Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Crítica a Moby Dick

Crítica a Moby Dick

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Literatura
Comentários: 1
Crítica a Moby Dick

É-me difícil, agora que penso nisso pela primeira vez, levar a cabo um resumo de Moby Dick. E se assim é, se porventura não sou a única que se depara com o mesmo obstáculo, será certamente porque Moby Dick não é o mesmo livro para todos os leitores, ainda que decerto se encontrarão duas pessoas que retirem da obra a mesma interpretação. Diria ainda mais: Moby Dick não é sempre o mesmo para o mesmo leitor. Contanto que uma mesma pessoa terá lido Moby Dick na infância, a sua interpretação será radicalmente diferente daquela que logrará alcançar já adulto.

Não são só a idade e a experiência, no entanto, que atribuem a Moby Dick diferentes luzes, de acordo com os olhos percorrem as suas -muitas- páginas. É, mais que a história de vida de cada um, o seu carácter. É inevitável que uma pessoa que seja, de alguma forma e por qualquer razão, seja ela uma recordação, a ambição ou o medo, atormentada, retire da obra-prima de Melville mais significado que um sujeito tendencialmente simples retiraria.

Moby Dick narra a viagem do navio de caça à Baleia chamado Pequod, originário de New Bedford, localidade dos Estados Unidos da América, comandado pelo louco capitão Ahab, disposto a colocar o empreendimento da caça, a vida da sua tripulação e a sua própria na busca desenfreada pela sanguinária Baleia Branca -Moby Dick- responsável pela perda da sua perna na anterior viagem. Esta tão simples linha de história é tudo o que podemos dizer sobre a obra de Melville sem que mergulhemos na nossa própria visão da mesma. Uma criança de doze anos apreciará Moby Dick como um livro de aventuras, um adulto experienciará uma viagem sobretudo introspetiva, tendencialmente ligada à figura de Ahab, o louco que tem, irrevogavelmente, de perseguir Baleia Branca –nunca Ahab se interroga sobre a pertinência do seu empreendimento- como se esse fosse o desígnio certeiro para o qual era conduzido pelo seu espírito atormentado.

Pouco mais me é possível dizer sobre esta joia da literatura mundial – poderia falar sobre as longas descrições da caça ao cachalote ou das ainda mais extensas descrições da sua anatomia, mas não o farei. Moby Dick tem de ser lido.

Sofia Nunes

Título: Crítica a Moby Dick

Autor: Sofia Nunes (todos os textos)

Visitas: 0

618 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaniela Vicente

    12-09-2012 às 20:07:05

    eu nunca li moby dick, mas adorava ler. tenho imensa curiosidade, pois desde pequena que vejo desenhos animados inspirados no livros de moby dick. dá uma grande nostalgia ver esses desenhos animados e agora ler aqui o seu texto com um breve resumo da história. gostei muito dos eu texto. demonstra grande paixão pelo tema, que é o que leitor pretende ver quando lê. está muito bem escrito. parabéns.

    ¬ Responder

Comentários - Crítica a Moby Dick

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios