Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Crítica a Moby Dick

Crítica a Moby Dick

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Literatura
Comentários: 1
Crítica a Moby Dick

É-me difícil, agora que penso nisso pela primeira vez, levar a cabo um resumo de Moby Dick. E se assim é, se porventura não sou a única que se depara com o mesmo obstáculo, será certamente porque Moby Dick não é o mesmo livro para todos os leitores, ainda que decerto se encontrarão duas pessoas que retirem da obra a mesma interpretação. Diria ainda mais: Moby Dick não é sempre o mesmo para o mesmo leitor. Contanto que uma mesma pessoa terá lido Moby Dick na infância, a sua interpretação será radicalmente diferente daquela que logrará alcançar já adulto.

Não são só a idade e a experiência, no entanto, que atribuem a Moby Dick diferentes luzes, de acordo com os olhos percorrem as suas -muitas- páginas. É, mais que a história de vida de cada um, o seu carácter. É inevitável que uma pessoa que seja, de alguma forma e por qualquer razão, seja ela uma recordação, a ambição ou o medo, atormentada, retire da obra-prima de Melville mais significado que um sujeito tendencialmente simples retiraria.

Moby Dick narra a viagem do navio de caça à Baleia chamado Pequod, originário de New Bedford, localidade dos Estados Unidos da América, comandado pelo louco capitão Ahab, disposto a colocar o empreendimento da caça, a vida da sua tripulação e a sua própria na busca desenfreada pela sanguinária Baleia Branca -Moby Dick- responsável pela perda da sua perna na anterior viagem. Esta tão simples linha de história é tudo o que podemos dizer sobre a obra de Melville sem que mergulhemos na nossa própria visão da mesma. Uma criança de doze anos apreciará Moby Dick como um livro de aventuras, um adulto experienciará uma viagem sobretudo introspetiva, tendencialmente ligada à figura de Ahab, o louco que tem, irrevogavelmente, de perseguir Baleia Branca –nunca Ahab se interroga sobre a pertinência do seu empreendimento- como se esse fosse o desígnio certeiro para o qual era conduzido pelo seu espírito atormentado.

Pouco mais me é possível dizer sobre esta joia da literatura mundial – poderia falar sobre as longas descrições da caça ao cachalote ou das ainda mais extensas descrições da sua anatomia, mas não o farei. Moby Dick tem de ser lido.

Sofia Nunes

Título: Crítica a Moby Dick

Autor: Sofia Nunes (todos os textos)

Visitas: 0

618 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaniela Vicente

    12-09-2012 às 20:07:05

    eu nunca li moby dick, mas adorava ler. tenho imensa curiosidade, pois desde pequena que vejo desenhos animados inspirados no livros de moby dick. dá uma grande nostalgia ver esses desenhos animados e agora ler aqui o seu texto com um breve resumo da história. gostei muito dos eu texto. demonstra grande paixão pelo tema, que é o que leitor pretende ver quando lê. está muito bem escrito. parabéns.

    ¬ Responder

Comentários - Crítica a Moby Dick

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O que é uma Open House?

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Imóveis Venda
O que é uma Open House?\"Rua
Este é um tema que vem pôr muito a lindo o trabalho de alguns mediadores imobiliários e do seu trabalho.

Quando temos um imóvel para vender, muitos são os métodos a utilizar e os meios que nos levam até eles para termos o nosso objetivo cumprido – A venda da Casa.
Quando entregamos o nosso imóvel para que uma mediadora o comercialize, alguns aspetos têm de ser tidos em conta, como a legalidade da empresa e quem será a pessoa responsável pela divulgação da sua casa, mas a ansia de vermos o negócio concretizado é tanta, que muitas vezes nos escapa a forma como fazem a referida divulgação e publicidade do imóvel.

Entre anúncios na internet e as conhecidas folhas nas montras dos estabelecimentos autorizados, muitas mediadoras optam por fazer uma ação que está agora muito em voga que é uma Open House. Mas afinal, o que é isto de nome estrangeiro que tanto se vê pelas ruas e em folhetos de anúncio?

Ora bem, a designação em Português é muito simples – Casa Aberta. E na realidade, uma Open House é isso mesmo. Abrir uma Casa para que todos a possam ver. NO entanto, requerem-se alguns aspetos que as mediadoras normalmente preveem, mas que é fundamental que o proprietário do imóvel também tenha consciência e conhecimento.

Por norma as imobiliárias só fazem este tipo de intervenção e ação em imóveis que têm como exclusivo, isto é, quando é uma só determinada mediadora, a autorizada a poder comercializar o imóvel.

Em segundo lugar, este tipo de ação de destaque requer à mediadora custos com tempo, recursos humanos e financeiros.
A mediadora começa por marcar um dia próprio que por norma é datado para um feriado ou fim de semana. Faz então publicidade local através de folhetos e flyres anunciando a Open House, o dia e a hora, tal como o local. Muito provavelmente serão tiradas fotografias ao seu imóvel.

Através de redes sociais também poderão ser divulgadas as ações.
No dia da Open House, o local será indicado com publicidade da sua casa e da imobiliária e começarão a aparecer visitas ao imóvel.

Sugiro que não tenha mobiliário e muito menos valores em casa. O ideal será o imóvel estar desocupado de todos e quaisquer bens, por uma questão de segurança, mas também porque as áreas parecerão maiores e isso com toda a certeza ajuda à venda.

A imobiliária será responsável pela limpeza e trato do imóvel, pelo que se ocorrerem danos, serão eles os responsáveis.
Neste tipo de ações, é normal que a concorrência das imobiliárias apareça e faça parcerias que para si só trará vantagens.

Uma Open House pode não ser uma ação de destaque em Portugal, mas por exemplo nos Estados Unidos, é o normal e mais agradável. Os clientes não se sentem pressionados como numa visita normal e os negócios concretizam-se com muito mais rapidez e naturalidade.

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:O que é uma Open House?

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios