Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Viagens > Praia da Adraga: o paraíso desceu à praia

Praia da Adraga: o paraíso desceu à praia

Categoria: Viagens
Visitas: 2
Comentários: 1
Praia da Adraga: o paraíso desceu à praia

A Praia da Adraga é, de acordo com um concurso britânico orientado pelo jornal Sunday Times (2003), uma das vinte melhores praias europeias, surgindo num dignificante terceiro lugar. Ora, por que razão será esta praia tão apreciada pelos ingleses? A resposta poderá estar nas características paisagísticas únicas do local, nas condições logísticas que apoiam os veraneantes e, ainda, na boa frequência da praia.

De facto, os ingleses apenas vieram confirmar algo que os portugueses já sabem há muito: a praia da Adraga é um pequeno paraíso com enormes rochedos que fazem lembrar os princípios do mundo. E talvez a definição não ande muito longe da realidade geológica da zona: as arribas escarpadas de calcário que envolvem a praia datam da era Jurássica (sim, a dos dinossauros) – de há cerca de 150 milhões de anos atrás – e no extremo norte da praia é possível observarem-se maciços rochosos da era Cretácica. A topologia da área circundante, caracterizada por maciços eruptivos abruptos e rochas isoladas de grande dimensão, é contemporânea e resultado da erupção do maciço rochoso da Serra de Sintra. As rochas isoladas revelam a presença de dois grandes agentes erosivos: a água e o vento.

Em termos humanos e de logística, a praia é das poucas em Portugal classificada como «acessível», o que significa que as pessoas deficientes têm aqui a possibilidade de se deslocarem até ao mar num carrinho próprio para o efeito. Existe um bar-restaurante muito simpático e acolhedor onde existem sempre mesas ocupadas e um ambiente muito peculiar e positivo. Há, também, balneários com wc e duches incluídos, sendo que à saída da praia existem também duches de água doce. Por fim, e para completar o rol de comodidades, os veraneantes dispõem de passadeiras de madeira ornadas com oportunos banquinhos de madeira, onde, no regresso a casa, podem sentar-se e tratar de retirar o excesso de areia dos pés. A praia fecha mesmo com chave de ouro porque, como seria de esperar num local destes, é vigiada.

Será ainda de salientar que o nudismo se encontra autorizado na zona norte da praia e que o parque de estacionamento, não sendo dos maiores, é coadjuvado por um espaço em terra onde também é possível estacionar o carro (apesar de, às vezes, a tarefa se tornar complicada). Por outro lado, a praia é muito bem frequentada e segura, razão pela qual é também tão apreciada por turistas nacionais e estrangeiros. Existem ainda misteriosas grutas e cavernas a sul da praia, que são visitáveis durante a maré baixa.

Desfrute, pois, de excelentes dias de praia, com a certeza de que serão inesquecíveis.


Isabel Rodrigues

Título: Praia da Adraga: o paraíso desceu à praia

Autor: Isabel Rodrigues (todos os textos)

Visitas: 2

633 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    14-06-2014 às 21:37:18

    Achei bem importante essa questão dos acessos para deficientes. A Praia da Adraga deve ser muito bonita e cheia de surpresas agradáveis.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Praia da Adraga: o paraíso desceu à praia

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Fine and Mellow

Ler próximo texto...

Tema: Música
Fine and Mellow\"Rua
"O amor é como uma torneira
Que você abre e fecha
Às vezes quando você pensa que ela está aberta, querido
Ela se fechou e se foi"
(Fine and Melow by Billie Holiday)

Ao assistir a Bio de Billie Holiday, ocorreu-me a questão Bluesingers x feminismo, pois quem ouve Blues, especialmente as mais antigas, as damas dos anos 10, 20, 30, 40, 50, há de pensar que eram mulheres submissas ao machismo e maldade de seus homens. Mas, as cantoras de Blues, eram mulheres extremamente independentes; embora cantassem seus problemas, elas não eram submissas a ponto de serem ultrajadas, espancadas... Eram submissas, sim, ao amor, ao bom trato... Essas mulheres, durante muito tempo, tiveram de se virar sozinhas e sempre que era necessário, ficavam sós ou mudavam de parceiros ou assumiam sua bissexualidade ou homossexualidade efetiva. Estas senhoras, muitas trabalharam como prostitutas, eram viciadas em drogas ou viviam boa parte entregues ao álcool, merecem todo nosso respeito. Além de serem precursoras do feminismo, pois romperam barreiras em tempos bem difíceis, amargavam sua solidão motivadas pelo preconceito em relação a cor de sua pele, como aconteceu a Lady Day quê, quando tocava com Artie Shaw, teve que esperar muitas vezes dentro do ônibus, enquanto uma cantora branca cantava os arranjos que haviam sido feitos especialmente para ela, Bilie Holiday. Foram humilhadas, mas, nunca servis; lutaram com garra e competência, eram mulheres de fibra e cheias de muito amor. Ouvir Billie cantar Strange Fruit, uma das primeiras canções de protestos, sem medo, apenas com dor na alma, é demais para quem tem sentimentos. O brilho nos olhos de Billie, fosse quando cantava sobre dor de amor ou sobre dor da dor, é insubstituível. Viva elas, nossas Divas do Blues, viva Billie Holiday, aquela que quando canta parte o coração da gente; linda, magnifica, incomparável, Lady Day.

O amor vai fazer você beber e cair
Vai fazer você ficar a noite toda se repetindo

O amor vai fazer você fazer coisas
Que você sabe que são erradas

Mas, se você me tratar bem, querido
Eu estarei em casa todos os dias

Mas, se você continuar a ser tão mau pra mim, querido
Eu sei que você vai acabar comigo

Pesquisar mais textos:

Sayonara Melo

Título:Fine and Mellow

Autor:Sayonara Melo(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios