Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alojamento > Amor e uma... casa de madeira?

Amor e uma... casa de madeira?

Categoria: Alojamento
Comentários: 3
Amor e uma... casa de madeira?

Não, não é uma cabana. Mas é igualmente propícia ao romance. Façamos um pequeno exercício. Feche os olhos, inspire e sinta o aroma milenar mas fresco que é característico da madeira. Agora imagine-se a abrir uma janela e a experimentar, sopradas pela brisa, as mil fragrâncias de um pomar. Não lhe parece um sítio carregado de romance?

Viver numa casa de madeira numa pequena aldeia ecológica pode fazer parte do plano de vida sonhado de muitos jovens amantes da natureza, mas raras vezes é concretizado. E no entanto vivemos num território nacional que, ainda que não tenha sido ultimamente palco de muitas alegrias, se distingue por um clima propício à instalação destas habitações, tão comuns em países que, ao contrário do nosso jardim à beira mar, sofrem condições climatéricas agressivas, como é o caso dos Estados Unidos da América.

As casas de madeira têm um encanto especial, diria que quase místico. Não sei se a forma como as imagino, tão idealizadas, tem que ver com o seu enquadramento, nos meus sonhos, num bosque luxuriante, com um pomar nas traseiras e um rio lá no fundo – uma perfeita simbiose entre o ser humano e o meio ambiente.

Há-as pré-fabricadas e construídas de raiz, mais grandiosas ou modestas, oferecendo as mesmas funcionalidades e confortos idênticos às comuns casas de alvenaria. Ainda assim, aqueles que, apreciando estas habitações, se mostrarem relutantes face à ideia de viver permanentemente numa delas, por qualquer que seja a razão, podem ponderar a hipótese de construir uma casa de madeira como habitação de férias. Ora imagine que está no seu local de férias predilecto, seja ele a serra, a praia ou uma estância de neve (onde, aí sim, abundam os já tradicionais chalés) - não se enquadra uma casa de madeira perfeitamente em qualquer destes cenários?

Com um impacto ambiental restringido, quando comparadas com as nossas construções usuais e os materiais que lhes dão forma, e beneficiando de custos e tempo de construção mais reduzidos face às tradicionais vivendas e construções em altura, pouco separa os que sonham viver ou passar férias numa casa de madeira da sua materialização em realidade. Deixe-se encantar!


Sofia Nunes

Título: Amor e uma... casa de madeira?

Autor: Sofia Nunes (todos os textos)

Visitas: 0

654 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • SophiaSophia

    21-04-2014 às 16:54:13

    Que linda a sugestão de passar uns tempos numa cabana de madeira a dois. A Rua Direita pensa ser um bom clima de muito romance e felicidade entre o casal. Adorei o texto "amor e uma casa de madeira"

    ¬ Responder
  • Sílvia BaptistaSílvia Baptista

    17-09-2012 às 16:27:11

    Belo texto Sofia. Parabéns pela sensibilidade e sugestão.

    Um abraço!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoSofia Nunes

    17-09-2012 às 17:31:20

    Muito obrigada Sílvia!

    ¬ Responder

Comentários - Amor e uma... casa de madeira?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Cecília Meireles

Ler próximo texto...

Tema: Biografias
Cecília Meireles\"Rua
Biografia, obras e estilo literário

Cecília Meireles é uma das grandes escritoras da literatura brasileira. Seus poemas encantam os leitores de todas as idades. Nasceu no dia 7 de novembro de 1901, na cidade do Rio de Janeiro e seu nome completo era Cecília Benevides de Carvalho Meireles.

Sua infância foi marcada pela dor e solidão, pois perdeu a mãe com apenas três anos de idade e o pai não chegou a conhecer (morreu antes de seu nascimento). Foi criada pela avó Dona Jacinta. Por volta dos nove anos de idade, Cecília começou a escrever suas primeiras poesias.

Formou-se professora (cursou a Escola Normal) e com apenas 18 anos de idade, no ano de 1919, publicou seu primeiro livro “Espectro” (vários poemas de caráter simbolista). Embora fosse o auge do Modernismo, a jovem poetisa foi fortemente influenciada pelo movimento literário simbolista.

No ano de 1922, Cecília casou-se com o pintor Fernando Correia Dias. Com ele, a escritora teve três filhas.

Sua formação como professora e interesse pela educação levou-a a fundar a primeira biblioteca infantil do Rio de Janeiro no ano de 1934. Escreveu várias obras na área de literatura infantil como, por exemplo, “O cavalinho branco”, “Colar de Carolina”, “Sonhos de menina”, “O menino azul”, entre outros. Estes poemas infantis são marcados pela musicalidade (uma das principais características de sua poesia).

O marido suicidou-se em 1936, após vários anos de sofrimento por depressão. O novo casamento de Cecília aconteceu somente em 1940, quando conheceu o engenheiro agrônomo Heitor Vinícius da Silveira.

No ano de 1939, Cecília publicou o livro Viagem. A beleza das poesias trouxe-lhe um grande reconhecimento dos leitores e também dos acadêmicos da área de literatura. Com este livro, ganhou o Prêmio de Poesia da Academia Brasileira de Letras.

Cecília faleceu em sua cidade natal no dia 9 de novembro de 1964.

Relação de suas obras:

Espectro - 1919
Criança, meu amor - 1923
Nunca mais... - 1923
Poema dos Poemas -1923
Baladas para El-Rei - 1925
O Espírito Vitorioso - 1935
Viagem - 1939
Vaga Música - 1942
Poetas Novos de Portugal - 1944
Mar Absoluto - 1945
Rute e Alberto - 1945
Rui — Pequena História de uma Grande Vida - 1948
Retrato Natural - 1949
Amor em Leonoreta - 1952
12 Noturnos de Holanda e o Aeronauta - 1952
Romanceiro da Inconfidência -1953
Poemas Escritos na Índia - 1953
Batuque - 1953
Pequeno Oratório de Santa Clara - 1955
Pistóia, Cemitério Militar Brasileiro - 1955
Panorama Folclórico de Açores -1955
Canções - 1956
Giroflê, Giroflá - 1956
Romance de Santa Cecília - 1957
A Rosa - 1957
Obra Poética -1958
Metal Rosicler -1960
Solombra -1963
Ou Isto ou Aquilo -1964
Escolha o Seu Sonho - 1964

Pesquisar mais textos:

Elisangela Lourenço de Oliveira

Título:Cecília Meireles

Autor:Elisangela Lourenço Oliveira(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios