Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alojamento > Seja possuído(a) pela terra no Equador

Seja possuído(a) pela terra no Equador

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Alojamento
Seja possuído(a) pela terra no Equador

O Black Sheep Inn é um hotel ecológico e acessível que se encontra nas Andes do Equador, cuja principal característica assenta na cozinha vegetariana, com produtos orgânicos obtidos da própria terra. Os ingredientes para pratos como a tarte de pastor e o pão de banana acabadinho de sair provêm de uma horta biológica. A crença vai no sentido de que é importante para os seres humanos manter uma ligação à terra que os sustenta, respeitar e valorizar os recursos que consomem e, desta forma, adquirem capacidade para apreciar diferentes alimentos, arte, música, edifícios e… caminhos de vida. O clima e a cultura locais respondem a necessidades semelhantes de alimentação, abrigo, vestuário, família, etc., de maneiras distintas, pelo que as sociedades diferem nestes aspetos. Historicamente, a terra e as pessoas estão intrinsecamente ligadas, e a tradição dos nativos americanos acrescenta que as pessoas não podem possuir terras, sendo, pelo contrário, possuídas por elas no tempo que aí residem.

A cinco horas de viagem a partir de Quito, a capital, por meio de estradas esburacadas e tortuosas, a encosta de Black Sheep é um lugar perfeito para descobrir séculos de cultura e uma variedade incrível de ecossistemas. É possível fazer caminhadas, passeios a cavalo ou de bicicleta, visitas a mercados indígenas, entre outras atividades. O Parque Nacional de Cotopaxi (o mais alto vulcão do mundo), a floresta andina, as aldeias indígenas, a lagoa no centro da enorme cratera vulcânica de Quilotoa, a 3780 metros de altitude, e as ruínas do período pré-inca, são apenas alguns dos motivos de interesse.

A ecologia é uma preocupação constante, que se constata em cada pormenor do Black Sheep Inn. Reduzir, reutilizar e reciclar são as palavras de ordem. Por exemplo, a sauna, as paredes da casa de banho, muros e o barracão foram construídas com garrafas recicladas (de vinho e licor). Por outro lado, opta-se pela compra em massa de produtos, a fim de evitar embalagens não recicláveis. Reutilizam-se recipientes de plástico grandes (que servem de floreiras, armazenadores de água e leite, …), papel (o jornal é uma ótima cobertura para jardins, uma alternativa não tóxica para limpar vidros e espelhos e uma acendalha fantástica para o fogão a lenha), garrafas, restos da cozinha (que alimentam cães, galinhas, porcos, …), água e até dejetos humanos!

Em casa quarto, existem três recetáculos diferenciados de lixo. O que não pode ser reutilizado ou reciclado in loco é transportado para um centro de reciclagem patrocinado e apoiado pelo próprio hotel. Os desperdícios são praticamente nulos.

Não se vende água engarrafada, estimulando-se os clientes a encher as respetivas garrafas com água purificada. Os almoços são fornecidos em papel pardo cru, e, nas caminhadas, os visitantes incentivados a não levar, nem mais nem menos, do que trouxeram, que é como quem diz, a não apanhar nem deixar nada no caminho.

Os telhados são feitos em material transparente, proporcionando luz natural e acolhendo tanques de decantação de águas pluviais.

Os legumes são tratados de forma natural e as bactérias mortas com extracto de toranja, um poderoso desinfectante.

Paralelamente, estimula-se o comércio justo e a educação da população local, a todos os níveis. Foi fundada uma biblioteca musical, com o propósito de recuperar o folclore andino. A grande lição aqui implícita é que, muitas vezes, os nossos problemas se podem converter nas nossas soluções!...



Maria Bijóias

Título: Seja possuído(a) pela terra no Equador

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

601 

Imagem por: Neil Carey

Comentários - Seja possuído(a) pela terra no Equador

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um sinal de compromisso

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Jóias Relógios
Um sinal de compromisso\"Rua
Exibir uma aliança de compromisso é, frequentemente, motivo de orgulho e, quando se olha para ela, vai-se rodando-a no dedo e fica-se com aquela expressão ridícula na cara.

Uma questão se coloca: qual a razão de estas alianças de compromisso serem tão fininhas: será porque os seus principais clientes, os jovens, são sujeitos de poucas posses (tendendo as mesadas a emagrecer ainda mais com a crise generalizada) ou porque esse compromisso, não obstante a paixão arrebatadora, é frágil e inseguro?

Sim, porque aqui há que fazer cálculos matemáticos: x compromissos vezes y alianças…com um orçamento limitado sobre um fundo sentimental infinito…

Depois, importa perpassar os tipos destas alianças. Há as provisórias, que duram em média quinze dias; há as voadoras, que atravessam os ares à velocidade da luz quando a coisa dá para o torto; há as que insistem em cair do dedo, sobretudo em momentos em que ter um compromisso se revela extremamente inoportuno; e depois há as residentes, que uma vez entradas não tornam a sair.

Os pombos-correios usam anilhas onde figuram códigos que os identificam. Talvez não fosse completamente descabido fazer umas inscrições deste género em algumas alianças de compromisso por aí…

Só para ajudar os mais esquecidos a recordarem a que “pombal” pertencem.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Um sinal de compromisso

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: Neil Carey

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    22-09-2014 às 05:46:10

    Um sinal de amor e lealdade perpétua! Adoro ver os vários modelos de aliança! Vale a pena escolher uma bem bonita!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios