Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Beleza > Lipoaspiração, não obrigado

Lipoaspiração, não obrigado

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Beleza
Comentários: 2
Lipoaspiração, não obrigado

Fazer uma lipoaspiração é algo que deve ser evitado a todo o custo. Toda a gordura pode ser tratada de outras formas, ou simplesmente evitando-a. E, para isso nada melhor do que prevení-la antes dela aparecer.

Para isso é necessário ter muito cuidado com a alimentação e qualidade de vida que se faz no dia a dia.

Com efeito, ter um modo de vida sedentário pode fazer com que a gordura se acumule em certas partes do corpo, tornando-o inestético. O mesmo se pode dizer de uma alimentação muito rica em gordura , açucares e muito substancial.

O melhor é fazer uma dieta equilibrada, em vitaminas, gorduras e sais minerais, e repartir ao longo do dia, evitando os pratos demasiado cheios ou pesados.

Como complemento da alimentação e de uma vida mais agitada deve fazer-se exercícios físicos ou caminhadas ao ar livre.

Os alimentos gordos ou fast- food têm tendência a fazer gordura acumulada se não se adotarem medidas para a evitar.

No entanto para quem tem mais dificuldades em cumprir um regime alimentar ou fazer exercícios regularmente, pode fazer uma lipoaspiração, embora seja de evitar.
Trata-se de uma cirurgia, para casos difíceis de perda de peso, que remove gordura de diversos locais.

Esta é removida através de uma cânula ou tubo, que é como que um aspirador de sução, ou seja, aspira a gordura.

Pode ainda fazer-se uma lipoescultura em que se faz um enxerto de gordura de outras regiões do corpo, como por exemplo o rabo. Depois, a gordura enxertada é absorvida pelo organismo em oitenta por cento. Contudo, convêm sempre respeitar os limites de quarenta por cento das áreas lipoaspiradas, e ter em conta o limite de segurança da gordura aspirada em função do peso corporal.

Normalmente as áreas frequentemente tratadas são as nádegas, coxas, pescoço e braços, que normalmente acumulam mais gordura.

Após a lipoaspiração é necessário diminuir o edema ou inchaço, fazendo uma drenagem linfática e ultra sons.

É essencial ainda usar uma cinta compressiva após três dias da cirurgia para comprimir o corpo e estar mais aconchegado.

Fzer uma lipoaspiração é hoje muito frequente, contudo o ideal é mesmo evitar os kilos a mais, prevenir ou fazer dieta de emagrecimento.

Com tantas táticas ao alcance, nos nossos dias, fazer lipoaspiração, não obrigado.
Deve pois recorrer-se a tudo, a fim de evitar a cirurgia, tão desagradável e dispendiosa.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Lipoaspiração, não obrigado

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 0

633 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoSofia Nunes

    13-09-2012 às 15:16:27

    Não concordo com a ideia de que a lipoaspiração deve ser evitada, uma vez que para muitas mulheres pode ser a única solução, uma vez alcançado um estado físico em que nada (alimentação e saudável e exercício físico) parece resultar. Todas as pessoas merecem uma oportunidade de melhorar o seu aspeto e se esse primeiro passo for um estimulante para a adopção de um estilo de vida ativo, não vejo razões para não o realizarem.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaniela Vicente

    12-09-2012 às 15:21:16

    a lipoaspiração é a única intervenção cirúrgica estética que eu poderia ponderar fazer se tivesse realmente muito gordura localizada. eu agora sou estudante e tenho alguma tendência a comer comidas rápidas e poucos saudáveis e estar muito tempo sentada. mas quando este novo ano vou tentar uma dieta saudável, com muitos legumes e verduras. a fruta já faz parte da minha vida, mas vou tentar ingerir maiores quantidades. parabéns pelo seu texto.

    ¬ Responder

Comentários - Lipoaspiração, não obrigado

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um caminho para curar o transtorno alimentar

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Saúde
Um caminho para curar o transtorno alimentar\"Rua
De acordo com um relatório divulgado em novembro de 2014 pelo Comitê Permanente sobre o Status da Mulher, entre 600 mil a um milhão de canadenses cumprem os critérios diagnósticos para um transtorno alimentar em um dado momento. Problemas de saúde mental com ramificações físicas graves, anorexia e bulimia são difíceis de tratar.

Os programas públicos de internação frequentemente não admitem pacientes até que estejam em condição de risco de vida, e muitos respondem mal à abordagem em grupo. As clínicas privadas costumam ter listas de espera épicas e custos altos: um quarto custa de US$ 305 a US$ 360 por dia.


Corinne lutou juntamente com seus pais contra a bulimia e anorexia por mais de cinco anos. Duffy e Terry, pais de Corinne, encontraram uma clínica na Virgínia. Hoje, aos 24 anos, ela é saudável e está cursando mestrado em Colorado. Ela e seus pais acreditam que a abordagem holística, o foco individualizado e a estrutura imersiva de seu tratamento foram fundamentais para sua recuperação.

Eles sabem que tinham acesso a recursos exclusivos. "Tivemos sorte", diz Duffy. "Podíamos pagar por tudo." Mas muitos não podem.
A luta desta família levou-os a refletir sobre o problema nos Estados Unidos. Em 2013, eles fundaram a Water Stone Clinic, um centro privado de transtornos alimentares em Toronto. Eles fazem yoga, terapia de arte e participam na preparação de refeições, construindo habilidades na vida real com uma equipe de apoio empática. Os programas funcionam nos dias da semana das 8h às 14h, e até agora, não tem lista de espera. Porém essa abordagem é onerosa: aproximadamente US$ 650 por dia.

A família criou a Fundação Water Stone - uma instituição de caridade que fornece ajuda a pacientes que não podem pagar o tratamento. Os candidatos são avaliados por dois comitês que tomam uma decisão baseada na necessidade clínica e financeira. David Choo Chong foi o primeiro a se beneficiar da fundação. Ele havia tentado muitos programas, mas nenhum foi bem sucedido. A fundação pagou metade do tratamento. Dois anos depois, Choo Chong, feliz e estável diz "Water Stone me ajudou a encontrar quem eu sou".

Pesquisar mais textos:

Roberta Darc

Título:Um caminho para curar o transtorno alimentar

Autor:Roberta Darc(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios