Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Ensaio sobre a Cegueira - José Saramago

Ensaio sobre a Cegueira - José Saramago

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Literatura
Visitas: 2
Comentários: 3
Ensaio sobre a Cegueira - José Saramago

A cegueira começou por abater um indivíduo no meio do caos do trânsito. Um outro indivíduo prontificou-se a levar o inesperado cego, roubando-lhe o carro.

Em casa, o cego e a sua mulher choraram desoladamente e decidem ir a um consultório médico, onde o médico analisou o cego e não arranjou qualquer explicação para aquela repentina cegueira.

Entretanto, o indivíduo que roubou o carro ao cego, o médico que analisou o cego e todos os pacientes que estavam no consultório, também ficaram cegos.

No dia seguinte, o médico contou à mulher que estava cego e, mais tarde, recebe uma chamada a avisá-lo da chegada de ambulância para buscá-lo. A ambulância chegou e os médicos não deixaram que a mulher do médico o acompanhe, mas esta entrou mesmo assim afirmando que também estava cega.

O ministério mandou isolar num manicómio todas as pessoas que cegaram repentinamente e todas as pessoas que estiveram em contacto com estas pessoas.

No dia seguinte, entraram mais cegos no manicómio. Todos esses cegos tinham estado em contacto com os cegos que já estavam no manicómio.

Entretanto, o ministério não estava a cumprir com o prometido. Os cegos tinham aumentado, mas a comida não. Todos os dias, iam chegando mais cegos e as camaratas ficavam cada vez mais lotadas.

Um grupo de cegos começou a roubar a comida só para eles. Um dos elementos desse grupo tinha uma pistola e disse para todos os cegos que estes tinham de pagar se quisessem comer. A mulher do médico não se conformou, claro, e reclamou.

Os restantes cegos trataram de armazenar num saco todos os objetos de valor para entregar aos cegos ladrões, mas só obtiveram três caixas de comida.

Após três dias sem comida, os cegos ladrões pediram mulheres para satisfazerem os seus desejos carnais. As mulheres reuniram-se em fila e dirigiram-se para a camarata dos ladrões cegos. Durante horas passaram de homem em homem.

Na noite seguinte, os ladrões cegos foram atormentar as mulheres da outra camarata. Eram quinze mulheres. Também foram violadas, mas a mulher do médico conseguiu matar o chefe, enquanto este se entretinha com uma mulher.

Noutro dia, a mulher do médico decidiu largar fogo às camas dos ladrões cegos. O fogo começou a propagar-se por todo o manicómio. Esta voltou novamente à sua camarata e deu as mãos aos cegos para saírem do fogo e do manicómio. Apercebe-se que os militares tinham ido embora e saiu do manicómio com os restantes cegos.

Os sete cegos rumaram até ao centro da cidade com a mulher do médico a dirigi-los. O objetivo desta era deixá-los abrigados num sítio e ir buscar comida, sozinha, para eles.
A mulher do médico arranjou um sítio para acomodar os cegos e partiu em busca de comida.

Após a refeição, os cegos decidiram regressar às suas casas, mas a mulher do médico convidou-os para se instalarem na casa dela, pois queria ajudá-los. Os cegos aceitaram o convite, mas com a condição de primeiro passarem pela casa deles para “verem” o que tinha lá acontecido.

Finalmente chegaram a casa do médico e da mulher. Por acaso, não tinha sido arrombada. Que sorte! Começaram de imediato a tirar a roupa mal cheirosa e a limparem a casa para permitir uma convivência, no mínimo, agradável.

Passado algum tempo, num dia normal, de um momento para o outro, os cegos voltam a ver.
Nunca se descobriu o porquê da mulher do médico nunca ter cegado.


Daniela Vicente

Título: Ensaio sobre a Cegueira - José Saramago

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 2

609 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Daniela VicenteDaniela Vicente

    26-08-2012 às 22:52:28

    O texto está disponível para quem QUER LER. Se você não quer, não precisa ler, nem fazer este tipo de comentários muito pouco construtivo.

    ¬ Responder
  • Bruno JorgeBruna

    27-08-2012 às 09:12:32

    Srª Dª Daniela, eu queria diser se vai ter di po um super dupa resumo do livro no site, bota que é um resumo no titulo.

    ¬ Responder
  • Bruno JorgeBruna

    24-08-2012 às 09:37:31

    Peço disculpa mais voçê está dando a istória toda pó povo minha sinhora. Nossa não istraga pá quem não sabi.

    ¬ Responder

Comentários - Ensaio sobre a Cegueira - José Saramago

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como fazer disfarces de Carnaval

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Vestuário
Como fazer disfarces de Carnaval\"Rua
O ano começa e depressa chega uma data muito ansiada principalmente pelos mais jovens: o desejado Carnaval!

Esta é uma data que os pequenos adoram e deliram com as fantasias. O problema maior é a despesa que os disfarces representam e no ano seguinte já não usarão o mesmo disfarce ou, no caso dos mais pequenos, já não lhes serve.
O melhor nesta data é mesmo reciclar e aprender a fazer disfarces caseiros utilizando truques mais económicos e materiais reciclados para preparar as fantasias dos pequenitos!

Uma sugestão para os meninos é o traje de pirata que pode facilmente ser criado a partir de peças que tenha em casa. Procure uma camisa de tamanho grande e, de preferência, de cor branca com folhos. Se não tiver uma camisa com estas características facilmente encontrará um modelo destes no guarda-vestidos de alguma familiar, talvez da avó.

Precisará de um colete preto. Na falta do colete pode utilizar um casaco preto que esteja curto, rasgue as mangas pelas costuras dos ombros. As calças devem ser velhas e pretas para poderem ser cortadas na zona das pernas para envelhecer a peça. Coloque um lenço preto ou vermelho na cabeça do menino e, de seguida, com um elástico preto e um pouco de velcro tape um dos olhos.

Para as meninas não faltam ideias originais para fazer disfarces bonitos e especiais para este dia. Uma ideia original é a fantasia de Flinstone. É muito fácil e prática de fazer e fica um disfarce muito bonito. Comece por arranjar um pedaço de tecido branco. Coloque o tecido em volta do corpo como uma toalha de banho e depois amarre num dos braços fazendo uma alça. Depois corte as pontas em ziguezague mantendo um lado mais comprido que o outro. Amarre o cabelo da menina todo no cimo da cabeça, como se estivesse a fazer um rabo-de-cavalo mas alteie-o mais. Com o auxílio de um pente frise o cabelo, pegando nas pontas e passando o pente em sentido contrário até que fique todo despenteado. Numa loja de disfarces compre um osso de plástico e prenda na fita da criança.

Pegue nos materiais, puxe pela imaginação e ponha mãos ao trabalho!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Como fazer disfarces de Carnaval

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    09-06-2014 às 04:01:21

    Não em carnaval, mas em bailes de fantasia, sempre usei o TNT. Eles são ótimos para trabalhar o corte, para costurar e deixa bem bonito!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios