Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > O sopro da morte ( primeira parte)

O sopro da morte ( primeira parte)

Categoria: Literatura
Comentários: 1
O sopro da morte ( primeira parte)

Vera olhou mais uma vez para o espelho com um longo suspiro, o vestido lilás que a mãe lhe havia comprado era bastante bonito, apesar de ser simples, só que ela não gostava de se ver usando vestidos, além disso, detestava exibir-se em público, mas não tinha outra opção. A Directora da escola fizera bastante pressão para que ela aceita-se cantar no baile de finalistas, além do mais quem resiste a uma bolsa de mérito quando se vive com dificuldades financeiras? Vera sabia que a mãe fazia de tudo por ela, mas o magro salário que ela ganhava como empregada de balcão de uma pastelaria, mal dava para pagar as despesas, quanto mais pagar a faculdade, ao menos com a bolsa de mérito seria uma despesa a menos.
Vera fazia parte do coro da escola, e era considerada uma das melhores cantoras da região , e quando o vocalista da banda que havia sido contratada para o baile de finalistas foi internado no hospital devido a uma infecção, o seu nome foi logo sugerido para substituir a banda; mas ela não ficou nem um pouco lisonjeada com essa sugestão, há muito que não estava com disposição para festas, nem tão pouco para cantar músicas melosas, mas enfim, pela bolsa de mérito valia a pena o sacrifício.
-Vera estás pronta? - perguntou a mãe de Vera batendo na porta do quarto. – Olha que não podes chegar atrasada!
- Já estou pronta! – resmungou Vera ao sair do quarto. – Ainda temos meia hora!
-Estás linda! – exclamou a mãe ao vê-la. – Devias usar vestidos mais vezes!
-Sabes bem que detesto vestidos! – respondeu Vera de mau humor enquanto levantava um pouco a saia do vestido para não tropeçar nele. - Não podias ter comprado um vestido mais curto? Pareço um abajur, além disso se não tenho cuidado ainda tropeço nele!
A mãe não respondeu, limitou-se apenas a abanar a cabeça com um sorriso.
A escola ficava próxima da casa de Vera, por isso, a viagem de automóvel foi muito curta, antes de sair do automóvel Vera suspirou mais uma vez: “o sacrifício que uma pessoa tem de fazer para ganhar uma bolsa de mérito”, pensou,.
De repente a mãe de Vera sentiu um estranho arrepio pela coluna acima, mas decidiu ignorar, e ao virar-se para a filha reparou que ela estava um pouco pálida.
-Estás bem? – perguntou a mãe enquanto Vera saia do automóvel – Se quiseres podemos voltar para atrás!
-Não é preciso! - respondeu vera com um sorriso, enquanto se afastava do automóvel da mãe. – A sério eu estou bem! Vem me buscar por volta da meia noite, está bem?
-Ok ! Porta-te bem! – respondeu a mãe a vê-la a afastar-se em direcção á escola, mal sabendo que era a ultima vez que veria a filha…viva.
- Tá ! - respondeu Vera indo em direcção á escola …e á morte....

Elisabete Pereira

Título: O sopro da morte ( primeira parte)

Autor: Elisabete Pereira (todos os textos)

Visitas: 0

606 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Lilia BuragaLilia Buraga

    26-09-2013 às 20:16:17

    Ola Elisabete! Gostei da historia! Quando é que vem a segunda parte? Estou muito curiosa com o desfecho...

    ¬ Responder

Comentários - O sopro da morte ( primeira parte)

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios