Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > “A filha da minha melhor amiga” – Uma leitura obrigatória

“A filha da minha melhor amiga” – Uma leitura obrigatória

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Literatura
Visitas: 2
“A filha da minha melhor amiga” – Uma leitura obrigatória

Existem quem goste de um romance arrebatador, daqueles que nos fazem apaixonar só pelo título, existem aqueles a quem uma boa aventura literária é o ideal. Se considera que o seu ideal não é nem o preto nem o branco, apaixone-se pelo meio-termo que passo a apresentar.

Este cinzento conta uma verdadeira história de vida, que nos faz pensar e refletir. Obriga-nos a colocar em causa valores e convicções que julgamos certos.

A autora já apresentou excelentes obras nas livrarias, mas se procura emocionar-se, sorrir, ter o prazer de alegrias e tristezas, sonhar, voar e muitas, muitas outras emoções em corrupio, compre o livro – “A filha da minha melhor amiga”.

Kamryn e Adele são as melhores amigas e confidentes. Compartilham segredos, tristezas ternuras e apostam todas as fichas em como nunca nada nem ninguém as poderá separar.

Quando faltam poucos dias para casar, Kamryn descobre o impensável – Adele envolvera-se com o seu namorado. Dessa relação ilícita, Adele engravida e nasce Tegan.

Anos mais tarde, e sem saber noticias da sua ex-melhor amiga, Kamryn recebe um postal de Adele. Esta pede-lhe para que se encontrem no hospital.

Cheia de coragem por enfrentar o seu passado, Kamryn fica desarmada quando Adele lhe diz que está a morrer e que quer que Kamryn adote a sua filha.

Sem estar pronta para perdoar, Kamryn sente-se perdida no pedido que a amiga lhe faz e pensa em desistir. A vida a que está habituada não lhe permite a presença de crianças, e não se deseja envolver numa causa que não julga sua.

A braços com a morte da sua amiga, Kamryn acaba por acolher a filha ilegítima de uma relação da sua melhor amiga com o seu ex-namorado. Percorrendo várias adversidades, cumpre a promessa de proteger aquilo que resta da pessoa que mais amou – a sua melhor amiga.

Deixo-vos um pequeno trecho:

…” A minha melhor amiga sabia que eu a amava incondicionalmente, pois tinha-me deixado a sua recordação mais preciosa. Tinha-me confiado o seu único e verdadeiro amor. E adotar Tegan, transformar a filha da minha melhor amiga na minha filha, era todo o perdão que Adele poderia ter precisado…”

De chorar, rir e tremer de emoção, este livro é uma curiosa revelação que exige uma reflexão extrema. Profundamente emotivo, este livro vai marcá-lo com toda a certeza. O perdão e a amizade como motes principais, obrigam-nos a várias perguntas interiores. Até que ponto seremos capazes de perdoar!


Carla Horta

Título: “A filha da minha melhor amiga” – Uma leitura obrigatória

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 2

769 

Imagem por: Pink Sherbet Photography

Comentários - “A filha da minha melhor amiga” – Uma leitura obrigatória

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um sinal de compromisso

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Jóias Relógios
Um sinal de compromisso\"Rua
Exibir uma aliança de compromisso é, frequentemente, motivo de orgulho e, quando se olha para ela, vai-se rodando-a no dedo e fica-se com aquela expressão ridícula na cara.

Uma questão se coloca: qual a razão de estas alianças de compromisso serem tão fininhas: será porque os seus principais clientes, os jovens, são sujeitos de poucas posses (tendendo as mesadas a emagrecer ainda mais com a crise generalizada) ou porque esse compromisso, não obstante a paixão arrebatadora, é frágil e inseguro?

Sim, porque aqui há que fazer cálculos matemáticos: x compromissos vezes y alianças…com um orçamento limitado sobre um fundo sentimental infinito…

Depois, importa perpassar os tipos destas alianças. Há as provisórias, que duram em média quinze dias; há as voadoras, que atravessam os ares à velocidade da luz quando a coisa dá para o torto; há as que insistem em cair do dedo, sobretudo em momentos em que ter um compromisso se revela extremamente inoportuno; e depois há as residentes, que uma vez entradas não tornam a sair.

Os pombos-correios usam anilhas onde figuram códigos que os identificam. Talvez não fosse completamente descabido fazer umas inscrições deste género em algumas alianças de compromisso por aí…

Só para ajudar os mais esquecidos a recordarem a que “pombal” pertencem.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Um sinal de compromisso

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    22-09-2014 às 05:46:10

    Um sinal de amor e lealdade perpétua! Adoro ver os vários modelos de aliança! Vale a pena escolher uma bem bonita!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios