Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Pontos A Considerar No Emprego Do Verbo Acontecer

Pontos A Considerar No Emprego Do Verbo Acontecer

Categoria: Outros
Visitas: 2
Pontos A Considerar No Emprego Do Verbo Acontecer

É bem interessante estudarmos alguns verbos da língua portuguesa. Ainda mais, quando trabalhamos com escrita ou quando vamos prestar algum tipo de concurso. Um desses verbos é “acontecer”. Para muitos, o verbo acontecer pode ser empregado em qualquer tipo de situação ou de qualquer jeito, mas não é bem assim. Você terá aqui alguns pontos que devem ser considerados para esse verbo seja utilizado de maneira correta. Então, vamos lá!

Pontos a considerar no emprego do verbo acontecer:


1 – Este verbo deve concordar normalmente com o sujeito da oração:
- Acontecem (e não acontece) desgraças que poderiam ser evitadas;
- Nos últimos dias aconteceram (e não aconteceu) vários acidentes naquela rodovia.

2 – O sujeito sendo uma oração infinitiva é inadequado o uso da preposição “de” após o verbo acontecer:
- Se lhe acontece encontrar a porta fechada, ele espera pacientemente.
Contrariando a boa regência, um escritor moderno escreveu:
- Já lhe aconteceu de fazer alguma coisa sem saber o porquê?
Correção: Já lhe aconteceu fazer alguma coisa sem saber o porquê?

3 – Embora se trate de verbos ligados por um traço semântico comum, não convém, na linguagem culta formal usar, acontecer por realizar-se. Diga-se, portanto:
- A inauguração da obra realizou-se (e não aconteceu) na manhã de ontem;
- A greve dos bancários não se realiza (em vez de não acontece). Pode-se recorrer a outras construções:
- Inaugurou-se a obra na manhã de ontem;
- Fracassa a greve dos bancários;
- Não houve o esperado festival;
- A viagem do ministro será no sábado;
- Infelizmente o contrato não se efetuou (ou não se concretizou).

4 – No padrão culto também não se deve empregar acontecer no sentido de “obter êxito ou notoriedade”, “tornar-se conhecido, admirado, famoso”, como nesta frase:
- Cíntia, que teve seu primeiro livro indicado para o Jabuti, quer acontecer também fora de casa, como tantos escritores gaúchos. (Raquel Bertol, O Globo, 24.06.2000).

Espero que tenha esclarecido bastante acerca do emprego correto do verbo acontecer. Realmente, é preciso considerar pontos fundamentais da nossa língua portuguesa para sabermos como utilizá-la na escrita e fala. Até mais!!


Vicente Silva

Título: Pontos A Considerar No Emprego Do Verbo Acontecer

Autor: Vicente Silva (todos os textos)

Visitas: 2

517 

Comentários - Pontos A Considerar No Emprego Do Verbo Acontecer

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios