Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Energias Renováveis > Energias Renováveis são o futuro

Energias Renováveis são o futuro

Energias Renováveis são o futuro

Hoje em dia, qualquer ação que se leve a cabo no sentido de poupar e proteger o Ambiente é indispensável e de louvar, pelo que os protagonistas, autênticos salvadores da “pátria universal”, que gentilmente alberga o género humano e todas as espécies de seres vivos, realizam gestos de verdadeira heroicidade diariamente. Como afirmava alguém: «É necessário que o heroico se torne quotidiano e que o quotidiano se torne heroico».

Não obstante os apelos e conselhos reiterados, por parte de organizações ambientalistas, Governos, grupos de cidadãos auto-mobilizados e entidades particulares, termos como poluição, redução do consumo de água, eficiência energética, destruição da camada de ozono, aquecimento global e muitos outros, começam a ficar estafados e desprovidos da carga de gravidade que subentendem. Mesmo ante as visíveis e sentidas catástrofes naturais, que os especialistas atribuem, sem receio, aos desequilíbrios e excessos da Humanidade, os hábitos não mudam e o chamamento do dinheiro sobrepõe-se à vida de populações inteiras, quer de pessoas, quer de castas únicas dos reinos animal e vegetal, algumas em vias de extinção. De onde nos vem o direito que reivindicamos como nosso de fazer perigar a sobrevivência de outros?! Há que lembrar que não estamos sozinhos… E depois, estes ganhos imediatos à custa do comprometimento de inúmeros ecossistemas não se pode considerar lucro. Com um horizonte temporal tão curto, só um míope incorrigível poderia esfregar as mãos de contentamento. E, ainda assim, se não se acautelar, enquanto as junta e vai friccionando, a fatura a pagar por tamanha inconsciência e egoísmo pode já estar a cair-lhe em cima…

Neste cenário, muito pouco animador, diga-se, as energias renováveis aparecem como uma alternativa mais “limpa” para a produção da imprescindível energia de que todos necessitamos para as atividades e contextos mais diversos. Trata-se de aproveitar de forma eficaz e racional os recursos que a Natureza coloca ao nosso dispor e de recriar novos. O sol, a água, o biocombustível, o vento e a reciclagem constituem fontes de onde se pode retirar proveito energético, sobretudo pela economia no processo produtivo.

Embora se bata vezes sem conta na mesma tecla, continua a haver gente com preconceitos relativamente ao uso de material reciclado. Esta e outras formas de ignorância são propiciadoras de cenas espantosas como a de não se querer dar ao trabalho de separar o lixo doméstico dos resíduos (material reciclável, que inclui embalagens, papel, vidro, metal, …), e deitar tudo no contentor, indiscriminadamente, estando o ecoponto logo ali ao lado!
Tamanho desplante e irresponsabilidade são inadmissíveis, dado que a informação circula por todo o lado. É como se alguém precisasse de socorro e este, encontrando-se em espaço contíguo, não lhe fosse prestado. Por enquanto, continua a ter de se inverter a percentagem buçal/herói…

Maria Bijóias

Título: Energias Renováveis são o futuro

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

775 

Comentários - Energias Renováveis são o futuro

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios