Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Utilidades Domésticas > Como matar baratas

Como matar baratas

Visitas: 12
Comentários: 5
Como matar baratas

As baratas são os mais antigos insetos a habitar o planeta, tendo sobrevivido ao grande cataclismo que extinguiu os dinossauros. São muito resistentes e podem ficar sem comer durante um mês e sem beber água mais de duas semanas.

Como são insetos nojentos ninguém gosta de os ter em casa como uma praga difícil de matar. Alimentam-se de cadáveres de animais omnívoros e noturnos. Apesar de serem muito repelentes há locais infestados de baratas sendo necessário grande cuidado para não os atrair.

Em casa deve evitar-se sempre detritos e restos de comida sobre as pias e pisos da cozinha. Convêm evitar ao máximo a humidade tapando as frestas das janelas e portas. A bancada da cozinha, o chão, e o banheiro deve ser sempre limpo e seco. Ter sempre vedado com borracha e silicone o tampo da cozinha e banheiros, reparar as canalizações e nunca deixar esponjas ou panos molhados. Devem ser postos a secar para evitar zonas húmidas. Nunca deixar o lixo aberto mas sim fechar em sacos ou deitar de imediato no contentor. Os restos dos alimentos devem ser guardados em recipientes de vidro, louça ou plástico fechado. Os espaços pequenos e húmidos devem ser também vedados e não deixar as torneiras a pingar. Também não se deve ter caixas de papelão ou jornais e revistas a monte porque atrai em os repelentes insetos. Como se alimentam de sabões, suor, cola e papelão devem estes ser evitados ao máximo pois é o suficiente para atrair uma praga.

Como as baratas transmitem doenças por bactérias, como a lepra, furunculose, tuberculose, poliomielite e diarreia, devem imediatamente exterminar-se com veneno.

Deste modo é conveniente saber que elas gostam muito de cerveja, sendo por isso um bom remédio colocar numa garrafa ácido bórico e depois colocar a garrafa deitada fazendo uma ponte entre o solo e a boca da garrafa. Elas são atraídas pelo cheiro e comem o ácido.

Outra maneira usualmente utilizada é colocar sal no seu caminho, uma tampa de cachaça e um palito ao lado. Elas pensam que é açúcar, comem o sal, bebem a cachaça da tampa e morrem. Estas são receitas de venenos caseiros que funcionam mas se isso não acontecer o melhor é fazer uma desinfestação com inseticida próprio. O melhor é colocá-lo nas fendas das paredes de três em três semanas para evitar pragas.

Mas o mais simples é usar louro nos cantos da casa, ter sempre eucalipto e alecrim seja em óleos ou natural. Como elas detestam o seu cheiro ativo, dificilmente se aproximam dele. E não é tóxico como os venenos.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Como matar baratas

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 12

781 

Imagem por: Neil T

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 5 )    recentes

  • SophiaSophia

    04-06-2014 às 08:07:12

    É um problema que causa muita dor de cabeça na dona do lar. Pior são aquelas baratinhas bem pequenas que causam constrangimento. Obrigada pelas dicas de como matar baratas.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoPesquisar antes de postar é bom.

    11-06-2013 às 11:58:16

    "Outra maneira usualmente utilizada é colocar sal no seu caminho, uma tampa de cachaça e um palito ao lado. Elas pensam que é açúcar, comem o sal, bebem a cachaça da tampa e morrem."

    Não acredito que li isso kkk
    Espero que a sua intenção tenha sido fazer humor nessa parte, porque isso é uma piada antiguissima e os ingredientes são sal, cachaça, palito e uma pedra. A piada é assim: A barata come o sal achando que é açúcar, fica com muita sede e bebe a cachaça achando que é água, fica bêbada, tropeça no palito bate a cabeça na pedra e morre.

    ¬ Responder
  • Guilherme

    01-05-2013 às 13:15:35

    Acredite que tenho o produto para resolver o seu caso. Sou
    Tecnico de controlo de pragas. Envio o produto a cobranca.
    Deixe contacto em [email protected]

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoGUilherme

    25-12-2012 às 17:09:24

    Em primeiro lugar as baratas nao fazem ninhos. Metem otecas sao uns casulos compostos por um exoescleto que e impenetravel a nivel de produtos.

    ¬ Responder
  • snisio sabinosnisio sabino

    07-03-2012 às 11:59:26

    OBRIGA PELA DICA,POIS EM MINHA CASA SETA LOTADO DESTAS PORCARIA.

    ¬ Responder

Comentários - Como matar baratas

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Imagem por: Neil T

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios