Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Fotografia > Dicas de fotografia

Dicas de fotografia

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Fotografia
Comentários: 1
Dicas de fotografia

Uma fotografia, tida como algo banal, tem bastante que se lhe diga. A tarefa não é assim tão fácil, e a habilidade vai muito para além de apertar um botão. A fotografia é uma forma de comunicação visual, com mensagens, mais ou menos, implícitas ou explícitas, consoante a consciência e a arte do fotógrafo.

Primeiro, há que selecionar o objeto principal da imagem e enquadrá-lo. Centrar o tema da foto é uma regra seguida pela esmagadora maioria das pessoas. É compreensível, dado que é para o centro que o nosso olhar se dirige naturalmente. Fugir a este cliché, contudo, tendo a ousadia de deslocar o assunto primacial, é passível de tornar a fotografia mais interessante. Para conseguir um bom enquadramento, uma premissa básica é dividir o visor da máquina em três colunas e três linhas, que, por si, já revelam pontos de destaque para, por exemplo, colocar os olhos de uma pessoa ou o horizonte. Por outro lado, as intercessões dessa divisão constituem os pontos mais atraentes.

No que se refere ao flash, é um pouco complicado aprender a usá-lo de forma adequada. Quando o flash se encontra demasiado perto, a foto pode ficar excessivamente clara e, se estiver muito longe, escura. De salientar que o flash tem um alcance limitado (em média de três a cinco metros), pelo que, estando o foco a trinta metros, é inútil ligar o flash. Os ambientes escuros não são os únicos cenários a requerer a utilização de flash: numa fotografia contra-luz, como noutras diversas situações, o flah pode funcionar como preenchimento.

A seleção do fundo é outro aspeto importante a ter em conta. Com efeito, ele representa tanto para a fotografia como o que aparece em primeiro plano. Cuidado com cores garridas, linhas e outros objetos suscetíveis de retirar a atenção do foco!
Quando o tema da foto é uma pessoa, convém que se mostre a pessoa! Há que aproximar-se o suficiente para se conseguirem perceber detalhes daquele rosto, em vez de andar à procura de um pequeno ser no meio de muito nada… A propósito, as fotografias de pessoas devem ser tiradas à altura dos olhos destas. Portanto, tratando-se de crianças, por vezes é necessário colocar-se de joelhos, sentar-se, deitar-se no chão, enfim, o que for preciso para ficar ao nível delas.

Aproveitar ao máximo a luz do sol é outro dos segredos. É aconselhável que ele fique nas costas de quem tira a foto, a fim de aproveitar a iluminação. Um passo para o lado pode fazer toda a diferença. Um dia nublado, por seu turno, em que a luz é difusa, mostra-se propício ao realce de cores e à suavização de contornos.

No que respeita à cor, a maioria das máquinas fotográficas digitais traz um comando que permite controlar a cromatismo. No entanto, o que se recomenda é experimentar e experimentar até chegar ao que se deseja. Este é o grande segredo da fotografia: o processo de tentativa/erro. É claro que ler as instruções da máquina para se inteirar das respetivas capacidades e configurações possíveis também dá jeito…

A arte fotográfica é assaz subjetiva; não há regras. O essencial é aprender a dominar a luz e a máquina, fotografar imenso, aperfeiçoar a técnica e apurar o próprio estilo visual. Depois, é só fazer o que se quiser!


Maria Bijóias

Título: Dicas de fotografia

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

612 

Imagem por: Sklathill

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    05-05-2014 às 04:06:01

    As dicas de fotografias sempre são importantes para aprendermos, ainda mais quem está iniciando essa arte ou até para quem tira algumas fotos. Que dicas valiosas para fotografar com qualidade.

    ¬ Responder

Comentários - Dicas de fotografia

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Cuidado com as curvas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Motas
Cuidado com as curvas\"Rua
Quando se fala em motas, delineia-se na nossa mente a figura de um indivíduo, “maluquinho” por estes veículos de duas rodas, vestido com colete preto de couro e envergando umas possantes botas da mesma cor, e, quiçá, umas caveiras ou outros distintivos aqui ou ali, nele ou na moto. Normalmente, os motociclistas, motoqueiros ou motards, como são conhecidos, regem-se por um espírito muito próprio, que ninguém sabe definir muito bem, mas que, sem dúvida, engloba a sensação de liberdade e, por vezes, umas bebedeiras a valer numa qualquer concentração de motas. A parte boa é que, não acontecendo nada de pernicioso à mota e ao seu condutor quando se desafia a sorte desta maneira, uma vez despojado das roupas e acessórios motards, colocando o fato e a gravata, este volta a ser uma pessoa “normal”, imbuído de sentido de responsabilidade e bom senso. Estas características, tão úteis no trabalho e em sociedade, são, amiúde, esquecidas quando se está ao “volante” de uma moto. Cede-se, frequentemente, à tentação de andar muito depressa, de ultrapassar em terceira fila, de passar à frente nas portagens, de desrespeitar o próximo perpetrando atrocidades inacreditáveis e fazendo tudo o que dá na veneta, com a segurança de se estar protegido pelo anonimato do capacete e da pouca ou nenhuma visibilidade da matrícula.

Por outro lado, também existe aquilo a que se chama de solidariedade motard, que apela aos mais puros sentimentos de entreajuda em caso de queda ou outra situação de aflição. Claro que, em determinadas circunstâncias, mais valia que estivessem quietos, em vez de retirar apressadamente o capacete a um colega estendido no chão (é a última coisa a fazer), e noutras ainda bem que se tem assistência em viagem, porque, dada a falta de visão periférica dos companheiros de estrada, bem se podia”esticar o pernil” que não apareceria vivalma para dar uma ajuda.

Definições e conceitos à parte, o motociclismo constitui uma paixão fervorosa de um grande números de indivíduos, com um incremento significativo do género feminino. Faz-se uso da mota por razões não profissionais, por diversão, por se ser praticante desta modalidade, para locomoção, ou, simplesmente, porque se gosta de motos. Seja qual for a razão, os agradecimentos têm de ser dados a Gottlieb Daimler (1834-1890), que inventou o primeiro protótipo. E, já agora, não custa render gratidão também a John Boyd Dunlop, veterinário escocês, que concebeu uma espécie de roda, que corresponde ao nascimento do pneu. Pode, portanto, afirmar-se com toda a legitimidade que um veterinário deu à luz um pneu…!

Pesquisar mais textos:

Maria Bijóias

Título:Cuidado com as curvas

Autor:Maria Bijóias(todos os textos)

Imagem por: Sklathill

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • letícia Cristina Calixto de Souza 20-06-2013 às 17:19:32

    eu achei muito interessante esse texto por que ele me ajudou a fazer um trabalho escolar mas eu quero falar para a autora desse texto que ela está de parabéns e que esse texto possa incentivar cada pessoa que ler ele então meus parabéns

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios