Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Estereótipos

Estereótipos

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 24
Comentários: 4
Estereótipos

Hoje em dia a nossa sociedade está cheia de estereótipos. Estes estereótipos baseiam-se em fatores como o corpo, a cor da pele, a forma de vestir, o escalão social, o tipo de música ouvido, o local de residência…

IT’S FUNNY ‘CAUSE SHE’S FAT
O estereótipo da gordura corporal é um dos mais usados, a pontos de ter sido usado para uma conhecida piada da internet: it’s funny ‘cause she’s fat – traduzindo – tem piada porque ela é gorda. Esta frase aplica-se muito nos comentários de posts humorísticos em que aparecem raparigas gordas em situações embaraçosas.

A questão de se gozar com as pessoas com excesso de peso é um mecanismo no nosso cérebro, o mesmo que nos faz rejeitar pessoas com aspeto pouco saudável. As pessoas obesas ou mesmo apenas com excesso de peso são menos saudáveis, em geral, que as magras, pois estão mais propensas a uma série de problemas, principalmente relacionados com o sistema cardiovascular.

No entanto, por muito inato que seja, este mecanismo merece ser contrariado, pois o Ser Humano, embora seja ainda um animal, desenvolveu racionalidade, e esta deve ser usada para não ferir os sentimentos dos seus semelhantes.

AMERICANS…
Mais um estereótipo da internet é a crença geral de que os americanos são pouco inteligentes e os asiáticos (principalmente os japoneses) são extremamente inteligentes.

Na realidade, há alguma base de lógica neste estereótipo; no entanto, não deve ser alargado à população em geral, pois existem pessoas de todos os tipos em todo o lado.

A crença de que os asiáticos são mais inteligentes que os americanos baseia-se em duas coisas:

*A Ásia possui uma História e cultura muito mais extensas que os Estados Unidos (pois em geral este estereótipo destina-se apenas aos cidadãos dos EUA), devido à sua fundação ter ocorrido vários séculos antes da dos Estados Unidos;

*O “sonho americano” e o capitalismo tornaram tudo fácil de ter e de atingir; por outro lado, os japoneses continuam a trabalhar arduamente pelo que desejam.

No entanto, não podemos pegar em exemplos únicos e rotular um povo deste modo.

AINDA POR CIMA É GÓTICA, AINDA TE ASSALTA A CASA…

Eis um exemplo pessoal que ouvi ontem. Uma rapariga, amiga de umas amigas minhas, foi a um café, pediu uma bebida e perguntou à empregada se podia levar o copo para fora do café. A empregada deixou, pedindo que depois o devolvesse. A empregada, por sua vez, é também minha conhecida. No entanto, usa um estilo de roupa denominado “Gótico”. Entretanto a rapariga que pediu o copo partiu-o. Ao dizer que ia entregar o copo, respondeu-lhe outra: Não vás, que ela é gótica, ainda te assalta a casa!

Porque motivo o estilo de roupa que uma pessoa usa implicaria modificações na sua integridade moral?

Concluíndo, não devemos julgar as pessoas por estereótipos. Devemos tomar conhecimento delas e julgá-las pela sua personalidade. E assim seremos todos mais felizes.


Patrícia Carvalho

Título: Estereótipos

Autor: Patrícia Carvalho (todos os textos)

Visitas: 24

798 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 4 )    recentes

  • Rafaela CoronelRafaela

    28-07-2014 às 15:45:56

    Concordo também que não devemos julgar a pessoa por estereótipos. No entanto, nós mesmos fazemos isso constantemente quando uma pessoa com certo grau de riqueza nos vem à frente. Mudamos o jeito de cumprimentá-la, a olhamos com outros olhos. Já vi isso acontecer com muita frequência.

    ¬ Responder
  • Carla HortaCarla Horta

    16-09-2012 às 21:55:25

    Parabéns. O seu texto está muito criativo, o tema é importante e transmite a mensagem correcta. Até que ponto acreditamos mesmo nestes estereótipos, como os alimentamos e como os transmitimos? Dá que pensar...

    ¬ Responder
  • Patrícia CarvalhoPatrícia Carvalho

    19-07-2012 às 17:01:00

    Diogo,
    Eu sou 9gagger, eu entendo que são piadas. No entanto foram apenas exemplos que dei por serem muito conhecidos. No nosso dia-a-dia vemos "aplicações práticas" dessas piadas, que muitas vezes são feitas com o intuito de ofender ou humilhar. Mas de facto tens razão, a melhor arma contra a descriminação é não ligar e entrar na brincadeira!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDiogo

    02-07-2012 às 11:38:59

    Acho que o não é de levar muito a sérios estes rótulos que se espalham cada vez mais por intermédio da Internet.. Pois muitos destes rótulos são apenas um método de se rir. E muitas das vezes não se pode levar estas piadas a sério, pois são para todos, e todos estão sujeitos a elas, por isso se em vez de ficar-mos ofendidos com elas, se nos juntarmos a elas, o mundo fica muito mais brilhante e divertido para todos...

    ¬ Responder

Comentários - Estereótipos

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Fine and Mellow

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Música
Fine and Mellow\"Rua
"O amor é como uma torneira
Que você abre e fecha
Às vezes quando você pensa que ela está aberta, querido
Ela se fechou e se foi"
(Fine and Melow by Billie Holiday)

Ao assistir a Bio de Billie Holiday, ocorreu-me a questão Bluesingers x feminismo, pois quem ouve Blues, especialmente as mais antigas, as damas dos anos 10, 20, 30, 40, 50, há de pensar que eram mulheres submissas ao machismo e maldade de seus homens. Mas, as cantoras de Blues, eram mulheres extremamente independentes; embora cantassem seus problemas, elas não eram submissas a ponto de serem ultrajadas, espancadas... Eram submissas, sim, ao amor, ao bom trato... Essas mulheres, durante muito tempo, tiveram de se virar sozinhas e sempre que era necessário, ficavam sós ou mudavam de parceiros ou assumiam sua bissexualidade ou homossexualidade efetiva. Estas senhoras, muitas trabalharam como prostitutas, eram viciadas em drogas ou viviam boa parte entregues ao álcool, merecem todo nosso respeito. Além de serem precursoras do feminismo, pois romperam barreiras em tempos bem difíceis, amargavam sua solidão motivadas pelo preconceito em relação a cor de sua pele, como aconteceu a Lady Day quê, quando tocava com Artie Shaw, teve que esperar muitas vezes dentro do ônibus, enquanto uma cantora branca cantava os arranjos que haviam sido feitos especialmente para ela, Bilie Holiday. Foram humilhadas, mas, nunca servis; lutaram com garra e competência, eram mulheres de fibra e cheias de muito amor. Ouvir Billie cantar Strange Fruit, uma das primeiras canções de protestos, sem medo, apenas com dor na alma, é demais para quem tem sentimentos. O brilho nos olhos de Billie, fosse quando cantava sobre dor de amor ou sobre dor da dor, é insubstituível. Viva elas, nossas Divas do Blues, viva Billie Holiday, aquela que quando canta parte o coração da gente; linda, magnifica, incomparável, Lady Day.

O amor vai fazer você beber e cair
Vai fazer você ficar a noite toda se repetindo

O amor vai fazer você fazer coisas
Que você sabe que são erradas

Mas, se você me tratar bem, querido
Eu estarei em casa todos os dias

Mas, se você continuar a ser tão mau pra mim, querido
Eu sei que você vai acabar comigo

Pesquisar mais textos:

Sayonara Melo

Título:Fine and Mellow

Autor:Sayonara Melo(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios