Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Energias Renováveis > Diminua o consumo de água em casa

Diminua o consumo de água em casa

Comentários: 1
Diminua o consumo de água em casa

A água é um bem essencial à vida que tem sido usado abusivamente e, por isso, a sua escassez é já uma realidade. Há quem lhe chame o “ouro branco”, numa clara alusão às guerras que despoletará num horizonte temporal próximo, quando o “ouro negro” (o petróleo) deixar de constitui a disputa principal, uma vez que é a água o elemento indispensável à sobrevivência. Ante a ameaça fundamentada de um futuro sem água, cada indivíduo é chamado a agir no sentido de preservar o mais precioso dos bens.

Há muitas dicas que permitem a poupança de água, amplamente difundidas pelos meios de comunicação social, sobretudo em dias de memória ou comemoração disto ou daquilo relacionado com o tema da água. Contudo, existe ainda muito a crença de que se exagera ou que, pelo menos, os efeitos da falta de água não se farão sentir para agora. Pura ilusão. Além do mais, as pessoas continuam a ter filhos e a dizer que gostam deles. Nesse caso, não quererão vê-los morrer à míngua, pois não? Ou os netos e bisnetos…

Por exemplo, nas casas com pátio, assiste-se, amiúde, a uma lavagem em que é o jato de água que esfrega a calçada, em vez da vassoura. Será isto razoável? De todo! Por outro lado, utilizando um balde para lavar o carro, gasta-se cerca de dez vezes menos água. A rega das plantas e do jardim é outro dos aspetos que pode ser tornado mais eficiente. Um aspersor e o controlo do tempo e da quantidade de água constituem alternativas bastante válidas. O reaproveitamento da água de cozer vegetais para este fim ou da água da chuva (armazenada em recipientes fechados) é outra ideia ainda melhor. Regar as plantas de manhã concorrerá para uma evaporação mais lenta da água, o que se traduz em poupança.

Em casa, uma torneira a pingar pode desperdiçar até 45 litros de água por dia. E, num um mês, perde água que daria para suprir as necessidades de uma pessoa durante 14 dias! Consertar problemas de fugas de água representa a eliminação do desperdício. E, como «no poupar é que está o ganho», sempre são euros não esbanjados.

Na casa de banho, as sanitas são grandes “bebedoras”. O autoclismo afigura-se como responsável por grande parte do consumo do líquido singular. Para reduzir a quantidade expelida por descarga, pode colocar-se uma garrafa de água vazia com a tampa fechada (a fim de reduzir a capacidade de enchimento do depósito). Em acréscimo, nos autoclismos que têm essa funcionalidade, é possível ajustar-se o mecanismo para o volume de descarga mínimo ou interromper o fluxo quando não for necessário o descarregamento total. Depositar o lixo no balde em vez de o deitar pela sanita abaixo (cotonetes, pensos higiénicos, cigarros, etc.) evita, por um lado, entupimentos e, por outro, descargas absolutamente desnecessárias do autoclismo.

No que se refere ao banho, o tempo média de duração deverá ser de, aproximadamente, cinco minutos, dando preferência ao duche, em detrimento do banho de imersão (que gasta muito mais água). Não obstante, se se optar por este último, pode encher-se a banheira apenas até um terço do seu nível máximo. Aproveitar a água fria que sai do chuveiro até à chegada da quente, para ulterior rega de plantas, lavagens domésticas ou da viatura, mudança de água do aquário, para dar de beber a animais de estimação, etcétera, é, identicamente, um meio de preservação do Ambiente e do dinheiro na carteira.

Instalar um compressor redutor de caudal nas torneiras é passível de reduzir o consumo de água para metade! Deve-se, também, fechar a torneira quando se está a ensaboar as mãos, a lavar os dentes ou a fazer a barba.

No que respeita às máquinas de lavar (loiça e roupa), é sensato pô-las a trabalhar somente quando possuem a carga completa ou, em caso de necessidade, premir o botão da meia carga para conseguir maior eficiência. Além da água, poupa-se, igualmente, energia. Não é razoável lavar peças isoladas na máquina. Lavando-as à mão, a água (pelo menos, a do enxaguamento) pode servir para lavar o chão da cozinha ou outra superfície do género.

Aderir à reciclagem do papel é outra boa iniciativa. A produção de papel reciclado consome menos água do que a fabricação de papel virgem. Uma tonelada de papel reciclado economiza 25 mil litros de água!

Por estranho que possa parecer, muitos dos produtos que usamos diariamente exigem a utilização directa ou indirecta da água. O indicador da quantidade de água empregue nos bens e serviços que consumimos denomina-se Pegada de Água (Water Footprint), e retrata a água realmente necessária para sustentar uma população. Por exemplo, cada chávena de café bebida inclui 140 litros de água; cada quilo de carne de vaca pressupõe um gasto de 16 mil litros de água! Um simples hambúrguer de 150 gramas utiliza 2400 litros de água (mais do que uma t-shirt de algodão, que não ultrapassa os 2000 litros). Uma simples folha de papel consome dez litros de água e uma fatia de pão 40. O conceito de Pegada de Água envolve informação baseada na noção de Água Virtual, definida como o volume de água necessário para produzir um bem ou serviço.

Os valores calculados dependem da quantidade mundialmente produzida, da necessidade de água individual de um produto, dos processos de transformação e das características dos locais onde são produzidos (clima, tecnologia aplicada, …), sendo que o maior desenvolvimento de um país subentende um consumo acrescido e, portanto, uma Pegada de Água superior.

Reduzir a Pegada de Água é indispensável para a garantia da sustentabilidade dos recursos hídricos à escala mundial, e está relacionada com a eficiência no uso de água no sector agrícola (melhor aproveitamento da água da chuva, alterações nos sistemas de irrigação, …) e com a mudança nos hábitos e padrões de consumo domésticos. A grande maioria das pessoas não imagina quanta água é gasta nos produtos que consome. Assim sendo, a sensibilização dos consumidores é fundamental para que estes não se tornem cúmplices involuntários da destruição dos recursos do Planeta.


Maria Bijóias

Título: Diminua o consumo de água em casa

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

668 

Imagem por: James Cridland

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãoluana

    20-10-2009 às 15:10:58

    gostei miuto desse site.

    ¬ Responder

Comentários - Diminua o consumo de água em casa

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Cecília Meireles

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Biografias
Cecília Meireles\"Rua
Biografia, obras e estilo literário

Cecília Meireles é uma das grandes escritoras da literatura brasileira. Seus poemas encantam os leitores de todas as idades. Nasceu no dia 7 de novembro de 1901, na cidade do Rio de Janeiro e seu nome completo era Cecília Benevides de Carvalho Meireles.

Sua infância foi marcada pela dor e solidão, pois perdeu a mãe com apenas três anos de idade e o pai não chegou a conhecer (morreu antes de seu nascimento). Foi criada pela avó Dona Jacinta. Por volta dos nove anos de idade, Cecília começou a escrever suas primeiras poesias.

Formou-se professora (cursou a Escola Normal) e com apenas 18 anos de idade, no ano de 1919, publicou seu primeiro livro “Espectro” (vários poemas de caráter simbolista). Embora fosse o auge do Modernismo, a jovem poetisa foi fortemente influenciada pelo movimento literário simbolista.

No ano de 1922, Cecília casou-se com o pintor Fernando Correia Dias. Com ele, a escritora teve três filhas.

Sua formação como professora e interesse pela educação levou-a a fundar a primeira biblioteca infantil do Rio de Janeiro no ano de 1934. Escreveu várias obras na área de literatura infantil como, por exemplo, “O cavalinho branco”, “Colar de Carolina”, “Sonhos de menina”, “O menino azul”, entre outros. Estes poemas infantis são marcados pela musicalidade (uma das principais características de sua poesia).

O marido suicidou-se em 1936, após vários anos de sofrimento por depressão. O novo casamento de Cecília aconteceu somente em 1940, quando conheceu o engenheiro agrônomo Heitor Vinícius da Silveira.

No ano de 1939, Cecília publicou o livro Viagem. A beleza das poesias trouxe-lhe um grande reconhecimento dos leitores e também dos acadêmicos da área de literatura. Com este livro, ganhou o Prêmio de Poesia da Academia Brasileira de Letras.

Cecília faleceu em sua cidade natal no dia 9 de novembro de 1964.

Relação de suas obras:

Espectro - 1919
Criança, meu amor - 1923
Nunca mais... - 1923
Poema dos Poemas -1923
Baladas para El-Rei - 1925
O Espírito Vitorioso - 1935
Viagem - 1939
Vaga Música - 1942
Poetas Novos de Portugal - 1944
Mar Absoluto - 1945
Rute e Alberto - 1945
Rui — Pequena História de uma Grande Vida - 1948
Retrato Natural - 1949
Amor em Leonoreta - 1952
12 Noturnos de Holanda e o Aeronauta - 1952
Romanceiro da Inconfidência -1953
Poemas Escritos na Índia - 1953
Batuque - 1953
Pequeno Oratório de Santa Clara - 1955
Pistóia, Cemitério Militar Brasileiro - 1955
Panorama Folclórico de Açores -1955
Canções - 1956
Giroflê, Giroflá - 1956
Romance de Santa Cecília - 1957
A Rosa - 1957
Obra Poética -1958
Metal Rosicler -1960
Solombra -1963
Ou Isto ou Aquilo -1964
Escolha o Seu Sonho - 1964

Pesquisar mais textos:

Elisangela Lourenço de Oliveira

Título:Cecília Meireles

Autor:Elisangela Lourenço Oliveira(todos os textos)

Imagem por: James Cridland

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios