serem precursoras do feminismo, pois romperam barreiras em tempos bem difíceis, amargavam sua solidão motivadas pelo preconceito em relação a cor de sua pele, como aconteceu a Lady Day quê, quando tocava com Artie Shaw, teve que esperar muitas vezes dentro do ônibus, enquanto uma cantora branca cantava os arranjos que haviam sido feitos especialmente para ela, Bilie Holiday. Foram humilhadas, mas, nunca servis; lutaram com garra e competência, eram mulheres de fibra e cheias de muito amor. Ouvir Billie cantar Strange Fruit, uma das primeiras canções de protestos, sem medo, apenas com dor na alma, é demais para quem tem sentimentos. O brilho nos olhos de Billie, fosse quando cantava sobre dor de amor ou sobre dor da dor, é insubstituível. Viva elas, nossas Divas do Blues, viva Billie Holiday, aquela que quando canta parte o coração da gente; linda, magnifica, incomparável, Lady Day.

O amor vai fazer você beber e cair
Vai fazer você ficar a noite toda se repetindo

O amor vai fazer você fazer coisas
Que você sabe que são erradas

Mas, se você me tratar bem, querido
Eu estarei em casa todos os dias

Mas, se você continuar a ser tão mau pra mim, querido
Eu sei que você vai acabar comigo

Pesquisar mais textos:

Sayonara Melo

Título:Fine and Mellow

Autor:Sayonara Melo(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios