Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Empresariais > Fui Despedido – E agora?

Fui Despedido – E agora?

Categoria: Empresariais
Comentários: 1
Fui Despedido – E agora?

A crise mundial instalou-se, aliás, entranhou-se. Como o mundo é feito de países e estes de pessoas, o comum cidadão é sem sombra de dúvidas o mais afectado. O aumento dos meios de subsistência tal como os alimentos básicos, os transportes, e as taxas de juro, são um pequeno exemplo do que pode alterar o bem-estar de qualquer um de nós.

Se os aumentos dos preços nos fazem perder o poder de compra e consequentemente um melhor estilo de vida, existe um outro factor que nos pode levar a uma ruína a níveis financeiros e psicológicos. Ficar desempregado.

A palavra é assustadora e ganhámos já o hábito de o ouvir permanentemente a qualquer início de telejornal. O desemprego tem aumentado nos últimos tempos e face à instabilidade económica que se vislumbra em qualquer lugar, não existe a chamada luz ao fundo do túnel.

A melancolia atinge-nos quando conhecemos alguém que se encontra no desemprego e que caminha para as instituições de direito, afim de poder voltar ao ritmo profissional a que estava habituado.

Mas e quando a situação de desemprego nos calha a nós? O nosso despedimento, o nosso desemprego, o nosso sufoco, a nossa mágoa, o nosso sentimento de desamparo.

A situação é a nossa e só nos resta perguntar – E agora?

Bem, para começar, não se sinta perdido. Não poderá achar que está perante uma catástrofe. Uma doença complicada é um tormento, uma situação de desemprego não poderá ser. Não perca o desânimo.

Com o despedimento (extinção do posto de trabalho ou despedimento colectivo que são os mais comuns) o trabalhador tem direito a pelo menos uma comunicação da entidade empregadora, tal como a chamada carta para o fundo de desemprego. Esta carta diz respeito a um impresso que pode ser impresso através do site da Segurança Social, e posteriormente assinada e carimbada pela entidade patronal.

Com esta carta dirija-se ao Centro de Emprego e inscreva-se, mostrando o documento. Peça o direito ao fundo de desemprego que poderá corresponder a uma percentagem do valor do seu ordenado.

De seguida, verifique os anúncios que se encontram no centro de emprego, quer os escritos, quer os que lá estão on-line. Aproveite e verifique se existem cursos ou formações subsidiadas pelo estado que possa frequentar.

Entretanto, procure no jornal e em sites de anúncios na internet.

Envie o seu curriculum com uma pequena carta de apresentação. A insistência e a procura constante vão abrir-lhe portas. Vá a entrevistas e tente. Nunca e de forma alguma desista nem se deprima. Vai ver que existem portas que se vão abrir.


Carla Horta

Título: Fui Despedido – E agora?

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 0

768 

Imagem por: dmangust

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Luene ZarcoLuene

    10-07-2014 às 23:21:58

    Sempre muito difícil no início, mas depois de se recompor é melhor levantar a cabeça e seguir em frente. Tentar pensar em como melhorar como pessoa e como profissional. Já aconteceu comigo e é bem chato mesmo, mas depois passa!

    ¬ Responder

Comentários - Fui Despedido – E agora?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Por que ser sustentável em casa é uma boa ideia?

Ler próximo texto...

Tema: Outros
Por que ser sustentável em casa é uma boa ideia?\"Rua
A ideia de sustentabilidade há muito deixou de ser apenas uma exigência da modernidade ou de estilo para ser um fator decisivo no bem viver do ser humano.

O termo é amplo, mas de modo geral, podemos dizer que sustentabilidade é a preocupação com a gestão de recursos no momento atual, de forma a garantir condições ideais de vida no futuro.

Em outras palavras, isso quer dizer que o que você fizer agora, trará reflexos no futuro. Simples assim! E como se essa ideia já não bastasse para uma tomada de posição enérgica, existem atitudes sustentáveis que afetam diretamente o seu bolso, sua saúde, sua condição de vida atual.

Muitos de nós temos o pensamento errôneo de que os recursos naturais são infinitos. Já que sabemos ser esse um pensamento equivocado, comece a repensar o seu dia a dia, pois o seu lar é o elo de uma extensa corrente que, se bem ajustada, poderá trazer resultados surpreendentes.

Veja o que podemos fazer para ter uma atitude sustentável e estar em sintonia com o que há de melhor no pensamento mundial sobre bem-estar.

Iluminação: Atualmente temos uma infinidade de opções de lâmpadas que mantêm a luminosidade sem prejudicar o meio ambiente. Nesse quesito, as lâmpadas de LED têm sido usadas com sucesso em substituição às de filamento (em franca extinção por conta de seu gasto exorbitante) e às eletrônicas. Sempre que possível, utilize a luz natural, deixando o ambiente com cores claras e leves.

Água: Recurso que muitos entendem será o X da questão mundial em futuro muito breve, o precioso líquido vem sendo maltratado há muito tempo. Hoje, são inadmissíveis certas atitudes com relação ao gasto de água. Torneiras e chuveiros gotejantes devem ser consertados rapidamente, bem como o ato de “varrer” quintais e calçadas com mangueiras não pode ser mais tolerado em tempos de crise hídrica. Carros podem ser lavados com balde e esfregão, e o resultado ainda assim ficará ótimo.

Energia: Evite o abre e fecha da geladeira. Ao cozinhar, por exemplo, tenha em mente o que vai precisar retirar do refrigerador, assim você abrirá bem menos o aparelho, evitando gasto desnecessário de energia. A lavagem de roupa deverá ser bem administrada, de forma que a máquina de lavar não seja acionada muitas vezes sem motivo. Espere o acúmulo de roupas para reduzir o número de ciclos. Limpe com frequência o filtro do aparelho de ar condicionado para evitar sobrecarga e desperdício de recursos.

Uma última dica: no mercado é possível encontrar temporizadores de iluminação (timers). Com eles você pode ajustar o tempo que uma lâmpada ficará acessa quando não tiver ninguém no recinto. Isso fará uma bela diferença em sua conta de energia e ajudará o planeta a usar menos recursos preciosos.

Pesquisar mais textos:

Lauro Damilo Dias

Título:Por que ser sustentável em casa é uma boa ideia?

Autor:Lauro Damilo Dias(todos os textos)

Imagem por: dmangust

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios