Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Imóveis Arrendamento > Imóveis de Arrendamento – Que Burocracia é necessária?

Imóveis de Arrendamento – Que Burocracia é necessária?

Visitas: 26
Comentários: 3
Imóveis de Arrendamento – Que Burocracia é necessária?

Se a maior parte das vezes em que procuramos casa para viver, nos preocupamos com a estética, localização, estado e valores a pagar no final do mês, saiba que no momento de assinar um contrato de arrendamento deve ter em conta a legalização da casa.

Para a compra de uma casa, é necessário muita burocracia, mas para um arrendamento também é necessário especial atenção.

Quer seja futuro senhorio, ou futuro inquilino, saiba o que deve verificar, obter e comprovar.

As casas têm uma identificação da mesma forma que um individuo. Tanto a nível de Finanças como a nível de Conservatória.

Se é proprietário de uma casa, dirija-se à Repartição de Finanças e solicite uma Caderneta Predial. Este documento corresponde a um Cartão de Contribuinte da casa. Lá estarão mencionadas algumas características da casa, tais como a morada completa, fração a que corresponde (corresponde sempre a uma letra), nome e contribuinte fiscal do proprietário. Se é o dono, poderá comprovar que o é na realidade e se for o futuro inquilino, poderá verificar a realidade que o seu futuro senhorio está a falar.

Vai necessitar também de uma Certidão Predial da Conservatória. Este documento equivale-se ao bilhete de identidade da casa. Aqui comprova-se que a casa não sofre de nenhum impedimento jurídico para ser alvo de arrendamento. Com toda a certeza, enquanto inquilino não quererá ser alvo de uma visita do tribunal a solicitar-lhe que saia no próprio dia.

No ato da assinatura do contrato, o proprietário deverá ser portador de certificação Energética, cuja obrigatoriedade se iniciou para transações desde o dia 01 de janeiro de 2009. Este documento avalia a suficiência energética do imóvel.

O contrato de arrendamento deverá ser elaborado por alguém com bastantes conhecimentos, mas se não quiser gastar dinheiro com um advogado, solicitador ou mediador, informe-se. Na internet pode procurar algumas minutas de contratos de arrendamento. Compare alguns e sugira á outra parte o que mais o agrada. Nunca se esqueça que um contrato deve proteger as duas partes.

Todas as partes devem ser identificadas à exaustão. O senhorio, e o inquilino, tal como o imóvel e os fiadores.

Se enquanto senhorio exige fiadores, solicite toda a sua informação, incluindo morada. As três partes devem assinar e ser responsáveis sobre o contrato que estão a assinar.

No contrato tem obrigatoriamente de incluir a duração do contrato, clausula de rescisão, valores a pagar mensalmente e a forma como o inquilino o deverá fazer.
Se sentir dificuldades, nada como contratar alguém que elabore o contrato por si. Não vá o diabo tece-las e a rentabilidade de uma casa, tornar-se um autentico pesadelo.


Carla Horta

Título: Imóveis de Arrendamento – Que Burocracia é necessária?

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 26

718 

Imagem por: fotographix.ca

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Helna

    17-05-2016 às 19:45:56

    Arrenda apartamento.Que burocracia é necessária? Posso fazer um arrendamento vitalício? tenho 70 anos

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    05-05-2014 às 06:20:07

    É preciso estar atento aos detalhes do imóvel alugado. De preferência tudo escrito no contrato e de forma mais clara possível.

    ¬ Responder
  • ALEXINALDO CORDEIROALEXINALDO CORDEIRO

    04-11-2009 às 00:00:45

    Como faço para ter detalhe de um contrato de arrendamento comercial instalações e equipamentos

    ¬ Responder

Comentários - Imóveis de Arrendamento – Que Burocracia é necessária?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Superstições Náuticas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Barcos
Superstições Náuticas\"Rua
Todos temos as nossas manias e superstições. Não que se trate de comportamentos compulsivos, mas a realidade é que mesmo para quem diz que não liga nenhuma a estas coisas, as superstições acompanham-nos.

Passar por baixo de uma escada, deixar a tesoura, uma porta de um armário ou uma gaveta aberta ou até deixar os sapatos em posição oposta ao correcto, são das superstições mais comuns. As Sextas-feiras 13 também criam alguma confusão a muita gente, mas muitos são os que já festejam e brincam com a data.

Somos assim mesmo, supersticiosos, uns mais do que outros, mas é uma essência que carregamos, mesmo que de forma inconsciente.

Existem no entanto profissões que carregam mitos mais assustadores do que outros, e por exemplos muitos actores não entram em palco sem mandar um “miminho” uns aos outros.

Caso de superstição de marinheiro é dos mais sérios e se julga que se trata só de casos vistos em filmes de piratas, desengane-se. Os marinheiros dos dias de hoje carregam superstições tão carregadas de emoção quanto os de outros tempos.

Umas mais caricatas do que outras, as superstições contam histórias e truques. Por exemplo, contra tempestades, muitos marinheiros colam uma moeda no mastro dos navios.

Tal como fazem os actores, desejar boa sorte a um marinheiro antes de embarcar, também não é boa ideia. Os miminhos dados antes de entrar em palco também servem para o efeito.

Dar um novo nome a um barco é uma péssima ideia para um marinheiro. Dizem que muitos há que não navegam em barcos rebaptizados.

Lembra-se que os piratas de outros tempos utilizavam brincos? Pois isto faz parte de uma superstição. Dizem que os brincos evitam que se afoguem.

Entrar com um pé direito na embarcação é sinal de bons ventos. Tal como acontece com muitos de nós, os marinheiros também não gostam de entrar de pé esquerdo.

Já desde remotos tempos se dia que assobiar traz tempestades. Ora aqui está um mote dos marinheiros, pelo que se assobiar numa embarcação, arrisca-se a ter chatices com o marinheiro.

Verdades ou mentiras, as superstições existem e se manter os seus próprios mitos acalma um marinheiro, então que assim seja. Venham as superstições náuticas que cá estamos para as ouvir.

Já agora uma curiosidade ainda maior. Dizem que se tocar a gola de um marinheiro passará a ter sorte. Será verdade ou foi um marinheiro que inventou?

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:Superstições Náuticas

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Imagem por: fotographix.ca

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    17-06-2014 às 06:39:27

    Não acredito em superstições de forma alguma.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios