Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Crítica ao livro: “O Príncipe do méxico”.

Crítica ao livro: “O Príncipe do méxico”.

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Literatura
Crítica ao livro: “O Príncipe do méxico”.

O livro “Príncipe do méxico”, de Federica de Cesco, conta a história de amor de dois príncipes adolescentes que viveram no tempo do Império Asteca.

Tive acesso a este livro nas nesmas circunstâncias em que tive acesso a um outro: A Peúga Mágica”. Lutava contra a inércia numa cama de hospital. Foi num desses dias em que esperava ter alta médica que recebi a visita de uma tia que me ofereceu dois livros. Li primeiro “A Peúga Mágica”, pois, como criança gostava mais de livros com imagens. Daí que pus o livro: “O Príncipe do México”, temporariamente de lado. O tempo foi passando até que num dia de chuva, em que não havia nada para fazer, peguei-lhe e comecei a ler.

“Numa noite do final de janeiro do ano Ce-Acatl...a princesa Tecuichpo...foi arrancada cedo ao sono por um grito agúdo. Soergueu-se nas mãos e o coração deu-lhe um salto no peito. Por instantes pairou um silêncio semelhante a uma rede invisível no escuro. Em seguida, o ruído ecoou novamente: um misterioso soluçar entrecortado”.

“ Arrastara-a por entre os arbustos e afugentara um bando de aves. Tinha arrancado um espinho de uma árvore e, ante a nervosa jovenzinha, espetara-o fundo no braço. Em seguida, pegara no pulso frágil da companheira e fizera o mesmo. Apertara as duas feridas uma de enconrtro à outra, misturando os sangues”.

“ao chegar diante do trono imperial, ajoelhou-se e ergueu as mãos com um gesto implorativo”.
“...-Mas que filha é que atira a honra do pai para a lama e lhe cobre no nome de vergonha e opróbrio?”

“Quando Guatemoc mandou destruir o aqueduto...a situação dos espanhois e dos tlaxcaltecas, que a eles se tinham aliado, tornou-se crítica.

“ Guatemoc ficou só. Subitamente, ouviu um ligeiro ruído nas suas costas.Uma mão pousou-lhe no ombro...Mantiveram-se, muito juntos, esgotados e vencidos, mas de cabeças erguidas, enquanto a cidade destruída pelas chamas lançava reflexos de sangue sobre as águas cobertas de destroços.

Confesso que não foi uma leitura fácil, mas não conseguia parar de ler. Era como se a história me hipnotizasse. As palavras a traíam-me de uma tal forma que só descansei quando cheguei ao fim do livro. Quando olhei lá para fora, tinha parado de chover.


Jovita Capitão

Título: Crítica ao livro: “O Príncipe do méxico”.

Autor: Jovita Capitão (todos os textos)

Visitas: 0

603 

Comentários - Crítica ao livro: “O Príncipe do méxico”.

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios