Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > O coração também sofre pela boca

O coração também sofre pela boca

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Saúde
Comentários: 3
O coração também sofre pela boca

«Ter o coração na boca» é uma expressão que evoca a sinceridade dos sentimentos de alguém. Porém, ter a boca no coração devia espelhar a preocupação de a manter saudável, por causa do que a sua falta de saúde pode ocasionar em termos cardíacos. Efetivamente, estudos científicos relativamente recentes vieram demonstrar que quanto mais cáries e dentes em falta um adulto jovem patentear, maior é o risco que corre de vir a sofrer de doenças cardiovasculares. Na realidade, as bactérias hospedadas na boca podem, de algum modo, chegar à corrente sanguínea e provocar infeções ou inflamações crónicas.

A ideia de que os processos inflamatórios desencadeiam o desenvolvimento de enfermidades coronárias tem vindo a ser sustentada, à medida que se avança no conhecimento científico, proporcionado por uma sucessão infindável de pesquisas. A inflamação é uma reação imunitária de defesa do organismo, passível de apresentar manifestações como febre, inchaço e dor, ou ser completamente assintomática.

Ante este último cenário, para saber se existe uma inflamação sistémica há que pedir ao médico assistente, sobretudo se houver fatores de risco, uma avaliação da proteína C ultrassensível no sangue, que representa um marcador de inflamação. A exposição continuada a esta proteína é suscetível de originar aterosclerose, patologia arterial periférica e até ataque cardíaco. Aconselha-se uma dieta anti-inflamatória, rica em óleo de peixe, frutas, vegetais com folhas e fibras. É ainda possível recorrer a suplementos dietéticos (sempre com supervisão de um técnico de saúde qualificado, devido aos efeitos potencialmente indesejados dos vários nutrientes que os compõem) como por exemplo o ómega 3 o extrato de alho envelhecido.

Há provas de que o alho é eficaz contra as estirpes da espécie estafilococus resistentes aos antibióticos, a bactéria geradora da pneumonia e estirpes resistentes de Helicobacter pylori (H. pylori). Na grande maioria das pessoas, esta bactéria, que habita no estômago, não produz sintomas. Noutras, contudo, desencadeia úlceras pépticas, certos tipos de gastrite e cancro. O alho possui ainda propriedades anticoagulantes e torna o sangue mais fino. Quando se está prestes a ser alvo de algum procedimento cirúrgico, é necessário descontinuar o uso de alho.

Parafraseando Mahatma Gandhi ao contrário (ele, que viveu, entre 1869 e 1948, e que afirmava que «a saúde é o resultado, não só dos nossos atos, como também dos nossos pensamentos»), poderia dizer-se que não basta saber e pensar sobre as coisas; a nossa saúde depende, em grande medida, das ações que nos dispusermos a levar a cabo pela edificação e manutenção de uma vida saudável.


Maria Bijóias

Título: O coração também sofre pela boca

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

790 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Yuri SilvaYuri

    12-08-2014 às 22:46:23

    Sim, concordo plenamente. O coração também sofre pela boca por hábitos muitos ruins na alimentação e nos cuidados do corpo. Há de se ter precauções quanto ao que se come e procurar sempre se manter ativa.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaniela Vicente

    13-09-2012 às 18:53:00

    para o seu coração manter-se feliz e saudável pode comer cacau escuro em pó. como não temos habito de comer cacau, pode polvilhar sobre algum fruto ao seu gosto, como a abóbora, por exemplo. os flavonoides fazem baixar a tensão arterial e previne os coágulos. pode ainda beber vinho quente com canela e cravinho. quem já não ouvi dizer que um copo de vinho À refeição é óptimo para o coração.

    ¬ Responder
  • josé antonio garcia marquesjosé antonio garcia marques

    29-04-2012 às 19:48:11

    Sempre que tomo umas cervejas à noite, no outro dia tenho uma dor incômoda que parece ser no coração ou na cavidade do peito,lado esquerdo, as mão e pés gelam e tenho que caminhar, pois dá impressão que vai piorar -que pode ser?

    ¬ Responder

Comentários - O coração também sofre pela boca

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Habitação – Evolução qualidade/Preço

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Alojamento
Habitação – Evolução qualidade/Preço\"Rua
Hoje vivemos dias muito complicados do ponto de vista económico, uma vez que a nossa sociedade moderna consumista tem acarretado para as famílias a triste ideia de que temos que possuir tudo o que existe para ser possuído.

Relativamente ao assunto especifico da habitação, com o passar dos tempos, as pessoas têm adquirido as suas casas em função do que há no mercado, e este mercado tem evoluído de uma forma perigosa em termos de custos; o que quero dizer com isto, é que há vinte anos atrás, encontrávamos apartamentos no mercado, e tenho por base um apartamento T3 que tinha 3 quartos conforme a tipologia descrita, naquele tempo uma cada de banho, uma sala de estar/jantar conjunta e talvez uma varanda, hoje o mesmo apartamento terá os três quartos, a sala, duas casas de banho das quais uma poderá estar num dos quartos a que passou a chamar-se suite, este apartamento hoje, tem forçosamente que ter pré instalação para aquecimento central, lareira com recuperador de calor, e muito provavelmente aspiração central, ou pelo menos a pré instalação… Assim, quem compra um apartamento hoje, apesar das dimensões de cada divisão estarem diminuídas, o preço foi muito incrementado pelos extras, e depois há ainda que adquirir uma caldeira para fazer funcionar a tal pré-instalação de aquecimento central, os radiadores porque sem eles o dito não funciona, naturalmente o trabalho do técnico… há ainda que adquirir em muitos casos o aspirador propriamente dito para fazer funcionar a aspiração central, e algumas coisas mais, acessórios dos quais, antes não tínhamos necessidade.

Não quero dizer com isto, que estes equipamentos não são úteis, são, mas e aquelas pessoas que compraram os seus apartamentos há uns tempos, cujos espaços não dispunham destas “modernices” como viveram? Como vivem hoje? Provavelmente aqueles que tiveram disponibilidade económica para isso, colocaram nas suas habitações, aquilo que julgaram necessário, não colocaram aquilo que não lhes é útil de todo, por outro lado aqueles que não tiveram disponibilidade económica vivem sem os equipamentos em questão, ou colocam um equipamento à dimensão das suas possibilidades. O real problema é que os referidos equipamentos valorizaram muito mais as habitações em termos de preço de compra do que o valor real dos mesmos, e as pessoas, estão apagar vinte ou trinta anos, para não dizer mais, um bom valor acima do que pagariam sem estas coisas, além disso comprariam aquilo que quisessem e pudessem.

Para além do exposto, a qualidade de construção e acabamentos não melhorou, antes pelo contrário. Hoje o valor das casas está a decair rapidamente, e as pessoas em geral vivem em casas cujos valores atuais de mercado são muito inferiores ao que estarão a pagar durante muito tempo…

Naturalmente o mercado poderá mudar, mas não é esse o caminho que parece seguir.

Pesquisar mais textos:

Ana Sebastião

Título:Habitação – Evolução qualidade/Preço

Autor:Ana Sebastião(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    21-04-2014 às 17:09:01

    A compra seja de apartamento ou casa estão mais caras e nem sempre oferecem serviços como mostram na divulgação. Não é bom financiar, pois custará o dobro. Realmente, o melhor a fazer é buscar preços que têm condições de pagar ou aderir a um consórcio.

    ¬ Responder
  • Sofia Nunes 13-09-2012 às 17:07:44

    Na minha opinião e de acordo com o que tenho observado, a relação qualidade/preço das habitações está a melhorar. E isso não é necessariamente bom, uma vez que é resultado da crise económica. Como refere, o valor das casas está a descer, pelo que se pode comprar uma vivenda pelo preço que há uns anos era de um apartamento. O problema é que, apesar de as casas estarem mais baratas, os compradores não têm dinheiro.

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios