Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > O melhor do artesanato

O melhor do artesanato

Categoria: Arte
Visitas: 10
Comentários: 1
O melhor do artesanato

Portugal é um país cheio de maravilhas, não só naturais, mas também artesanais. Entre muitas, qual delas a mais encantadora, relembro o Bordado da Madeira. Cheio de cor e apesar de simples, muito elaborado, é uma delícia aos olhos de qualquer turista estrangeiro ou nacional. Reconhecidas internacionalmente, as peças de Bordado da Madeira têm uma história e tradição ligadas ao segmento de luxo e muitas foram, e são, as eleitas para cobrir as mesas da aristocracia europeia.

O arquipélago da Madeira foi descoberto e povoado durante o século XV, e julga-se que a origem dos bordados madeirenses remonta a essa altura, quando as fidalgas os faziam como forma de decorar as roupas do lar e o próprio vestuário. Só mais tarde, já no século XIX, é que os bordados adquirem um papel mais relevante na economia insular, sendo utilizados como mercadoria no sistema de trocas da ilha com o exterior, passando a fazer parte da economia dos lares madeirenses como produto mercantil.

Em 1850, é organizada, no Palácio de S. Lourenço, uma exposição das indústrias madeirenses. O interesse britânico por esta exposição foi tão grande, que a Madeira recebeu um convite para participar na Exposição Universal realizada no ano seguinte em Londres. Deste evento resultaram muitas e boas críticas, das quais resultaram exportações para diferentes destinos, como Inglaterra e Alemanha. Diz a tradição que o impulso dado à indústria do bordado, ficou a dever-se a Miss Phelps, filha de um comerciante Inglês residente no Funchal.

O século XX, quando já se contavam milhares de bordadeiras na ilha, foi palco de exportações para todo o mundo: Itália, EUA, França, Singapura, Austrália, Brasil, Holanda, etc. Actualmente, os maiores mercados são Itália, Inglaterra e EUA.

Quem aprecia um trabalho de Bordado da Madeira, é como se olhasse para um pedaço de história. Actualmente, é resultado de diferentes influências, como as rendas de Milão, inglesa, Burano, Burges, do bordado richelieu, veneziano ou da renascença. De todas estas influências, resulta outro tipo de Bordado da Madeira, mais rico e decorativo, contrariamente ao mais antigo, caracterizado por caseados, filas de ilhós, rosetas, estrelas, bordaduras em grinalda, viúvas e cavacas, que podia ser aplicado em toalhas de mão, lenços, lençóis, vestidos e camisas de noite.

Os anos passam, as modas mudam, mas enquanto houver quem aprecie e valorize o trabalho com agulha, este bordado não deixará de existir e de fazer chegar o nome de Portugal além fronteiras.



Cláudia Bandeira

Título: O melhor do artesanato

Autor: Cláudia Bandeira (todos os textos)

Visitas: 10

682 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Numa Leme Ramos Juniorcelia cabral

    10-11-2010 às 15:30:47

    gostaria de conseguir riscos de bordados antigas antes de do seculo 20

    ¬ Responder

Comentários - O melhor do artesanato

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

A arte de trabalhar a madeira

Ler próximo texto...

Tema: Serviços Construção
A arte de trabalhar a madeira\"Rua
A carpintaria constitui, digamos assim, a arte de trabalhar a madeira. É claro que, de acordo com o produto final, se percebe bem que uns carpinteiros são mais artistas do que outros…

Às vezes nem se trata tanto dos pormenores, mas mesmo de desvirtuar o que era a ideia inicial e constava da encomenda. Mal comparado, quase se assemelha à situação daquela aspirante a costureira que pretendia fazer uma camisola para o marido e, no fim, saíram umas calças!

Na construção civil, a madeira é utilizada para diversos fins, temporários ou definitivos. Na forma vitalícia (esperam os clientes!) incluem-se estruturas de cobertura, esquadrias (portas e janelas), forros, pisos e edifícios pré-fabricados.

Quase todos os tipos de madeira podem ser empregues na fabricação de móveis, mas alguns são preferidos pela sua beleza, durabilidade e utilidade. É conveniente conhecer as características básicas de todas as madeiras, como a solidez, a textura e a côr.

Ser capaz de identificar o género de madeira usado na mobília lá de casa pode ajudar a determinar o seu real valor. Imagine-se a possibilidade de uma cómoda velha, que estava prestes a engrossar o entulho para a recolha de lixo, ter sido feita com o que hoje se considera uma madeira rara.

É praticamente equivalente a um bilhete premiado do Euromilhões, dado que se possui uma autêntica relíquia! Nestes casos, a carpintaria entra na área do restauro e da recuperação. Afinal, nem tudo o que é velho se deita fora…

Por outro lado, as madeiras com textura mais fraca são frequentemente manchadas para ganhar personalidade. Aqui há que remover completamente o acabamento para se confirmar a verdadeira natureza da madeira.

É assim também com muita gente: tirando a capa, mostram-se autenticamente. Mas destes, nem um artificie com “bicho-carpinteiro” consegue fazer nada…!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:A arte de trabalhar a madeira

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    23-09-2014 às 13:23:35

    Uma excelente técnica que penso ser muito bonito e sofisticado. A arte de trabalhar madeira está sempre em desenvolvimento e crescimento.

    ¬ Responder
  • Rua DireitaRua Direita

    01-06-2014 às 05:18:46

    É ótimo o trabalho com a madeira. Pode-se perceber grandes obras que se faz com ela. Realmente, é uma verdadeira arte!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios