Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Imóveis Arrendamento > O aluguel subiu! O que fazer?

O aluguel subiu! O que fazer?

Visitas: 8
Comentários: 1
O aluguel subiu! O que fazer?

Por vário motivos e diferentes razões, nos deparamos com a necessidade de alugar um imóvel, seja para fins comerciais ou residênciais. A aluguel em geral se formaliza através de um contrato de locação, contrato esse que dispõe algumas claúsulas que determinam os direitos e os deveres do locador, que é o proprietário do imóvel e o locatário que é o inquilino. A formalização do aluguel por meio de um contrato é importante para ambas as partes, em determinadas situações como nos casos de parentesco familiar ou entre amigos, agumas poucas pessoas optam em fazer o famosos contratos de gaveta ou apenas verbal. Esta aí uma quetão que pode até estremecer amizades ou gerar desafetos entre os parentes, mesmo tratando-se de um simples contrato com pouca distribuição de direitos e deveres, é aconselhavel fazer por escrito estipulando pequenos termos como tempo de contratação, valor e tipo de reajuste.

Essas quetões são básicas, o tempo deve ser inserido no contrato de aluguel para prever tempo mínimo e data limite, que é quando se dará a oportunidade da renovação contratual que pode se optar pela renovação automática ou renova-lo com um novo diálogo entre as partes, daquilo que for necessário na época de expiração do contrato.

Quanto ao reajuste, a principal opção e a mais preferida é o reajuste anual, que deve ser muito claro quanto ao tipo de índice escolhido como base para o aumento do aluguel. O motivo do reajuste, ou seja; o aumento do valor do aluguel é para compensar as perdas do valor que ocorrem com o passar do tempo, uma melhor explicação é a seguinte: Ao se comprar um litro de leite, após um ano ele terá um novo valor, portanto é uma forma simplificada de esclarecer como se dão as perdas e a necessidade do reajuste.

O que pode ser feito quanto ao aumento do aluguel, no que diz respeito ao inquilino, é dar preferência a um indíce de reajuste que tenha uma menor variação, é bom evitar reajuste por equivalência salarial, muitos locatários tiveram problemas ao optar por esse índice. Se o contrato do aluguel for de três anos, é importante negociar para inserir uma claúsula que estipule que após um ano de aluguel, o inquilino possa optar em entregar o imóvel em perfeito estado sem ter que pagar nenhuma multa por estar cancelando o contrato. Se o contrato for de dezoito meses, estipule seis meses e assim por diante.

Essa atenção é importante pois, caso o aluguel sofra reajuste acima do que o locatário possa pagar como antes, o melhor a fazer é procurar um outro imóvel para alugar com valor igual ou menor, que se enquadre dentro da renda.


Sílvia Baptista

Título: O aluguel subiu! O que fazer?

Autor: Sílvia Baptista (todos os textos)

Visitas: 8

781 

Imagem por: Sam Fox Photography

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    05-05-2014 às 21:46:03

    Às vezes, o aluguel sofre reajuste e o proprietário avisa muito em cima para o inquilino, deixando-o sem meios para se programar financeiramente. É necessário ler o contrato de locação com muita cautela antes de assinar para não sofrer danos financeiros.

    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - O aluguel subiu! O que fazer?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dicas para decorar salas pequenas.

Ler próximo texto...

Tema: Decoração
Dicas para decorar salas pequenas.\"Rua
A realidade das grandes cidades é que a maioria das pessoas mora em espaços pequenos. É fato também que todos desejam ter um ambiente acolhedor e aconchegante para receber amigos. Em contrapartida, na medida em que os espaços encolhem, a quantidade de aparelhos eletrônicos que utilizamos aumenta cada vez mais. Há ainda quem use a sala como home-office.

Nesta busca de inspiração para organizar e incrementar sua sala, encontramos uma série de sites especializados e blogs com muitas, muitas ideias. O conceito de D.I.Y. (do it yourself) que significa "faça você mesmo” nunca esteve tão na moda. É uma alternativa para reduzir gastos com mão de obra e nada melhor do que criar um espaço com um toque todo seu. Inspirações e ideias não faltam. Hoje, de certa forma todos nos sentimos meio decoradores.

Mas planejar a decoração de uma sala pequena exige alguns cuidados para que o ambiente não fique entulhado de móveis, disfuncional ou até mesmo desagradável.

Confira algumas dicas para decorar sua sala com estilo e valorizando seu espaço:
Os espelhos, além da autocontemplação, causam efeitos interessantes. Aplicados, por exemplo, em uma parede inteira pode duplicar a amplitude do ambiente. Pode ser usado também em móveis, tetos, em diversos formatos e valorizar a luminosidade da decoração.

As cores tem poder de causar sensações. Em ambientes com pouco espaço, elas podem colaborar para que a sensação de amplitude possa tanto aumentar quanto diminuir. Para pintar as paredes de sua sala aposte em cores claras. O teto com uma cor mais clara que a das paredes, por exemplo, pode simular uma elevação do teto, já em uma cor mais escura, promoverá uma sensação de rebaixamento do teto.

A escolha e posição dos móveis são um aspecto muito importante. Opte por poucos móveis, nunca de tamanhos exagerados e posicione-os de forma que valorize o espaço. Móveis que misturam poucos materiais, baixos e com linhas retas proporcionam leveza ao ambiente.

Uma solução muito interessante para espaços pequenos é a utilização de prateleiras. Caixas para produtos horto frutícolas reformadas podem se tornar lindas prateleiras. Mas cuidado com a profundidade, para não atrapalhar na disposição de outros móveis e objetos.

Móveis multifuncionais ou móveis inteligentes são excelentes alternativas para uma sala pequena. Um bom exemplo são pufes, que podem ser usados como mesas de centro ou ficarem alojados debaixo de aparadores e quando recebemos visitas podem se transformar em assentos extras. Mesas dobráveis também são uma ótima opção.

Escolher o mesmo piso ou revestimento pode dar a impressão de área maior, de continuidade. Mudanças drásticas de um ambiente para outro pode causar a sensação de divisão e consequentemente fazer parecer menor.

Algumas outras dicas: um sofá retrátil ou reclinável garante muito mais conforto e ocupa o espaço de um sofá simples. Suporte ou painéis móveis para TV possibilitam que ela seja movida na direção desejável. Caso o ambiente tenha escadas, escolher um modelo de escadas vazadas evita divisões e pode se tornar uma peça de destaque na sala. E para as cortinas, escolha tecidos leves, lisas e sem estampas.

De qualquer forma, ouse, não tenha medo de arriscar, crie, não copie, só assim será seu!

Luciana Santos.

Outros textos do autor:
Dicas para decorar salas pequenas.

Pesquisar mais textos:

Luciana Maria dos Santos

Título:Dicas para decorar salas pequenas.

Autor:Luciana Maria Santos(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Carlos Rubens Neto 16-06-2016 às 16:20:24

    Excelente matéria! Parabéns Luciana ;)

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios