Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Desporto > Desportos na Natureza

Desportos na Natureza

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Desporto
Comentários: 1
Desportos na Natureza

Num mundo em constante mudança lembramo-nos hoje como o povo português era apelidado de preguiçoso há uns anos atrás por não ser seduzido pelo desporto e de uma maneira geral pelas atividades ao ar livre.

Com o tempo, foram sendo construídas infraestruturas, que afinal até faziam falta e sem as quais seria difícil e desapropriado efetuar este tipo de atividades.

Hoje, em pleno século XXI existem algumas cidades no nosso país que dispões de percursos de manutenção completos, com indicação dos exercícios a realizar. Existem locais, naturalmente nas maiores cidades, totalmente equipados para o mais desprevenido cidadão fazer uso de alguns músculos normalmente esquecidos… enfim um sem fim de atividades lúdicas que antes não nos eram possíveis.

Nos últimos anos já não são raros também os percursos pedestres homologados, com mais ou menos dificuldade, marcados devidamente de forma a conseguir-me uma certa segurança. Estes percursos, com pisos diversos levam o caminheiro a contactar com a natureza travando conhecimento com as espécies de fauna e flora existentes nos diversos locais.

Hoje são inúmeros os Portugueses que palmilham estes caminhos, trilhos criados para este mesmo efeito, e portanto criadas as infraestruturas, nada têm de preguiçosos. Naturalmente demorou tempo para que nos adaptássemos, para que experimentássemos, para que conhecêssemos… e há ainda muito por conhecer, no entanto os Portugueses embora gostem dos trilhos, já nem precisam deles, e basta que olhemos pelas nossas janelas na periferia das cidades para vermos inúmeras pessoas sozinhas ou em grupos que caminham, correm ou andam de bicicleta…

Estranhamente, e apesar da crise, também os ginásios estão cheios de pessoas que pretendem queimar calorias e melhorar a sua performance, direi mesmo que hoje fazemos de tudo e mais alguma coisa para esquecer a crise, é que este tipo de atividades concentram-nos numa outra dimensão, esquecemos tudo para estarmos a pensar no exercício se estivermos no ginásio, já nos exercícios de rua, podemos olhar as árvores, escutar os pássaros, eu costumo também encontrar coelhos, não digo onde porque pode estar algum caçador a ler… e a natureza é de facto um encanto capaz de nos fazer acreditar que o mundo é muito melhor do que nos querem fazer crer.

Bora lá ao exercício!!!


Ana Sebastião

Título: Desportos na Natureza

Autor: Ana Sebastião (todos os textos)

Visitas: 0

607 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Luene ZarcoLuene

    30-06-2014 às 21:45:09

    Adoro fazer desportos na natureza em seu contato e no frescor do dia. Faz bem ao corpo e à alma!!!

    ¬ Responder

Comentários - Desportos na Natureza

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Pulp Fiction: 20 anos depois

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Arte
Pulp Fiction: 20 anos depois\"Rua
Faz hoje 20 anos que estreou um dos mais importantes ícones cinematográficos americanos.

Pulp Fiction é um marco do cinema, que atirou para a ribalta Quentin Tarantino e as suas ideias controversas (ainda poucos tinham visto o brilhante “Cães Danados”).

Repleto de referências ao cinema dos anos 70 e com uma escolha de casting excepcional, Pulp Fiction conquistou o público com um discurso incisivo (os monólogos bíblicos de Samuel L. Jackson são um exemplo disso), uma violência propositadamente mordaz e uma não linearidade na sucessão dos acontecimentos, tudo isto, associado a um ritmo alucinante.

As três narrativas principais entrelaçadas de dois assassinos, um pugilista e um casal, valeram-lhe a nomeação para sete Óscares da Academia, acabando por vencer na categoria de Melhor Argumento Original, ganhando também o Globo de Ouro para Melhor Argumento e a Palma D'Ouro do Festival de Cannes para Melhor Filme.

O elenco era composto por nomes como John Travolta, Samuel L. Jackson, Bruce Willis, Uma Thurman e (porque há um português em cada canto do mundo) Maria de Medeiros.

Para muitos a sua banda sonora continua a constar na lista das melhores de sempre, e na memória cinéfila, ficam eternamente, os passos de dança de Uma Thurman e Travolta.

As personagens pareciam ser feitas à medida de cada actor.
Para John Travolta, até então conhecido pelos musicais “Grease” e “Febre de Sábado à Noite”, dar vida a Vincent Vega foi como um renascer na sua carreira.

Uma Thurman começou por recusar o papel de Mia Wallace, mas Tarantino soube ser persuasivo e leu-lhe o guião ao telefone até ela o aceitar.

Começava ali uma parceria profissional (como é habitual de Tarantino) que voltaria ao topo do sucesso com “Kill Bill”, quase 10 anos depois.

Com um humor negro afiadíssimo, Tarantino provou em 1994 que veio para revolucionar o cinema independente americano e nasceu aí uma inspirada carreira de sucesso, que ainda hoje é politicamente incorrecta, contradizendo-se da restante indústria.

Pulp Fiction é uma obra genial. Uma obra crua e simultaneamente refrescante, que sobreviveu ao tempo e se tornou um clássico.
Pulp Fiction foi uma lição de cinema!

Curiosidade Cinéfila:
pulp fiction ou revista pulp são nomes dados a revistas feitas com papel de baixa qualidade a partir do início de 1900. Essas revistas geralmente eram dedicadas às histórias de fantasia e ficção científica e o termo “pulp fiction” foi usado para descrever histórias de qualidade menor ou absurdas.

Pesquisar mais textos:

Carla Correia

Título:Pulp Fiction: 20 anos depois

Autor:Carla Correia(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios